Coluna dicas de livros e filmes

Hoje a dica de Luciana Andrade em homenagem ao dia dos Pais é do filme Óleo de Lorenzo


  óleo de lorenzo

Dicas de livros 


 Raul da ferrugem azul

Livro - Raul da Ferrugem Azul

Raul estava mesmo irritado com aquelas manchas azuis que se espalhavam pelo seu corpo. Ora apareciam em seu braços, e ele não conseguia fazê-las sumir, mesmo lavando com xampu, álcool e até detergente. Ora - que susto! - estavam no pescoço, nas pernas, na língua e até na garganta!

O que estaria acontecendo?
O que seriam aquelas estranhas manchas, que ninguém parecia ver?

Alguma doença contagiosa?

De tanto pensar, Raul deduziu: ele raul, tinha ferrugem azul!
O mistério tinha que ter uma explicação.
Em busca das respostas, o menino descobre como a dificuldade de reagir às pequenas - e grandes - violências do cotidiano marcam nosso espírito e nosso corpo.

Fonte: http://www.americanas.com.br/produto/5385034/livro-raul-da-ferrugem-azul 


 O estrangeiro

Camus foi um dos homens “que por obras valorosas se vão da lei da morte libertando”. “O Estrangeiro” é apontado por muitos como um dos maiores marcos literários do século XX. Em 1957, quinze anos após a publicação do livro, a Academia Sueca distinguia-o com o Premio Nobel da Literatura, na altura o Argelino tinha apenas quarenta e quatro anos.

 “Meus senhores, um dia depois da morte da sua mãe, este homem tomava banhos no mar, iniciava relações com uma amante e ia rir a gargalhada num filme cómico” mas não fica por aqui o absurdo ou a falta dele desta personagem, pois antes da morte da sua mãe, também não ia visita-la ao lar, pois ocupava-lhe o Domingo. Quem ficou aborrecido com a morte da mãe foi o seu patrão, não por uma razão sentimental, mas porque lhe tinha que dar dois dias. Aceita casar com Maria, mas respondeu “que tanto lhe fazia”, acaba por não casar, pois matou um árabe e por não ser casado com ela, os guardas não queriam que Maria o visse na prisão. No julgamento, que tem uma forte divulgação, pois os jornalistas tiveram que aproveitar a história pois não havia melhor, o que acaba por chocar mais o juiz é o facto de não acreditar em deus. A sentença, essa poderia ser diferente, se fosse dada a outra hora do dia, mas foi dada às cinco da tarde.

Um livro intrigante que além da personagem principal ter um comportamento absurdo, temos a certeza de que a sua principal característica é a lucidez implacável.

Boa leitura…

Fonte: http://sugestaodeleitura.blogspot.com.br/2011/08/albert-camus-o-estrangeiro.html 

 


 Luciana Andrade

Luciana Andrade 

Tenho 40 anos, sou Psicóloga, trabalho há 12 anos como voluntária no SOS ação mulher e família, gosto muito de conhecer o mundo através dos livros e dos filmes..adoro conversar, ouvir música.