Instituto Royal encerra atividades em São Roque (SP)


 instituto royal

Instituto Royal encerrou as atividades em São Roque (SP). A informação foi divulgada em comunicado enviado nesta quarta-feira (6) pela assessoria de imprensa do laboratório. “Em assembleia geral extraordinária realizada entre seus associados, o Instituto Royal, por meio de seu Conselho Diretor, vem a público informar a decisão de interromper definitivamente as atividades de pesquisa em animais, realizadas em seu laboratório de São Roque”, diz a nota.

O laboratório foi invadido por um grupo de ativistas na madrugada do dia 18 de outubro, do qual foram resgatados todos os cachorros da raça Beagle e alguns coelhos que eram usados em testes. Os ativistas acusavam a empresa de maus-tratos aos animais, devido às experimentações que ocorriam dentro dos laboratórios da empresa.

A ação dos ativistas suscitou debates sobre o uso de animais em todo o país

No comunicado à imprensa, o laboratório atribui o encerramento das atividades às “elevadas e irreparáveis perdas” que sofreu com a ação dos ativistas, que significou “a perda de quase todo o plantel de animais e de aproximadamente uma década de pesquisas”. A empresa também atribui a decisão à crise na segurança, que coloca “em risco permanente a integridade física e moral de seus colaboradores”.

O comunicado informa que a decisão de encerrar as atividades não afeta a unidade Genotox, que tem sede em Porto Alegre.
Segundo o laboratório, os funcionários já foram comunicados sobre o desligamento. O laboratório empregava 85 pessoas, entre médicos veterinários, farmacêuticos, biólogos, e biomédicos.

Criado em 2005, o Instituto Royal é uma organização de sociedade civil de interesse público (Oscip) e está credenciado junto ao Conselho Nacional de Controle de Experimentação Animal (Concea), órgão do Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), responsável por regulamentar o uso de animais em pesquisas no país, entretanto, em matéria publicada pela ANDA, o próprio Concea admitiu que pode descredenciar 52% dos institutos de pesquisa no Brasil.

Com informações de G1

Nota da Redação: Esta é sem dúvida uma vitória importantíssima na luta pelos direitos animais. O encerramento das atividades desta unidade do Instituto Royal representa a força da luta de ativistas durante semanas pelo Brasil todo, não somente nas ruas, com manifestações, mas também nas câmaras municipais e no Senado, por meio das reivindicações para que fosse colocado em primeiro plano as questões sobre a causa animal. Ao contrário do que foi comunicado pela nota da empresa, aqueles animais não podem ser tratados como “plantel”, como um agregado de objetos utilizados para pesquisa. As “irreparáveis perdas” foram, na verdade, a conquista da liberdade por parte dos animais que lá estavam presos e que lá eram explorados.

 agnes naas

 

Agnes Nääs é Servidora Pública Federal. Autora da fan page Amor de Bicho-MS. Ex radialista da Rádio Ataláia de Campo Grande-MS, na qual era responsável pelas matérias destinadas à saúde animal, prevenções de doenças e posse responsável.

Desde criança é apaixonada por animais, mas somente quando se mudou para Campo Grande-MS teve contato com outros protetores, veterinários e autoridades do ramo da saúde animal.