Qualidade total e o empregado doméstico

Olá Pessoal, esta semana vamos falar um pouco sobre o perfil da nova dona de casa e da qualidade dos serviços do trabalhador doméstico. Em vias de regras, Qualidade Total é um assunto para grandes empresas aplicarem em seus produtos, serviços e atendimentos. Os serviços prestados pelos profissionais domésticos, desde seus primórdios, nunca foram vistos com tal importância. Em geral, essas pessoas eram analfabetas e seguiam com os serviços exatamente como lhes eram passados. No entanto, Qualidade Total pode, sim, ser abordada dentro de um contexto do serviço doméstico.

O Perfil da Nova Dona de Casa

Há muito tempo as mulheres deixaram de ser somente donas de casa. Hoje elas estão no comando de grandes empresas e grandes países. Com a inclusão da mulher no mercado de trabalho, a renda familiar aumentou e consequentemente a estrutura habitacional também mudou, ou seja, as casas aumentaram muito o metro quadrado da área construída e essa mesma dona de casa já não tem o mesmo perfil daquela que ensinava tudo para suas funcionárias, pois estas estão em busca de crescimento profissional e, muitas vezes, não é somente pela falta de tempo, mas também pela falta de conhecimentos técnicos de como administrar o novo padrão de casas brasileiras.

A realidade dos lares brasileiros está passando por grandes transformações, dada à vida agitada que as donas de casa têm levado: trabalho, academia, filhos, especializações, mestrado, etc. Aumentou a preocupação com o nível de profissional que elas colocam dentro de suas residências, qual o conhecimento que esse profissional tem para cuidar e administrar o patrimônio da família e qual o conhecimento que ele tem para cuidar do “bem maior” que são os filhos.

O fundamental para uma dona de casa moderna é que seu profissional seja capacitado e tenha muito bem definido em seu conhecimento de trabalho doméstico o que é arrumar, o que é organizar e o que é administrar uma residência, pois, isso vai muito além de lavar, passar e cozinhar.

Antigamente, as donas de casa não trabalhavam fora e tinham tempo de, elas mesmas, orientarem suas profissionais de como deveriam arrumar suas residências. Devido a fatores como a inclusão das mulheres no mercado de trabalho, a evolução cada vez mais acelerada da tecnologia em todos os campos e o distanciamento entre as realidades dos lares brasileiros, aumentou consideravelmente a busca por profissionais capacitados.

Devido à violência nas ruas e o trânsito cada vez mais congestionado, as pessoas estão buscando cada vez mais conforto e comodidade dentro do próprio lar. É comum que aconteçam reuniões de negócios, com familiares ou com amigos no aconchego do lar. A estrutura das casas modernas é configurada com espaço gourmet, salão de jogos, cinemas – os chamados home theaters – academias, etc.

O Perfil do Profissional de Residência do Século XXI

Assim como todo profissional de qualquer que seja o setor de atuação deve se especializar e se capacitar para melhor atender a exigência de mercado, com os empregados domésticos não poderia ser diferente.

A maneira eficaz para que o profissional de residência atenda a nova demanda de mercado é se capacitando, onde ele primeiramente irá conhecer a importância de ser um profissional de residência, depois, as novas técnicas, novos produtos e equipamentos existentes no mercado que são fortes aliados no dia a dia dos afazeres domésticos.

Há algum tempo, ser empregado doméstico era quase que a única opção para quem não tinha estudos. Era comum, quando criança, ouvirmos nossas mães chamarem nossas atenções com a seguinte frase.

“Se você não estudar, o único emprego que vai conseguir quando crescer é de empregada doméstica”. E não é difícil encontrarmos pessoas que hoje são profissionais de residência dizendo que se tivessem escutado o conselho da mãe e estudado, hoje não seria empregado doméstico.

Felizmente as coisas estão mudando, haja vista a nova lei que está em estudo no congresso para a inclusão de benefícios para a classe trabalhadora doméstica.

Hoje, a necessidade do mercado é que o profissional de residência seja alfabetizado, tenha noções de informática e até carteira de habilitação, pois a grande maioria dos empregadores está dando cada vez mais autonomia para os seus profissionais domésticos. Ou seja, o serviço em uma residência está além do lavar, passar e cozinhar. Esse trabalhador, muitas vezes, é quem faz a lista e a compra do mês para a casa – as grandes redes de supermercados já trabalham com sistema delivery –, negocia com prestadores de serviços para pequenas manutenções na residência, entre outros.

Bem, depois de sabermos um pouco mais sobre o perfil da nova dona de casa e de seus colaboradores, deixo aqui mais uma dica, ou seja.

Você sabe como contratar seu colaborador do lar?

Segue a dica:

Tenham todos, uma ótima semana!

Adinalva Ruggeri

Consultora em Organização e Personal Organizar

19 99604 3744

E-mail: adinalva@housekeeping.com.br

Site: www.housekeeping.com.br

Fan Page: adinalvaruggeri

 

 adinalva ruggeri

Adinalva Ruggeri é Consultora em Organização de Ambientes e Personal Organizer, formada em Relações Públicas pela PUC-Campinas, pós-graduada em Administração e Marketing pela USF e em Gestão de Pessoas pelo INPG. Trabalhei durante 18 (dezoito) anos no ramo de Telecomunicações transitando pelas áreas de Logística, Comercial e Atendimento ao Cliente, no comando de equipes de alta performance voltadas para resultados. Desde 2005 me dedico ao trabalho e pesquisa na área de Consultoria em Organização de Ambientes, atuando nas cidades de Campinas, Americana, São Paulo, Brasilia, Valinhos, entre outras. Também ministro cursos e palestras sobre Organização e Qualidade de Vida, tanto na área residencial quanto na empresarial.