Xingu, o paraíso perdido

Xingu, o paraíso perdido

06/09/13 - Fernando Fragoso

Na coluna de hoje resolvi fazer algo diferente. Ao invés de escrever sobre o Xingu, relatando os bons (e inesquecíveis) momentos que vivi com os índios Kamayurá, vou apresentar algumas fotos, registradas em 2010, durante minha visita ao Parque Nacional.

Fui convidado a registrar o festival de luta Huka-Huka e também o Kuarup, um ritual sagrado, ambos realizados na Aldeia Kalapalo. Preparativos, pintura corporal, barcos, caminhadas, fogueiras, acampamentos, cenas que ficarão gravadas na minha mente para sempre.

Considero um privilégio ter vivido essa experiência. Foi a oportunidade de realizar um sonho de criança. Lá estava eu, entre os “selvagens”: corpos nús, simplicidade, natureza, respeito, alegria...  

Enquanto nas cidades nos cercamos de grades e portões, com a sensação de segurança em condomínios fechados, os índios vivem livres, a beira de uma bela lagoa, sem estresse, ilusões do ego ou consumismo. Todos tem seu valor, todos se ajudam. A comunidade vive em harmonia e união.

Infelizmente, os índios estão abandonados, faz tempo. Sem assistência, sem medicamentos (Funai, o quê?). Muitos são marginalizados e não recebem o devido respeito. Povo pacífico, de grande sabedoria e uma sensibilidade incrível.

Assista ao vídeo e reflita. O Brasil na sua essência, nossas raízes. Temos muito o que aprender. E preservar!

 


 fernando fragoso

Fernando Fragoso - Estudou jornalismo na PUC-Campinas e trabalhou como repórter fotográfico e editor de site. Especializado em esportes e viagens. Em seu currículo tem mais de 100 competições e 22 países visitados. Atualmente, tem se dedicado aos desenhos e ilustrações, além de dar aulas de inglês no Cambuí. Contato: info@fernandofragoso.com