Hollywood (na Califórnia/USA) – A magia da “Terra do Cinema” - Coluna Viagem por Grá Vulcano

Oi gente!!!

Hoje vou falar um pouquinho sobre minha experiência em HOLLYWOOD, distrito da cidade de Los Angeles, na Califórnia, que fez parte de uma viagem incrível em agosto de 2010 que fiz com mais duas amigas.

Hollywood é famosa pelo cinema, pelo “glamour” da festa anual do Oscar, e por toda a atmosfera que envolve as histórias e mistérios de astros e estrelas.

Por essas razões, sempre tive vontade de ficar hospedada em Hollywood quando eu fosse a Los Angeles. Queria me sentir “inserida” nessa nuvem de magia e suposto “glamour” por alguns dias!!!  #ARhyca rsrsrs...

Assim, reservamos um hotel em Hollywood mesmo (não me lembro do nome dele pois já são quase 7 anos!!rs...), mas era um hotel bom, com café da manhã incluso, estacionamento no local, bem nos parâmetros de hotel americano.

Obviamente que, em nosso primeiro dia na terra do cinema, já quisemos fazer TUDO o que um turista gostaria de fazer estando lá.

Começamos pelo famoso letreiro escrito “HOLLYWOOD” em letras garrafais, já visto tantas vezes em filmes, propagandas de televisão, outdoors e fotos espalhadas pelo mundo todo.

O letreiro é chamado de Hollywood Sign, e está localizado no Mont Lee, considerado um lindo ponto turístico e também símbolo da cidade.

Todos os turistas que vão a Hollywood sonham em tirar fotos com o letreiro.

DICA:

Abaixo estão alguns dos melhores endereços para se conseguir uma foto legal com o Hollywood Sign:
- 2613 N Beachwood Dr – Los Angeles, CA 90068
-3400 N Beachwood Dr – Los Angeles, CA 90068
-3000 Canyon Lake Drive
-6113 Mulholland Hwy

Se você estiver de carro, é só colocar o endereço desejado no GPS e escolher o melhor ângulo!!

Mas, caso você esteja fazendo o passeio com algum guia turístico ou ônibus turístico, com certeza a parada para a foto com o Hollywood Sign já estará no roteiro. Não se preocupe!!

Depois dos nossos clicks com o letreiro, seguimos para a famosa HOLLYWOOD BOULEVARD, a principal e mais visitada avenida de lá.

Isso porque é nela que se concentram tudo o que mais desejamos conhecer em Hollywood: a Calçada da Fama, o Teatro Chinês e Dolby Theatre (onde acontece a cerimônia do Oscar).

Sobre a Calçada da Fama, eu tinha uma “missão” em mente: tirar uma foto com a estrela de Mark Wahlberg (irmão do meu amado Donnie Wahlberg, do New Kids on the Block, já que, como eu fui em 2010 os NKOTB ainda não tinham sua estrela lá na Calçada da Fama. Mas hoje eles já tem, desde 2013, então preciso voltar e tirar com ela também!!!rsrs).

Mas, voltando à Calçada da Fama, ela é a passagem de pedestres mais conhecida em todo o mundo, onde astros do cinema, rádio, televisão, teatro e música são homenageados com estrelas no piso, com seu nome escrito nela.

Vários quarteirões da Hollywood Boulevard e alguns outros poucos da Vine Street têm impressos no chão mais de 2.400 celebridades.

Os nomes homenageados vão desde Mickey Mouse a Elvis Presley, passando por Tom Cruise, Michael Jackson, Charlie Chaplin, e até a nossa brasileiríssima Carmem Miranda!

Conforme vamos andando ao longo dela, vamos literalmente “pisando” sobre tantos nomes famosos! É realmente muito legal e interessante saber que estamos em local onde tantos e tantos famosos já andaram e onde ficarão eternizados para sempre.

DICA:

Para saber onde está a estrela de seu astro favorito, basta clicar nesse link http://www.walkoffame.com/starfinder (que faz parte do site oficial Walk of Fame), e ele lhe dará o endereço do imóvel mais próximo à estrela que você procura.

E, já que o assunto são os astros de Hollywood, outro local obrigatório para fotos e possível visitação é o DOLBY THEATRE, onde acontece a cerimônia anual do OSCAR!!!

Quando estive lá em 2010, ele ainda era chamado de KODAK THEATRE (como verão nas minhas fotos), mas, em 2013, seu nome mudou para o atual Dolby Theatre.

A Kodak pagava mais de 3,6 milhões de dólares por ano para ter sua marca como nome deste teatro. Mas, certamente, a Dolby ofereceu bem mais para “roubar” o título do teatro do Oscar para ela! Rs...

O Dolby Theatre está localizado dentro do shopping center “Hollywood & Highland Center”, ao lado dos outros grandes pontos de visitação como o Calçada da Fama e o Teatro Chinês.

DICA:

O teatro oferece um passeio chamado Dolby Theatre Tour, no qual você pode visitar o local onde acontece a cerimônia do Oscar. O passeio acontece todos os dias, a cada 30 minutos. Esta é uma oportunidade super bacana de conhecer este lugar tão incrível e famoso em Hollywood!!! Masssssss, não lembro por qual motivo, nós não fizemos esse tour e confesso que me arrependo até hoje!!! Mais um motivo para voltar então!!!

Na sequência fomos conhecer o Grauman’s Chinese Theatre, ou TEATRO CHINÊS, como chamamos aqui no Brasil.

Localizado bem ao lado do Dolby Theatre, é um dos cinemas mais importantes do mundo já foi palco de três entregas do Oscar no passado e de muitas premières históricas, contando com a presença de atores, atrizes e diretores como Carmen Miranda, Woody Allen, Tom Hanks e Steven Spielberg.

A visitação é grátis (a não ser que você queira assistir um dos filmes em cartaz).

Sua fachada chama atenção por parecer a entrada de uma construção chinesa. É muitooo bonita!!!

Uma das curiosidades do Teatro Chinês são as cerimônias de impressão de marcas no chão. Celebridades como Marilyn Monroe (entre tantos outros), deixaram nela seus autógrafos, pegadas ou mãos.

Vale a pena fazer um tour de 20 minutos por seu elegante interior!!! Esse tour nós fizemos!!!rsrsrs...

Lembro que nos arredores da Hollywood Boulevard você também irá encontrar muitasssss lojas de souvenires relacionados a cinema e astros, restaurantes, bares, lojas de roupas e acessórios e uma infinidade de pessoas indo e vindo pelas ruas, calçadas e avenidas!

Nada que não esperaríamos de um dos locais mais visitados na Califórnia né?

Mas enfim, no geral, adorei o passeio nesses pontos turísticos de Hollywood!

Confesso que esperava um pouco mais de luzes, cores e glamour (assim como vi em Las Vegas), mas acho que isso é culpa da nossa linda cabecinha que “viaja” às vezes em idéias!rs...

Hollywood oferece muitos outros passeios e atrações, mas, quis relatar aqui, os que foram mais relevantes e interessantes para nós, por serem os mais famosos!

Uma última curiosidade que lembrei agora e que me chamava atenção em Hollywood, é que, todas as vezes em que passeávamos de carro pelas ruas, víamos sempre uma grande quantidade de consultórios odontológicos especializados em estética dental. Praticamente um em cada quarteirão!!

Talvez isso tenha relação com a indústria do cinema e em como os astros e estrelas desejam parecer cada vez mais esteticamente melhores e mais apresentáveis na telona no decorrer dos anos... não sei...mas eu, como dentista, não poderia deixar de reparar nisso!! Rs...

Espero que tenham “viajado” um pouquinho comigo para a “Terra do Cinema”, e até o próximo post!!

Bjo, bjo, bjo...

Grá Vulcano

Graziella Vulcano

Coluna Viagem

 

Dentista formada pela PUC de Campinas em 1998 e dona da “Pink Honey Pães de Mel”, criada por ela em 2011. Uma grande e eterna amante de viagens pelo mundo a fora!! Instagram: @gravulcanodicasviagens  Contato: gragravc@hotmail.com / pinkhoneypaodemel@hotmail.com

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Füssen e o “Castelo de Neuschwanstein”, na Alemanha - ”Inspiração para Cinderela” - Coluna Viagem por Grá Vulcano

Oi gente!!!

Hoje vou falar um pouquinho sobre a minha visita a FÜSSEN, ao sul da Alemanha, Estado da Baviera, duas horas de trem de Munique, onde fui passar o dia.

É uma cidadezinha muito charmosa e que faz parte do roteiro de praticamente todas as pessoas que vão ao sul da Alemanha, por possuir o famoso Castelo de Neuschwanstein em seus arredores.

Ele é simplesmente M A R A V I L H O S O!!!!! Um verdadeiro castelo de contos de fadas que serviu de idéia para diversas locações de obras de ficção, mas, a mais famosa delas, foi por ter servido de inspiração para o Castelo da Cinderela, da Disney.

Vou falar um pouco mais dele já já!!

Estava hospedada em Munique, e, passar um dia em Füssen, já estava nos planos desde o começo! Seria um “bate e volta” de trem, mas valeria muito a pena, por tudo o que já tinha lido e ouvido falar sobre lá.

Sabia que não haveria tempo suficiente para conhecer toda a cidadezinha e seus pontos de interesse, mas, como o foco principal era conhecer o Castelo de Neuschwanstein mesmo, então ok!!

Saindo da Estação Central de Munique, peguei um trem (que sempre sai da “Plataforma 29”, quase no final da estação), e que vai até a pequena Füssen. Essa viagem de trem tem duração de duas horas e, nesse trajeto, tive o prazer de contemplar as paisagens mais lindas da vida!!!

Chegando a estação de Füssen, há ainda mais um trecho até a bilheteria do castelo, e que deve ser feito de ônibus. Esse ônibus é de número 78, e ele para do lado de fora dessa estação.

Na hora, parecia meio complicado e dava até medo de ficar “perdida na Baviera”, sem falar uma única sílaba de alemão, e onde eles falavam um inglês meio esquisito!! (PÂNICO TOTAL!!! rsrs...)

Mas, no final, tudo acabou dando certo!!! Foi só seguir o fluxo de pessoas andando e pronto! Cheguei ao lugar certo!!! Ufaaa!! Rsrs... (No caso, o “lugar certo” era a bilheteria do castelo... então... BINGO!!!)

Da entrada para a bilheteria já se conseguia avistar um pouquinho do castelo lá em cima!!! Lindo!!

Dependendo da época do ano em que for visitar o castelo, vale a pena comprar o ingresso antecipadamente para evitar as filas da bilheteria (que são enormes), e onde se reserva o horário de entrada nele e seu tour guiado.

OBS 1:

Os ingressos para o Castelo de Neuschwanstein custam $ 12,00 euros por pessoa (ingresso normal). Estudantes e idosos pagam $ 11,00 euros. Crianças não pagam.

É um tour guiado de meia hora, com várias opções de línguas, incluindo o português de Portugal. (Ebaaaaa!!!!!  Rsrs...)

Após adquirir o tal ingresso na bilheteria, começa-se então a “saga” de subir até onde o castelo está.

Quando a temperatura é mais amena, a maioria das pessoas encara a subida a pé mesmo, como eu fiz. São uns 40 minutos de subida moderada. (Ótimo exercício para quem já estava sem malhar há alguns dias!! Rs...)

Mas calma!!! Rs... também existe a opção de fazer essa subida de charrete ou ônibus.

Chegando a área do castelo, fiquei esperando ali a sua volta, até o horário em que estava reservado o meu tour, apreciando sua beleza externa.

A espera acabou sendo muito prazerosa, pois o dia estava lindo e não estava muito frio. Aproveitei para tirar fotos e curtir a espetacular paisagem daquela divisa entre Alemanha e Áustria, e seus Alpes maravilhosos! (a Áustria está há praticamente 5 km de lá).

Falando um pouco mais agora sobre o Castelo de Neuschwanstein, já mencionei anteriormente que ele serviu de inspiração para o castelo da Cinderela na Disney!

Como vocês já sabem e me conhecem escrevendo meus blogs, não sou muito de entrar aqui nos detalhes históricos das minhas visitas, pois sei que a maioria não lê! Rs...

Mas, só para dar uma “resumida”, esse castelo é um dos mais famosos do mundo, e também um cartão-postal da Alemanha!

Desenhado não por um arquiteto, mas sim por um desenhista de cenários teatrais, isso explica um pouco a aparência fantástica que ele possui.

Seu interior é magnífico e cada ala foi desenhada como um cenário!!

Como não pode ser fotografado por dentro, selecionei algumas fotos que achei na internet apenas para vocês terem uma idéia da beleza interna dele.

Massssssssss, a melhor vista do castelo e as melhoras fotos dele são conseguidas estando na Ponte Marienbrücke!!!

É uma ponte super “fotogênica”, que permite tirar fotos panorâmicas do castelo e da região. Para chegar até ela, você deve fazer uma pequena caminhada que vale a pena!!

Como toda boa “Lei de Murf” (rsrs), infelizmente, durante a minha visita, a ponte estava FECHADA para reforma, e só reabriria no ano seguinte... buáaaa

Apenas consegui avistar a tal ponte das janelas do castelo, enquanto estava dentro dele, e pude ter uma idéia de quantas fotos maravilhosas eu estava perdendo!! Rs.... (buáaa de novo)

Abaixo, uma imagem da ponte via internet, para vocês terem uma idéia a que estou me referindo!!! Rs...

Enfim, foi uma visita maravilhosa, em um local estonteante...

Quando saí do castelo, novamente a pé, mas agora descendo... a fome bateu!!!

Havia um lugar que vendia algumas coisinhas para os turistas comerem e beberem... e eu, que nessa viagem me tornei mais fã da comida alemã, não resisti a um belo sanduíche de salsicha típica deles!!! Divino!!!

Foi uma experiência maravilhosa, conhecendo um lugar incrível e um castelo espetacular!!!

Valeu a pena por tudo... sem dizer a paisagem que parecia ter sido pintada a mão, com que fui presenteada naquele dia!! Presente de Deus!!

OBS 2:

Na região existe também o Castelo Hohenschwangau (só Deus sabe como se fala isso!! rsrs), e um museu.

São muito bonitos, interessantes e merecem uma visita! Mas, como eu disse lá no começo, nós não teríamos tempo suficiente para conhecermos tudo. Então, demos prioridade mesmo ao Castelo de Neuschwanstein, por ser mais famoso.

Agora, caso você tenha mais tempo e puder se hospedar uma noite em Füssen, vale a pena também. Pois além de poder fazer mais algumas visitas a lugares turísticos locais, a cidadezinha oferece charmosos hotéis e restaurantes.

 Por hoje é isso gente!

Espero que tenham gostado e até o próximo post!!!

Bjo, bjo, bjo...

Grá Vulcano

Graziella Vulcano

Coluna Viagem

 

Dentista formada pela PUC de Campinas em 1998 e dona da “Pink Honey Pães de Mel”, criada por ela em 2011. Uma grande e eterna amante de viagens pelo mundo a fora!! Instagram: @gravulcanodicasviagens  Contato: gragravc@hotmail.com / pinkhoneypaodemel@hotmail.com

 

 

 

 

 

 

 

 

“Cruzeiro de Navio.... vale a pena??” Coluna Viagem por Grá Vulcano

Oi gente!! Hoje vou falar um pouquinho sobre a minha experiência em CRUZEIROS DE NAVIO.

Muitas pessoas ficam em dúvida se vale mesmo a pena, se irão gostar de sentirem-se meio “presas” dentro de um meio de transporte às vezes por muitos dias, se terão enjoos, se o navio vai balançar muito, etc...

Todas essas dúvidas são comuns e não existe uma resposta simplesmente “sim” ou “não”.

Isso vai depender muito de cada pessoa, da sua saúde em particular, do tempo da viagem, do trajeto, do tamanho do navio e muitas vezes até da Companhia de Navio escolhida.

Eu já fiz quatro cruzeiros de navio (três internacionais: Caribe, Caribe de novo e América do Sul), e um nacional, e confesso que, no meu caso, a diferença do nacional para os internacionais foi enorme em vários aspectos.

Não que os internacionais sejam melhores que os nacionais (existem muitos navios que fazem as rotas nacionais e que são ótimos, e muitos que fazem as rotas internacionais e que não são tão bons assim), mas, como citei acima, no meu caso, as minhas experiências nas rotas internacionais foram bem mais agradáveis, especialmente no Caribe.

Meus quatro cruzeiros foram todos muito divertidos!!!

Cada um tinha uma proposta diferente (dois deles foram cruzeiros temáticos de artistas internacionais, um deles foi um cruzeiro de reveillon e o outro somente de passeio mesmo).

Isso implicou diretamente nos diferentes custos deles também.

Cruzeiros internacionais, saindo de outros países, acabam sendo caros. Inclusive para nós, meros mortais brasileiros (que ganham em reais), pois, além do navio, ainda temos que gastar com passagem aérea internacional até o país de saída do navio, hotel e alimentação.

No meu caso, além de tudo isso, os navios ainda eram temáticos de artistas internacionais, então foi uma verdadeira fortuna mesmo, por apenas quatro noites de cruzeiro... (mas valeu super a pena!!!).

Ok, ok!!! Para os curiosos... rsrsrs

Meus dois cruzeiros no Caribe foram com os New Kids on the Block, meus ídolos da vida toda!!! Hehehe.

(Sim eles ainda existem! Sim eles voltaram em 2008! Sim eles ainda fazem sucesso! Sim eles estão em turnê pelos EUA nesse exato momento! Rsrs...).

Cruzeiro de réveillon também costuma ser bem mais caro do que em outras épocas do ano.

O meu saiu de Santos e foi até Buenos Aires, passando por Montevidéu e Punta Del Este, no Uruguai. (compramos excursões no navio para visitarmos esses lugares, que contarei em posts futuros).

Foi uma viagem maravilhosa com a minha família!!!

Mas confesso que esperávamos mais da “noite de reveillon”... achei um pouco bagunçado e tumultuado na hora da virada...mas valeu a experiência e a diversão!!!

O outro cruzeiro que fiz foi totalmente nacional, saindo de Santos e indo até Florianópolis, com familiares e amigos. Esse foi o meu primeiro, bem mais rápido, mas muito divertido também.

Eu, particularmente, adoro esse tipo de viagem em cruzeiros, e acho um super custo-benefício!

 Isso porque conseguimos reunir alimentação, dormitório e lazer em um único lugar, sem precisar pegar carro, sem preocupação de sair pra comer e aonde iremos comer e sem gastar mais quase nada (se não quiser) além do que você já pagou no seu pacote.

Mesmo que você desça para fazer passeios e excursões fora do navio, sabe que vai poder voltar para dormir e fazer suas refeições a bordo, portanto, sem custo em terra se não quiser.

Os navios apresentam diferentes tipos de cabines. Umas bem menores e sem janelas, outras maiores e com varandas, outras tipo suítes e enormes... para todos os tipos de gostos e bolsos.

E, por falar em cabines, diariamente recebíamos dentro dela uma programação dos eventos e atividades daquele dia, que contava sempre com “Noites Temáticas”, e todos entrávamos no “clima” da festa. Muito divertido!!!

Quanto às refeições, navio é um lugar que podemos comer o dia inteiro se quisermos!!rs...

Existem sempre uns dois restaurantes maiores, onde café da manhã, almoço e jantar já estão inclusos em nosso pacote, e outros restaurantes menores e específicos (japonês, tailandês, etc), que são pagos a parte e precisam de reserva.

Sempre tem um restaurante principal que funciona quase que o dia inteiro, onde encontramos uma variedade enormeeeeeeee com muitos tipos de comidas diferentes para todos os gostos e etnias.

Para os “esfomeados da madrugada” (rsrs), já tive nos meus navios um local que servia pizzas e lanches até o sol raiar... tudo incluso!!!

As bebidas é que precisamos ficar mais atentos, pois depende muito de cada navio.

Em alguns elas já são todas inclusas (alcoólicas e não alcoólicas), em outros, apenas algumas estão inclusas e nenhuma é alcoólica e em outros ainda, você compra um “pacote de bebidas” avulso, que tem várias opções e preços.

Todos os cruzeiros que eu fiz apresentavam muitas atividades, lazer e entretenimento dia e noite (e na madrugada também.. rs), e alguns pareciam verdadeiras “cidades”!!!

 Salas de jogos, piscinas, tobogãs de água, teatro, academia de ginástica, boate, diversos bares internos e externos, boliche, cinema, spa , etc...eram apenas algumas das maravilhas encontradas neles.

Acho que inclusive, essa é uma das melhores partes em se estar dentro de um cruzeiro!!!

OBSERVAÇÃO IMPORTANTE:

Eu, graças a Deus, nunca passei mal em nenhum dos meus quatro cruzeiros, nem tive enjoos nem nada... mas sempre é bom levarmos uma “farmacinha” conosco com medicações para tudo isso se necessário.

No navio, você sempre encontra uma ala para atendimentos médicos se precisar.

O problema é que, muitas vezes, esse serviço será pago lá dentro, mesmo que você tenha feito um seguro de saúde, como aconteceu com um membro da minha família.

Foi cobrado dele uma fortuna para aferirem sua pressão (uma coisa tão simples e rotineira), mesmo ele tendo feito o seguro de saúde para viajar.

Portantoooo.... tirem todas as dúvidas na agência onde fecharem o seu pacote de navio e seguro de saúde, e vejam certinho o que ele cobre e não cobre, para não ter uma surpresa na hora, como nós tivemos!!!

Por hoje é isso então gente!!!

Espero que tenham gostado do relato “bem geral” sobre os meus cruzeiros e, quem não fez ainda, faça quando tiver uma oportunidade... vale a pena a experiência!

Bjo, bjo, bjo...

Grá Vulcano

Graziella Vulcano

Coluna Viagem

 

Dentista formada pela PUC de Campinas em 1998 e dona da “Pink Honey Pães de Mel”, criada por ela em 2011. Uma grande e eterna amante de viagens pelo mundo a fora!! Instagram: @gravulcanodicasviagens  Contato: gragravc@hotmail.com / pinkhoneypaodemel@hotmail.com

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

VENEZA na Itália – “Um cartão-postal pintado à mão” - Coluna Viagem por Grá Vulcano

Oi gente!!

Já estava mais do que na hora de eu escrever um pouco sobre a maravilhosa Itália, afinal, como neta de italianos tanto do lado de pai quanto de mãe (sou meio calabresa e meio napolitana... praticamente um recheio de pizza!!! Hahaha), tem horas que nossas raízes gritam dentro da gente e precisamos expressar isso de alguma forma.

Hoje vou contar um pouquinho sobre a minha experiência na espetacular VENEZA, que tive o prazer de visitar em 2009, com a minha irmã Tatianna (que, diga-se de passagem, é um verdadeiro “guia de bolso” ambulante, juro!!! Rs... se tudo o mais falhasse em sua carreira como médica oftalmologista, ela poderia ser facilmente uma guia turística, pois, viajar com os roteiros que ela sempre monta pra gente, é ver e ir à lugares que a maioria não vê e não vai!! Top!!!)

image1 (4).JPG

Veneza é uma cidade grande, que possui a maior população idosa de toda a Itália, e é dividida entre “continente” e “ilha”.

Muitas pessoas optam por ficarem hospedadas no continente, em Mestre, por ter hotéis com preços mais baixos, pois os hotéis na ilha de Veneza são, em geral, bem caros.

Masssssss nós, uma vez em Veneza, e, já gastando os tubos nessa Euro Trip 2009 (rsrs), quisemos ficar hospedadas na ilha mesmo e de frente para os canais de preferência!!!  #AchoChique rsrs...

Então, depois de algumas horas de viagem saindo de Londres, nossa maior alegria foi chegar ao hotel, abrir as janelas do quarto, e.... nos depararmos com um canal veneziano bem abaixo de nós!!! (pausa para aquele emoji com cara de “uau”)

Eu só conseguia pensar: “Hello Veneza, chegamos!!!”... Ou, em um bom italiano: “Ciao Venezia! Siamo arrivati!!”.

Saindo todas as manhãs do hotel, cada passo percorrido no caminho era um colírio para os olhos!!

Veneza é uma verdadeira pintura!!! Algo de tirar o fôlego mesmo!! Para qualquer lugar que você olha, depara-se com canais, pontes, escadas, construções com arquitetura típica local... e ainda tivemos a sorte em sermos abençoadas com dias lindos e ensolarados (apesar do frio), para deixar nossa experiência e fotos ainda mais lindas!

Muitas pessoas me perguntam sobre o cheiro dos canais. Confesso que não sentimos cheiro algum. Pode ser pela época do ano em que fomos (no frio a tendência é cheirar menos que no calor). Mas com cheiro ou sem cheiro, Veneza é imperdível!!!

Vale sempre lembrar que dentro da ilha não circulam carros. Os trajetos são feitos sempre a pé ou por transportes aquáticos pelos canais (vaporetto, gôndola, taxi-barco, etc).

DICA: Nós achamos que a forma mais fácil, rápida e “menos cara” (sim, porque tudo em Veneza é relativamente caro) de circular pelos canais e ilhas adjacentes é de Vaporetto. É uma espécie de “balsa coletiva”, custam entre de $ 7,50 e $ 13,00 (Euros) um bilhete simples, dependendo do trajeto. Há terminais de vaporetto em vários pontos da ilha, mas a noite eles circulam em menor quantidade.

Foram 3 dias em Veneza explorando todos os principais pontos turísticos a pé, com a “guia ambulante” Tatianna, que não me deixava descansar nem um pouco!! Rsrs...

Percorremos a ilha totalmente!!! Conhecemos muitas pontes, museus, fomos a praticamente todas as igrejas, canais...

Uma das áreas mais conhecidas e visitadas em Veneza é a área de San Marco, onde se encontra a famosa praça com seu nome e que é rodeada pelo Canal Grande.

É aquela praça enorme, agitada, repleta de cafés, museus, música ao vivo, pombas, e que aparece em todas as fotos de Veneza que você já deve ter visto por aí.

Com a linda vista do Canale di San Marco a frente, nela encontramos também os maravilhosos Palazzo Ducale (Palácio dos Doges), o Campanile e a Basílica San Marco, obrigatórios para uma visita!

Todos imponentes, lindos, imensos, e que contam importantes momentos históricos da cidade, que fora governada pelos Doges (chefes em latim), de 697 a 1797.

Uma vez na Piazza San Marco, não deixe de explorar seus arredores, ver a famosa Ponte dos Suspiros (Ponte dei Sospiri), andar pelas vielas estreitas e admirar a linda vista para o Canale di San Marco.

Foi nessa região que tirei uma das fotos mais lindas da minha vida!!!

O lugar que mais gostei na cidade, além da Piazza San Marco, foi, sem dúvida, os arredores da Ponte Rialto.

É a ponte mais famosa de Veneza, rodeada por cafés, bares, restaurantes e com uma vista espetacular estando nela.

As fotos tiradas nela parecem verdadeiros quadros!!! Algo surreal mesmo!

E foi exatamente aí, em um restaurante bem embaixo da Ponte de Rialto, que eu comi o macarrão mais espetacular da minha vida!!! Um Fettuccine Alfredo E-X-C-E-P-C-I-O-N-A-L!!!!

Juro, nunca comi outro igual na vida! E olha que, como boa neta de italianos e apreciadora de massas, eu já provei muitos por aí... mas, como esse, jamais!!

O restaurante era uma gracinha, com vista para o Canal Grande... foi o que pudemos chamar de um almoço perfeito!!!

Ok, agora podem me matar porque eu não lembro o nome do restaurante!!!rsrsrs ...mas sei que ficava bem embaixo da Ponte Rialto.

Agora vamos falar sobre elas... as GÔNDOLAS!!!

Ahhhh, o que seria de Veneza sem suas lindas gôndolas enfeitadas!!!

Os gondoleiros cantando serenatas em seus trajes típicos pelos canais... tudo muito lindo, muito romântico e... muito caro também!!rsrs...

DICA: Um passeio de gôndola costuma ser tabelado, em torno de US$ 100 por 40 minutos e US$ 150 por uma hora, para a gôndola fretada. . Depois das 19hs as tarifas sobem para US$ 125 e US$ 185, respectivamente. Algumas pessoas também tentam negociar por melhores preços com os gondoleiros que estão espalhados por toda parte. Existe ainda a opção de embarcar nas gôndolas em grupo. Mas daí o negócio do romance (lembra? rsrs ..) meio que perde o sentido, né??rsrs...

Eu e minha irmã optamos por não fazer o passeio de gôndola porque achamos que seria mais “romântico” retornarmos à cidade algum dia com algum ser do sexo masculino e, aí sim, ter essa experiência. Mas isso vai de cada um. Tem gente que não liga!

Mas eu recomendo sim fazer esse passeio! É algo super típico e lindo!!! Inesquecível para quem faz.

Na nossa última manhã livre, antes de seguirmos viagem rumo à Firenze, decidimos fazer um passeio até uma das ilhas adjacentes de Veneza.

Muitos optam por ir até Murano, famosa mundialmente por seus cristais, mas nós decidimos ir até Lido, famosa pelo Festival Internacional de Cinema que acontece sempre em setembro.

Lido é super badalada no verão europeu, com sua praia repleta de fileiras de cabines de banho coloridas e guarda-sóis.

Nós fomos no outono, no frio e vento!! Rs... a praia estava deserta, claro! Mas já pudemos ter uma noção da beleza e agito que deve ser aquele lugar durante a alta temporada!!

DICA LEGAL:

Veneza também é muito conhecida pelo seu CARNAVAL.

Vem daí a tradição das famosas “Máscaras Venezianas”, vendidas em várias lojas na cidade, e que ficaram registradas na história pelos nobres as usarem para saírem às ruas e misturarem-se à multidão.

Se você quiser curtir o Carnaval de Veneza, apesar do frio por lá na época, ele ocorre em meados de fevereiro, com duração de 10 dias. Tem desfiles pela cidade, bailes noturnos, fantasias típicas da época, máscaras e muita alegria. Programe-se!!!

 E isso aí pessoal!!

Veneza realmente é uma cidade única, mágica, inesquecível... e que você, estando lá, não irá se cansar de admirar esse verdadeiro cartão postal pintado à mão!!

Confesso que tive dificuldade em selecionar as fotos para esse post porque tinham tantas tão lindas...

Mas espero que tenham gostado e viajado um pouquinho comigo para lá!!!

Bjo, bjo, bjo...

Grá Vulcano

Graziella Vulcano

Coluna Viagem

 

Dentista formada pela PUC de Campinas em 1998 e dona da “Pink Honey Pães de Mel”, criada por ela em 2011. Uma grande e eterna amante de viagens pelo mundo a fora!! Instagram: @gravulcanodicasviagens

Contato: gragravc@hotmail.com / pinkhoneypaodemel@hotmail.com

 

 

SINTRA em Portugal -“Uma jóia da cultura portuguesa” - Coluna Viagem por Grá Vulcano

Nessa mesma época, há três anos, eu estava curtindo a Semana Santa em Portugal, na casa de meus queridos amigos portugueses Angela e Ricardo, que residem em Queluz, a 15 minutos de Lisboa. (Aliás, em um post futuro, quero escrever sobre o magnífico Palácio de Queluz, um dos lugares mais lindos em que já estive na vida!).

Foi uma semana incrível, repleta de aprendizados sobre a maravilhosa cultura portuguesa e passeios a lugares lindíssimos!! Nada melhor do que explorar um país com nativos locais! Além de excelentes companhias, meus amigos também me receberam em sua casa com o maior carinho, o que fez essa ser uma viagem mais do que especial!

Relembrando abril de 2014, me deu vontade de escrever hoje um post sobre algo de Portugal. Então, mais precisamente, resolvi relatar um pouco sobre a minha experiência em Sintra, um dos lugares que mais gostei!

Para quem curte História, castelos, palácios, ruínas, jardins incríveis, vistas de tirar o fôlego e doces deliciosos, Sintra é um destino ideal!

Se você estiver hospedado em Lisboa, por exemplo, pode fazer um passeio de um dia até Sintra e percorrer sua famosa rota, que inclui lugares imperdíveis como: Centro Histórico, Convento dos Capuchos, Palácio Nacional de Sintra, Castelo dos Mouros e Palácio da Pena (inclui também a Quinta da Regaleira com seu famoso Poço Iniciático, mas infelizmente não conseguimos ir naquele dia porque já iria fechar... mais um motivo para voltar! rs...).

Nossa primeira parada foi o Convento dos Capuchos.

Era um Convento Franciscano, construído no meio da natureza da Serra de Sintra, em 1560, para abrigar 12 monges que viviam em total despojamento e simplicidade.

O local foi abandonado, mas a mata ao redor permanece em pé, como um bom exemplo da floresta primitiva da época.

Eu acho que os Capuchos eram homens bem pequenininhos... o tamanho das portas e janelas eram bem menores do que eu!!! Rs...

Depois do passeio nos Capuchos, nossa próxima parada foi o Palácio Nacional de Sintra, moradia da nobreza por muitos anos após a origem da cidade, que fora de domínio muçulmano no início.

Lindo, gótico, repleto de azulejos maravilhosos no seu interior (eu amoooooooooo os azulejos portugueses!!!!). Mas em Sintra, particularmente, vi muitos azulejos com detalhes mais geométricos, devido a sua colonização moura (árabe).

Ao redor do Palácio Nacional, houve o crescimento da cidade ano após ano, o que resultou hoje em um Centro Histórico lindo, repleto de ruas, ladeiras, lojas, cafés, restaurantes, e que fez de Sintra um dos destinos mais procurados para quem vai a Portugal.

Almoçamos em um restaurante muito bonitinho, com mesinhas do lado de fora, em meio aquela selva de ladeiras!

Comidinhas tipicamente portuguesas (porque eu adoro comer as iguarias locais quando viajo... só não me peçam para comer escorpiões quando eu for à Ásia, ok?? rs..)

A sobremesa do almoço não poderia deixar de ser um dos doces portugueses mais famosos (e que é tipicamente de Sintra), chamado “Travesseiro de Piriquita”.

Socorroooo!!!! NÃO DEIXEMMMMM DE COMER!!!!!! É dos deuses!!!!

Ir a Sintra e não comer os Travesseiros de Piriquita é o mesmo que ir à Disney e não ver o Mickey!! Rsrs...

É uma espécie de massa folhada super crocante, com um creme de amêndoas, ovos e açúcar!

Melhor ser consumido quentinho e comprado no local original, chamado “Piriquita”.

Como a fama do doce foi aumentando ano após ano, hoje existe a “Piriquita 1” e “Piriquita 2” para venderem essas delícias.

Morro de vontade quando me lembro do gosto!!! É surreal de bom!!! Hummmm...

OBS: No Dutyfree, quando estiver deixando Portugal, você pode comprar os Travesseiros de Piriquita vendidos em caixas. É de outra marca e não tão bons quanto os originais, mas vale ao menos para trazer como lembrança para o Brasil.

Nossa terceira parada em Sintra, após devorar os Travesseiros de Piriquita no carro, foi o Castelo dos Mouros.

Do castelo original, hoje só existem as ruínas dele e de suas muralhas, que inclusive já foram restauradas.

Fica na Serra de Sintra e dele podemos ter uma vista panorâmica maravilhosa dos arredores.

Na época ele fora construído pelos mouros para a proteção de Sintra e ainda é considerado um dos castelos mais importantes da região.

OBS: Notem que eu não costumo entrar muito em detalhes históricos nos posts dos locais em que eu visito nas minhas viagens.

Apesar de achar isso muito importante para o bom entendimento, eu sei que a maioria das pessoas acaba pulando e não lendo!! Rs... estou certa??rsrs...

A quarta e última parada em Sintra foi o Palácio da Pena.

Gente!!!! Como é lindo, extravagante, enorme e super colorido!!!

De longe já conseguimos avistar os tons de amarelo e vermelho de suas torres!!!

Percorremos todo seu lindo interior, riquíssimo em artefatos, mobília, história e mistura de estilos.

Está tudo tão “no lugar”, que é como se ainda houvesse habitantes lá dentro! Boo!! Rs..

Foi construído como residência da família real portuguesa para refugiarem-se da revolução na época.

Resumidamente amados leitores, foi assim que passamos um dia maravilhoso em Sintra, de onde posso guardar até hoje em minha memória, os detalhes das visitas feitas por lá. Uma mistura de ruínas, grandeza, riqueza e muita cultura histórica.

Portanto, estando em Lisboa ou arredores, não deixe de reservar ao menos um dia para conhecer esses lugares tão pitorescos e especiais... e claro, devorar alguns Travesseiros de Piriquita!!rs...

DICAS IMPORTANTES:

- Os lugares para visitação em Sintra, citados nesse post, ficam geralmente abertos todos os dias do ano, exceto em 25/12 e 01/01.

- Os valores dos tickets de entrada variam entre $ 8,00 e $14,00 euros e podem ser comprados em forma de combos ou individuais pela internet ou em Ticket Offices espalhados pelas cidades da região.

- Você pode facilmente chagar a Sintra de carro, ônibus turístico, taxi, etc, partindo de Lisboa ou arredores. A viagem desde Lisboa é em torno de 45 minutos.

- Agora uma dica alcoólica quando estiver em Portugal!!rsrsrs... Não deixe de experimentar as maravilhosas e geladas sangrias portuguesas!!!! Tomávamos uma jarra em todos os nossos almoços!!! Seja ela branca ou tinta... sensacional!!!!

Por hoje é isso pessoal!

Espero que tenham gostado de Sintra e “visitado” comigo um pouquinho desses lugares lindos!!

Até o próximo post!!

Bjo, bjo, bjo...

Grá Vulcano

Graziella Vulcano

Coluna Viagem

 

Dentista formada pela PUC de Campinas em 1998 e dona da “Pink Honey Pães de Mel”, criada por ela em 2011. Uma grande e eterna amante de viagens pelo mundo a fora!!

Contato: gragravc@hotmail.com / pinkhoneypaodemel@hotmail.com

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

                                                                                             

 

 

Las Vegas (EUA), “Um parque temático para adultos” - Coluna Viagem por Grá Vulcano

Oi gente!!!

Hoje me deu vontade de escrever sobre a maravilhosa Las Vegas, no estado de Nevada, costa oeste dos EUA.

A paixão por conhecer essa cidade cheia de luzes sempre foi enorme, e hoje me sinto feliz por já ter conseguido ir duas vezes!!A primeira em 2008 e a segunda em 2010.

Minha vontade e curiosidade pra ir à Las Vegas aumentaram ainda mais por causa do seriado CSI Las Vegas (que eu era viciada na época!! rs...).

Então, assim que surgiu a primeira oportunidade, arrumei as malinhas e fuiiiiiiiiiii!!! (levando na bagagem mamis, sis e minha querida amiga Ferzinha). J

Chegando a “Sin City” (Cidade do Pecado, como também é conhecida), já pude avistar, da janela do avião, os lindos e imensos canyons que circundam Vegas, e, mais tarde, as torres altas de alguns dos seus hotéis.

Vegas é daquelas cidades mágicas, repleta de luzes, cores, sons, que funciona 24 horas por dia, todos os dias do ano, com turistas caminhando para lá e para cá o tempo inteiro nas calçadas da famosa avenida principal (chamada Strip Street), entrando e saindo de todos os hotéis-cassinos.

Cada hotel-cassino é uma atração a parte, pois quase todos são temáticos, imensos e incríveis!!!

Os cassinos ficam lotados de amantes dos jogos que vem de todas as partes do mundo, ganhando e perdendo.

Cheguei a ver no meu hotel, a mesma pessoa sentada na mesma máquina de caça níqueis, da hora q eu fui dormir, até o dia seguinte, na hora que saí pra tomar café!!! Socorro!!! Rs...

Dentro de cada hotel, além dos fantásticos cassinos (onde você pode beber drinks de graça enquanto estiver jogando), podem-se encontrar também excelentes restaurantes, bares, shows, baladas, lojas, shoppings, sem falar nas famosas “pool parties” (“festas na piscina”), que acontecem para a galera jovem em vários hotéis.

É, sem dúvida, um grande “parque temático para adultos”. (não acho que seja um lugar muito indicado para levar crianças... elas irão preferir a Disney, com certeza!! rs..).

Mas, voltando a falar da Strip Street, nela estão os melhores e mais luxuosos hotéis-cassino e atrações da cidade!!

Os hotéis são para todos os gostos e bolsos, e cada um tem um tema diferente, por exemplo:

Bellagio (onde eu fiquei hospedada, estilo italiano, famoso pelo seu “Show das Fontes de Águas”), The Venetian (imita Veneza, dá até pra andar de gôndolas nele), The Mirage (tem um vulcão na entrada que “entra em erupção” algumas vezes por dia), Luxor (em formato de pirâmide egípcia, com esfinge na frente e decoração típica dentro), Paris (todo em estilo francês e possui uma réplica enorme da Torre Eiffel na frente), Caesars Palace (decoração Roma antiga, tem um shopping maraaaa dentro), Stratosphere (possui a torre mais alta de Vegas, onde subimos a um observatório que avista panoramicamente toda a cidade), Excallibur (em formado de castelo medieval), MGM Grand (tem leões de verdade vivendo lá dentro e é onde acontecem os principais eventos do UFC)...

E por aí vai... são muitosssss os hotéis na Strip!!!Se eu for escrever sobre todos, vamos ficar aqui até amanhã!rs...

Como eu fiquei hospedada nele, vou falar um pouco mais sobre o renomado hotel BELLAGIO, um dos mais lindos e imponentes da cidade, com excelente localização (bem no meio da Strip Street).

Ele possui várias atrações dentro, e uma piscina fantástica!!!

É muitíssimo famoso no mundo inteiro por seu show das fontes de águas (Fountains of Bellagio), na entrada principal do hotel, que é parada obrigatória para todos os turistas.

É lindo de assistir durante alguns minutos a “dança” tão sincronizada daquelas águas movidas por músicas belíssimas, que acontece dia e noite, a cada meia hora mais ou menos.

Os 7 km da Strip Street (que corta Vegas de ponta a ponta) exploramos a pé, pois tínhamos uma semana toda por lá e poderíamos fazer tudo com calma.

Cada dia íamos para um lado da avenida, entrávamos e saíamos de todos os hotéis, uma delícia!!!

Em todas as minhas viagens tento caminhar ao máximo, pois é dessa forma que melhor conhecemos todos os mil detalhes e particularidades de cada local visitado.

Uso trem, metrô, barco, taxi, avião, unicórnio (rs..), ou alugo carro somente em último caso mesmo, onde o trajeto não permite gastar sola de sapato!! Rs..

Pegamos taxi somente duas vezes em Vegas para irmos para lugares mais afastados da Strip Street, mas muitas pessoas fazem a opção de alugar carro, pois os estacionamentos de todos os hotéis são gratuitos e, às vezes, o tempo delas na cidade é mais curto.

Vegas é famosa pelos seus casamentos “diferentes”, em capelas (muitas vezes temáticas), e cada hotel possui a sua! Mas nas ruas também encontramos várias!!!

Foi muito interessante quando fui me informar como seria para casar, por exemplo, na capela do hotel Bellagio.

Eles tinham várias opções de “pacotes de casamento”, e muitos deles incluíam tudo: capela, padre, músicas, fotos... menos o noivo!!! hahaha... (uma pena, senão eu teria me casado por lá mesmo!!! rsrsrs).

Outra coisa pela qual Vegas é famosa são seus shows de strip tease, boates para homens, festinhas de “despedida de solteiro” dentro de limusines de luxo... sim, lá é tudo normal, permitido, legalizado e panfletado nas ruas!! Rs.. essas coisas que vemos em filmes que mostram Vegas, e que é pura realidade!

Uma dica super bacana!!!!

Não deixe de ir à FREEMONT STREET!!

É um local fantástico, a 15 minutos de carro da Strip Street, em downtown Vegas, onde estão os hotéis-cassinos mais antigos da cidade!!!

Uma avenida reta, que abrange mais ou menos cinco quarteirões, repleta de letreiros luminosos, sons, bares, restaurantes, lojas de souvenires, etc... onde se anda a pé (carros não entram).

Mas o mais fantástico na Fremont Street, é que lá acontece, todas as noites, a Fremont Street Experience!!!!

A avenida toda é coberta por um enorme telão de led eletrônico onde são mostradas imagens lúdicas e coloridas, e então acontece o incrível Viva Vision, um show musical eletrônico, que ocorre de uma em uma hora a partir da 20:00hs, onde as imagens eletrônicas do teto se juntam com uma música, parecendo que estamos em um show musical mesmo!!!

Lembro-me perfeitamente do “show” do Queen que vimos na Fremont Street Experience, ao som de “We are the champions”...  inesquecível!

Bom gente, espero que tenham “viajado” um pouquinho comigo pra Vegas!!! J

É um destino lindo, que vale super a pena ficar no mínimo uns cinco dias para aproveitar mais!!

Ahhh e só pra finalizar, uma fotinho dentro da lojinha do “CSI Las Vegas”, dentro do hotel-cassino New York New York, pra registrar a minha paixão de fã na época!! Rs...

Até a próxima e obrigada pelo carinho sempre!!

Bjo, bjo, bjo...

Grá Vulcano

Graziella Vulcano

Coluna Viagem

 

Dentista formada pela PUC de Campinas em 1998 e dona da “Pink Honey Pães de Mel”, criada por ela em 2011. Uma grande e eterna amante de viagens pelo mundo a fora!!

Contato: gragravc@hotmail.com / pinkhoneypaodemel@hotmail.com

 

 

 

 

 

BRUGES na Bélgica – “A Veneza belga” - Coluna Viagem por Grá Vulcano

Oi gente!!!

Hoje vou falar um pouco sobre o dia em que passamos na linda cidade medieval de Bruges na Bélgica, em outubro de 2015.

Durante nossa estadia em Bruxelas, resolvemos dar uma “esticadinha” até lá para passar o dia, pois todos diziam que era um lugar lindíssimo.

A viagem levou mais ou menos uma hora de trem, saindo da estação Gare Du Midi em Bruxelas.

Uma das coisas que nos atraiu à Bruges foi sua semelhança com Veneza (que eu adoro também!), pois possui inúmeras pontes, canais e pode-se facilmente percorrer a pé.

Há várias coisas a serem vistas e visitadas no local, mas tivemos que fazer um roteiro bem enxuto, pois teríamos somente o dia para passar lá.

Assim que descemos na estação, caminhamos a pé, seguindo o fluxo das pessoas que direcionavam- se para o centro.

Passamos primeiramente pelo Begijinhof (Jardim das no Beguinas de Bruges)

·        Uma curiosidade sobre isso: As Beguinas eram mulheres católicas que queriam levar uma vida retirada e dedicada a Deus, mas sem tornarem-se freiras. Viviam em casinhas protegidas por um muro e voltadas pra um jardim central, onde, em geral, havia uma igreja. Hoje já não vive mais ninguém no Begijinhof de Bruges, mas as casinhas, jardim e igreja foram preservados.

Continuamos nossa caminhada em direção à Grote Markt (Grand Place) e seus arredores, que é a parte mais central da cidade.

Andando por esse percurso, já pudemos nos deparar com lindas paisagens e lagos repletos de cisnes brancos (existe até uma lenda local sobre o porquê da existência desses cisnes em Bruges).

Passamos pelo Minnewater ou “Lago do Amor”, e acho que, ao longo dele, tiramos uma das fotos mais bonitas da viagem!!Essa aqui abaixo!

Chegando a Grote Markt (praça principal), estávamos morrendo de fome, e comi uma das melhores lasanhas da minha vida! (sim foi na Bélgica e não na Itália!! rsrs...)

Feita com aqueles queijos maravilhosos que só encontramos nos países baixos. Hummmm....

A Grote Markt é rodeada por bares, restaurantes, mercado a céu aberto e possui os principais prédios e construções da cidade, todos com sua arquitetura típica e bastante colorida.

A construção mais famosa da Grote Markt é o Campanário (Belfort van Brugge) que é o símbolo de Bruges.

Lá do alto tem-se a vista panorâmica mais linda da cidade, mas para isso é necessário encarar 366 degraus!!! (SOCORROOOO!!! rsrs...)

Uma boa pedida depois da lasanha que eu havia comido antes! Rs...

Já quase no final da tarde, fizemos o famoso passeio de barco pelos canais, e, são nessas horas, que você se sente como se estivesse em Veneza mesmo!

Vale super a pena esse passeio de barco porque passamos por vários pontos turísticos da cidade por via aquática, com duração em torno de meia hora.

Vou ressaltar que a população local da Bélgica, em geral, não é muito simpática, e com os vendedores de tickets dos barcos não seria diferente! Rs...

Parece não fazerem questão nenhuma da venda. Massss, como nós sim fazíamos questão do passeio, contei até mil para não me irritar e comprei.

Além das cervejas, chocolates e waffles (famosos em toda Bélgica), Bruges é também famosa por suas lindas rendas, consideradas as mais bonitas e finas da Europa.

Você encontra diversas lojas vendendo toalhas de mesa e outros diversos artigos em renda ao longo do caminho.

Como somos viciados em bolas de Natal quando viajamos, não podíamos deixar de comprar essa lindíssima bola natalina, que possui uma pintura imitando as rendas locais.

 DICAS IMPORTANTES:

·        Não deixar de visitar a Igreja de Nossa Senhora, que possui em seu interior a famosa estátua de Michelangelo chamada “Madonna and Child” (Nossa Senhora com o Menino Jesus), feita por ele em torno de 1504. Essa estátua original aparece no filme “Caçadores de Obras-Primas”, onde a cena foi gravada dentro dessa igreja em Bruges mesmo.

·        Também vale conhecer a Basílica do Sangue Sagrado. Essa Igreja é conhecida devido a ter o famoso cilindro que dizem conter o sangue de Jesus. Esse material foi achado em uma cruzada para Jerusalém no século XII e a relíquia é adorada pela população de Bruges e seus turistas há aproximadamente 750 anos.

·        Muitos museus e bares fecham as segundas-feiras, como em outros lugares do mundo.

·        Os restaurantes servem almoço por volta de 12h às 14h e jantar até 22h aproximadamente, então, não atrase!!! Rsrs...

·        O filme ”In Bruges” foi gravado na cidade, mas eu ainda não assisti!! Rsrs...

Então foi isso gente! Um resumo do que fizemos na linda e medieval Bruges.

Vale a pena passar o dia, ou até mesmo hospedar-se na cidade para explorá-la ainda melhor.

Espero que tenham gostado e que tenham viajado um pouquinho comigo!

Obrigada pelo carinho sempre!!!

Bjo, bjo, bjo...

Grá Vulcano

Graziella Vulcano

Coluna Viagem

 

Dentista formada pela PUC de Campinas em 1998 e dona da “Pink Honey Pães de Mel”, criada por ela em 2011. Uma grande e eterna amante de viagens pelo mundo a fora!!

Contato: gragravc@hotmail.com / pinkhoneypaodemel@hotmail.com