O que é Leishmaniose ?

A leishmaniose é uma doença de manifestação cutânea ou visceral. É transmitida ao homem , cães e gatos.  

No homem sua transmissão ocorre através da picada do mosquito popularmente chamado de mosquito-palha e nos cães e gatos além da picada do mosquito, transmite-se também através do parto (passa de mãe para filho). O filhote nasce contaminado, mas pode não apresentar sintomas. A doença pode se manifestar até 8 anos após o parto.

Importante destacar que a doença não passa por contato, espirro, mordidas e lambidas, por exemplo.

É comum o animal que está com Leishmaniose também apresentar outras doenças, como por exemplo a doença do carrapato (Erliquiose) e a cinomose (no caso de animais entre 6 meses e 3 anos). Para entendermos melhor é só pensarmos em uma guerra na qual há duas tropas ( a tropa da Leishmaniose e atropa da outra doença, por exemplo cinomose). Quando tratamos a tropa da cinomose e tropa da Leishmaniose invade o "terreno". Por este motivo é imprescindível a vacinação do animal duas vezes ao ano, quais sejam: A vacina antirrábica e a polivalente (conhecida como V8 e V10). Vale salientar que é importante que estas vacinas sejam dadas com um mês de diferença.

Quais são os sintomas da Leishmaniose?

São muito variáveis. O cão pode apresentar emagrecimento, perda de pêlos, gânglios inchados, fraqueza, feridas, crescimento exagerado das unhas, úlceras nos olhos e anemia. Também há sintomas nos órgãos internos, como o crescimento de fígado e outras alterações.

Porém alguns destes sintomas são comuns a OUTRAS doenças bem menos graves e bem mais comuns como a sarna e a doença do carrapato. Por isso, um cão que está magro e sem pêlos ou perde peso e está fraco, não está necessariamente com Leishmaniose.

O diagnóstico preciso só pode ser feito por médico veterinário, que combina exames de sangue e clínicos para chegar a uma conclusão.

Sobre o "mosquito" da Leishmaniose:

Seu tamanho equivale a uma ponta de agulha e é 3  vezes menor do que o mosquito da dengue. Somente as fêmeas transmitem a doença porque estas precisam de alimentar de proteína (sugando dos homens, cães e gatos). Os machos se alimentam de seiva de plantas e frutas (cuidado com seus pés de manga, por exemplo). De 100 mosquitos, 80 são machos. A cada 100 fêmeas, somente 2 estão contaminadas.

Ao contrário do que pensamos, estes mosquitos não preferem se alimentar de cães, gatos e do homem, pelo contrário, eles somente os picam por falta de seu alimento predileto: as aves, entretanto estas não manifestam a doença.

Cabe salientar que este mosquito prefere picar o homem ao animal. As doenças são mais presentes em cães e gatos porque estes ficam mais expostos em quitais, chácaras,  fazendas e até mesmo nas ruas. Se você deixar seu cão dormir no seu quarto e você dormir na casinha dele no quintal, tenha certeza que o mosquito vai agradecer, afinal você é mais "saboroso" do que seu animal de estimação.

 Os mosquitos picam os animais nas orelhas, focinhos, patinhas e nos testículos (no caso dos machos). Se seu animal está doente, saiba que o problema não é ele e sim sua casa e seu quintal. 

Se de 100 mosquitos, somente 20 são fêmeas e se destas fêmeas somente 2 provavelmente estão infectadas e se seu animal está infectado, imagine quantos mosquitos existem em sua casa.

É necessário matar o mosquito porque inevitavelmente estes mosquitos que picaram seu animal irão te picar na primeira oportunidade que tiverem. O animal foi somente uma vítima, mas poderia ter sido você ou seus filhos.

Como prevenir os mosquitos?

Primeiramente cabe ressaltar que seu animal de estimação não passará a doença  para sua família e outros animais por contato, espirro, lambidas, mordidas e etc. Somente o mosquito e através do parto a doença será transmitida.

Não adiantará fazer a eutanásia de seu animal porque os mosquitos continuarão a existir.Para acabar com o problema é necessário acabar com o mosquito.

O mosquito-palha gosta de matéria orgânica (lixo, folhagem úmida, restos de comida ou jardim) e ambiente escuro. Portanto limpe seu jardim, sua casa e seus arredores. Usar telas e redes nos locais de dormir de pessoas e cães é muito útil. Se possível permita que seu animal durma dentro de casa ou quartinho fechado/protegido. 

A prevenção mais usual são as coleiras que liberam a substância deltrametrina aos poucos no corpo do animal. Esta substância repele o mosquito e se este insistir em picar o animal, o mosquito morrerá. Desta forma, mesmo se o animal estiver doente, ele não será foco de transmissão. Estas coleiras tem o efeito de 4 meses a 6 meses. Se custo varia de R$ 65,00 a R$ 70,00.

A mesma substância (Deltrametrina) que se encontra na coleira supracitada, é encontrada em outros repelentes, tais como o K-Othrine (sem cheiro) e butox (tem cheiro forte).  Cabe lembrar que a deltrametrina é usada na cabeça das crianças quando estas apresentam piolhos. Outro repelente para cães (não para gatos) é o cipermetrina, encontrado por exemplo no Cipertróide Pour On (oleosa)

K-Othrine:

Custa de R$ 7,00 a R$ 10,00 o vidro com 30 ml. Faça as contas, você gastará cerca de R$ 4,00 por mês se gastar 1 litro por semana.

 Cipertróide Pour On (oleosa):

Um frasco de 2 litros com custa cerca de R$ 20,00. Se você tiver um cão de porte grande, demorará cerca de 12 anos para acabar com este frasco.

Envio em anexo dois materiais explicando como usar estes repelentes.

Banhos com sabão diminuem a eficácia dos produtos, porque eles dependem da oleosidade na pele do animal para funcionarem: Diminua os banhos, substitua os banhos por escovação e/ou use nenhum ou menos sabão. Após os banhos repita a aplicação dos repelentes (sempre ao anoitecer e contra o vento).

Existe vacina para cães?

Sim. É chamada de vacina Leishmune e protege entre 80% e 95%, mas é necessário que repelentes ainda sejam usados.

Antes de se dar a vacina é necessário que seja feito exame clínico e laboratorial para detectar que o cão não está soropositivo. Após o exame, caso não seja soropositivo, serão dadas três doses sucessivas da vacina com 21 dias de intervalo entre cada uma.

 

Observação final e imprescindível:

A constituição, que está acima de qualquer outra legislação ou portaria, prevê que sua casa é inviolável (Art 5º, inciso XI: A casa é asilo inviolável do indivíduo, ninguém nela podendo penetrar sem consentimento do morador, salvo em caso de flagrante delito ou desastre, ou para prestar socorro, ou, durante o dia, por determinação judicial), portanto é sua escolha permitir ou não que os agentes de saúde entrem em sua casa e coletem sangue de seu animal ( caso você permita, exija que seja usada uma agulha nova para cada a animal e que esta seja descartada na sua frente). Caso o exame dê soropositivo os agentes NÃO podem levar seu animal sem sua autorização. O STJ decidiu a favor de uma Ação Civil pública no Mato Grosso do Sul que animais só podem ser mortos após a realização de prova e contra-provaA decisão de fazer a eutanásia é do proprietário, mas esta só é indicada quando um veterinário de experiência informe que o caso é gravíssimo e o tratamento já chegou muito tarde. Lembre-se que há tratamento e que não custa caro (cerca de R$ 30,00 por mês para cães de porte médio). Se a eutanásia for a última solução certifique-se que haverá procedimento anestésico, individual e livre de estresse ao animal.


 Agnes Nääs

Agnes Nääs é Servidora Pública Federal. Autora da fan page Amor de Bicho-MS. 

Ex radialista da Rádio Ataláia de Campo Grande-MS, na qual era responsável pelas matérias destinadas à saúde animal, prevenções de doenças e posse responsável.

Desde criança é apaixonada por animais, mas somente quando se mudou para Campo Grande-MS teve contato com outros protetores, veterinários e autoridades do ramo da saúde animal.