Previdência Privada ou Tesouro Direto - O que é melhor (Hoje)?

Olá à todos

Previdência Privada ou Tesouro Direto -  O que é melhor (Hoje)?

Já deve ter ouvido ou lido algum comentário sobre Previdência Privada e, principalmente sobre suas vantagens fiscais, exemplo: Imposto de Renda.

A previdência complementar, via PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre) ou VGBL (Vida Gerador de Benefício Livre), tem ganhado espaço entre investidores. Esses produtos oferecem benefício fiscal e renda vitalícia.

Mas o investidor paga taxas de administração, com valor médio no varejo entre 1,5% e 2% ao ano, e taxas de carregamento sobre os investimentos de, em média, 3%.

 rodrigo

A princípio, o desconto fiscal oferecido soa como vantagem. Uma breve análise mostra, porém, que, dependendo das taxas, o benefício é absorvido pelos bancos e pelas gestoras de investimento e não chega ao cliente.

Suponha o caso de um indivíduo com renda mensal de R$ 5.000 que deseja aplicar 10% desse valor por 30 anos e três opções de investimento: PGBL, VGBL e Tesouro Direto. Nas duas modalidades previdenciárias, se paga 2% ao ano de taxa de administração e 3% de taxa de carregamento. Já para o Tesouro, adotamos o custo de 0,5% ao ano em corretagem -mas vale lembrar que algumas corretoras não cobram taxas.

Simulações mostram que os modelos previdenciários apresentam retornos menores ao final do período do que o investimento no Tesouro. Enquanto o resgate do Tesouro Direto fica em R$ 1,2 milhão, no PGBL e no VGBL fica abaixo de R$ 1 milhão em todos os casos analisados.

Quando um cliente opta pela de renda vitalícia, os bancos e as seguradoras estimam por quanto tempo terão de efetuar pagamentos ao cliente a partir de uma tábua atuarial, que aproxima estatisticamente a longevidade dos indivíduos.

É importante que o consumidor esteja atento, pois, quanto mais atual a tábua selecionada, maior a expectativa de vida da população e, consequentemente, maior o custo que será repassado para o cliente durante seu período de contribuição, já que os recebimentos ocorrerão por um período mais longo.

Não existe melhor ou pior investimento. O que existe é o que é bom para você. Refaça suas contas, priorize seus objetivos e não dê ouvidos aos “experts” do mercado. Pesquise sempre todas as vantagens e desvantagens no momento de uma aplicação financeira e lembre-se que nada é 100%.

 rodrigo

 

Rodrigo Teixeira Mendes é Graduado em Direito (Unip) - Pós Graduação Administração de Negócios (Mackenzie);

Experiência Profissional: Banco Itaú, RR Donnelley Moore, Camargo Côrrea e Valuta Invest (desde out.2011). Atualmente, trabalha na Valuta Invest (parceira da Ágora Corretora – Bradesco) na distribuição dos produtos disponíveis no Mercado de Capitais (Bolsa de Valores,Tesouro Direto, Debêntures, Fundos Imobiliários, Fundos de Investimentos Multimercado e Renda Fixa entre outros) e ministra cursos e palestras na área de Educação Financeira.

E-mail: rodrigo@valutainvest.com.br
Telefone: (19)  99626-1540/ (19) 2513-0103/ (19) 3512-8045