Ópera “Don Giovanni”, de Mozart, marca pré-estreia dos 50 anos da Unicamp, com apresentações no Theatro de Paulínia, dias 30 de setembro e 1 de outubro; entrada gratuita

Participações da Sinfônica da Unicamp, Ópera Estúdio e Coro Contemporâneo de Campinas; regência de Abel Rocha

 

Para marcar a pré-abertura dos 50 anos da Universidade Estadual de Campinas, a Orquestra Sinfônica da Unicamp e a Ópera Estúdio apresentam a emblemática ópera “Don Giovanni”, de W. A. Mozart (1756/1791), no Theatro Municipal de Paulínia, nos dias 30 de setembro e 1º de outubro. A entrada é gratuita.

A montagem tem direção musical e regência do maestro Abel Rocha (titular da Orquestra Sinfônica de Santo André ), direção cênica de Matteo Bonfitto (professor do Departamento de Artes Cênicas do Instituto de Artes da Unicamp), e coordenação de Angelo Fernandes (diretor do Ópera Estúdio).

“Don Giovanni” conta, ainda, com o Coro Contemporâneo de Campinas, do Instituto de Artes da Unicamp, regido por Angelo Fernandes, formado por 40 alunos de graduação e pós-graduação em Música. 

O elenco reúne os cantores Willian Donizetti, Volnei dos Santos, Raíssa Amaral, Daniel Duarte, Susana Boccato, Fernando Barreto, Ana Beatriz Machado e Raphael Domeniche.

 

Desordem dos afetos

Com música de Mozart e libreto de Lorenzo da Ponte, “Don Giovanni” (o nome remete ao personagem conhecido na literatura como Don Juan) é uma peça sobre a desordem dos afetos.

Os personagens vagam num mundo afogado em emoções e desejos violentos, tendo como tema central o “don juanismo” clássico na psicologia moral como símbolo do enlouquecimento do desejo. 

No final do século 18, a Revolução Francesa está às portas da Europa. A peça foi muitas vezes apontada como sendo “pró-revolução”, a favor do novo espírito da época, de questionamento da ordem aristocrática, principalmente por meio da figura do criado de Don Giovanni, Leporello, um homem ressentido e revoltado com seu mestre, que reclama todo o tempo de sua “vida de escravo”. 

Neste campo dos humores da alma, seus afetos, desejos e vontades, Don Giovanni se insere numa longa reflexão acerca da psicologia moral. Ele é um homem dominado pelo desejo e incapaz de pôr limites racionais à sua compulsão de possuir uma mulher após a outra. Esta compulsão de um desejo que se repete infinitamente, o leva à destruição, assim como a uma quase destruição das mulheres sobre quem ele exerce seu domínio sedutor.

“Don Giovanni” faz parte da série de montagens realizadas pelo Ópera Estúdio em parceria com a Orquestra da Unicamp, que resultou nas produções "La Clemenza di Tito", "A Flauta Mágica", "As Bodas de Fígaro", de Mozart,  e "Dido & Aeneas", de Purcell. “Este trabalho tem proporcionado aos alunos de canto do Instituto de Artes/Unicamp um grande desenvolvimento técnico vocal e cênico-musical, além de criar possibilidades de pesquisa para pós-graduandos do programa de pós-graduação em música”, destaca o professor Angelo Fernandes. 

Serviço

Ópera “Don Giovanni”, de W. A. Mozart

Com: Orquestra Sinfônica da Unicamp/Ópera Estúdio/Coro

Contemporâneo de Campinas.


Regência e direção artística: Abel rocha

Direção cênica de Matteo Bonfitto

Coordenador do projeto: Angelo Fernandes

Elenco:

Willian Donizetti (barítono, no papel de Don Giovanni)

Volnei dos Santos (barítono, no papel de Leporello)

Raíssa Amaral (soprano, no papel de Donna Anna)

Daniel Duarte (tenor, no papel de Don Ottavio)

Susana Boccato (soprano, no papel de Donna Elvira)

Fernando Barreto (barítono, no papel de Masetto)

Ana Beatriz Machado (soprano, no papel de Zerlina)

Raphael Domeniche (baixo, no papel de Comendador)

 

Quando: 30 de setembro (quarta) e 1º de outubro (quinta)

Horário: 20h

Local: Theatro Municipal de Paulínia (Rod. José Lozano Araújo, 1551 - Parque Brasil 500, Paulínia – SP). Telefone: (19) 3933-2140.

Entrada gratuita.

 Assessoria de Imprensa

Maria Claudia Miguel (Cacau)

(19) 99743.2142