Capinha de celular que vira drone permite fazer fotos e vídeos a até 13 metros de altura

Já dá para carregar um drone no bolso - e por um preço muito mais acessível. Trata-se do Selfly, uma capinha para smartphones que é, também, um drone. Embora seu alcance não seja dos maiores, o aparelho permite fazer imagens aéreas com até 13 metros de distância e é controlado pelo próprio celular.

drone-capa-1400x800-0118.jpg

Como funciona a capa-drone?

O aparelho tem dois formatos: de capa e de drone. Quando ajustado para ser um case de um celular, sua espessura tem 1,2 centímetro e pode ser colocado no bolso sem medo de quebrar - funciona para celulares Android e iPhone de tamanhos entre 4 e 6 polegadas.

Para virar drone, é bem simples. Basta deslizar o robozinho com câmera e hastes da base e ligá-lo. Ele pode ser controlado de três formas. Dá para comprar um joystick e conectá-lo ao drone e ao celular para guiá-lo pelo controle de mão. As outras duas maneiras dependem exclusivamente do celular. O usuário pode ver o voo do drone em tempo real e pode controlar seus movimentos sincronicamente. Ou pode ajustar as configurações da imagem antes dele voar; por exemplo, define que ele deve voar a uma altura de 2 metros e fazer um giro 360 graus - assim, o aparelho captura a imagem de forma autônoma.

O drone tem fornecimento de bateria independente do celular e não suporta mais do que 4 minutos de voo, assim como seu alcance não pode ultrapassar 13 metros de distância. A qualidade da câmera apresenta 12 megapixels e pode gravar vídeos em full HD.

Fonte: https://www.vix.com/pt/tecnologia/554521/capinha-de-celular-que-vira-drone-permite-fazer-fotos-e-videos-a-ate-13-metros-de-altura?utm_source=Facebook&utm_medium=VixExploreBR&utm_campaign=Evergreen&fbclid=IwAR3AHmBxENCoRK2NeSoWpEo74NNtjOFYtpQquyfj-2DQa4vAvAvyu_BBEkg

A origem romântica do Parmegiana - Coluna Gastronomia por Chef Alê Lembo

Nessa última quarta-feira, dia 12 de junho, comemoramos o dia dos namorados e o aproveitando o clima romântico escolhi homenagear um prato que é a paixão da grande maioria: o Parmegiana.

Parmegiana Funcional.jpg

Mas você sabe a origem desse prato amado por nove entre dez brasileiros? Engana-se quem pensa que o parmegiana tem como origem a região de Parma, ao norte da Itália, como o nome parece sugerir. Afinal a região é conhecida por suas iguarias repletas de molho de tomate e muito queijo, esse prato é a cara da culinária italiana, tão adorada nas mais diversas partes do mundo.

Confesso que são muitas as explicações para a origem do prato, e ninguém pode dizer ao certo qual das histórias é a verdadeira. Suposições indicam que tudo pode ter começado na Rússia no período da Revolução Socialista. Naquela época, o país passava por uma grande crise e os cidadãos sofriam com os reflexos da instabilidade política e econômica, e a fome predominava.  Algumas famílias que ainda tinham um pouco de carne e queijo guardados, uniam ambos os ingredientes para uma receita simples e saborosa.

Acredita-se fortemente ter sido esta prática o início da propagação de uma receita que até hoje faz muito sucesso entre todas as nacionalidades. Agora, em homenagem ao dia 12 de junho, vamos à versão romântica da origem do nome desse prato delicioso e tão adorado.

Conta-se que um italiano apaixonado, depois de uma briga feia com sua amada, resolveu pedir desculpas com um jantar romântico. Como ele não estava em condições de pagar por um bom restaurante, tomou a decisão de preparar o jantar.  A escolha do prato principal foi a famosa refeição russa.

Para surpreender por completo a sua amada, o homem resolveu estampar o feito no jornal da cidade: “una bistecca per mia Giana”! E assim teria sido batizado o Parmegiana, que nos restaurantes está sempre acompanhado de arroz branco e batata frita.

Mas, você já sabe que por aqui, todos os pratos ganham roupagem funcional, sem perder as características e o sabor, porque você merece ter prazer ao se alimentar bem e extrair o melhor dos alimentos para o seu organismo.

Hoje o Parmegiana é de frango, empanado em uma farinha funcional, assado e acompanhado de um arroz de couve flor anti-inflamatório.  E que tal preparar esse prato especial em apenas 20 minutos?

Novamente, ao invés de divulgar a receita aqui na coluna, te convido a visitar o meu canal do YouTube: Chef Alê Lembo (https://www.youtube.com/chefalelembo).  



Lá eu vou te ensinar a preparar além do Parmegiana Funcional, inúmeras receitas deliciosas e práticas, fundamentadas na Gastronomia Funcional. Tudo sem glúten, sem lactose e isento de açúcar refinado, mas com muito sabor. Venha se encantar com a alimentação saudável e se inspirar a adotar um estilo de vida com receitas funcionais, low carb e veganas deliciosamente surpreendentes!

Aproveita para se inscrever no canal e não se esqueça de ativar as notificações!

 https://www.youtube.com/chefalelembo

foto+chef+Ale.jpg

Alê Lembo

Coluna Gastronomia

Alessandra Lembo Nogueira, a chef Alê, é cozinheira profissional e especialista em alta gastronomia pelo IGA Campinas, com curso de Cuisine pelo Le Cordon Bleu Paris. Trabalha como personal chef e é idealizadora e fundadora da marca Fit Me Saudável e Funcional, uma empresa especializada em produtos Fit, Low Carb e Veganos, sem glúten, sem lactose, livres de açúcar refinado e gordura trans.  Atua como chef consultora e com desenvolvimento de cardápios especializados e personalizados, ministra workshops em diversos locais da cidade de Campinas e regiã

 

 

 

 

 

 

 .

 

 

 

Conheça a mulher que está abalando o casamento de William e Kate Middleton

Bela, recatada e do lar. É assim que Rose Hanbury, de 35 anos, poderia ser definida. Todavia, nos últimos dias o nome da nobre inglesa vem sendo relacionado a um problema da Família Real: a suposta turbulência no casamento do Príncipe William e Kate Middleton.

rosehanbury_3_26_19_026-11546934.jpg

Segundo tablóides como Daily Mail, The Sun e In Touch, Rose Hanbury seria o pivô do "iminente" divórcio entre o Príncipe William e Kate Middleton. Apesar de a Família Real não ter divulgado nenhum comunicado sobre o assunto, a história vem ganhando musculatura com o surgimento de fotos de William com Rose, aparições de Rose sem aliança e os frequentes rumores de que o casamento do herdeiro de Diane com Middleton não está bem das pernas.

Afinal, quem é a mulher que está abalando as estruturas da monarquia britânica? Filha de Timothy e Emma Hanbury, Rose não tinha uma linhagem nobre no início de sua vida, mas tinha um estilo de vida abastado. Com a adolescência, ela e sua irmã, Marina, decidiram enveredar para o ramo da moda, no qual trabalharam como modelos na agência inglesa Storm.

Decidida a fazer algo mais de sua vida, Rose largou as passarelas para dedicar-se à carreira política. A jovem atuou como pesquisadora parlamentar de Michael Gove, até que em 2010 resolveu casar-se com David Cholmondeley, filho do Marquês de Cholmondeley.

Herdando por benefício matrimonial o título de Marquesa de Cholmondeley, finalmente, uma Hanbury ascendia à nobreza. O casamento aconteceu em Chelsea Town Hall, em Londres, e contou com toda a pompa, tradição e protocolos que qualquer casamento da nobreza demanda.

À época, a união surpreendeu a revista Hello que, ainda em 2009, quando Rose e David anunciaram o noivado, alegou que os pombinhos esperavam um bebê - o que, segundo as tradições, não é permitido. Um dia após a divulgação desta notícia, os dois se casaram.

Em outubro de 2009, Rose deu à luz a gêmeos, apesar de os meninos serem esperados para chegar em janeiro. Com a vida nos trilhos, o casal mudou-se para o Houghton Hall, uma mansão de arquitetura palladiana situada em Norfolk.

As conexões entre Rose e Kate começam em 2011, quando a Duquesa se casou com o neto da Rainha Elizabeth II. Como o Anmer Hall, onde Middleton mora, é localizado nas proximidades da mansão de Rose, as nobres passaram a frequentar os mesmos círculos sociais, nos quais firmaram amizade, trocaram conversas e se viram com frequência.

A crise

A mídia já especulava que o casamento de Kate e William não passava por bons momentos. Ao The Sun uma fonte próxima ao clã Real declarou que o herdeiro de Diana trata sua esposa como “empregada” e que além disso era “ríspido” com ela. Todavia, até maio de 2019 não havia uma figura feminina na cena, só existiam dificuldades maritais.

No entanto, nos últimos dias, imagens de um suposto encontro entre William e Rose chamou atenção da mídia que passou a culpar a Marquesa pelos problemas na relação com o príncipe. Para corroborar a mídia, durante este turbilhão, Rose fez uma aparição sem aliança - o que automaticamente a colocou no cenário e mostrou que seu casamento também foi afetado.

Com base em toda a especulação, que pode ter procedência ou não, a imprensa britânica rotulou Rose de “Ex-amiga de Kate”, “Rival de Kate” e até “Rival rural de Kate”.

Com isso, segundo o Daily Beast , membros da realeza teriam enviado, por meio de um escritório de advocacia, uma carta à imprensa ameaçando tomar ações legais caso a polêmica tomasse proporções maiores. Apesar da atitude soar sensata, a existência e autonomia dela não foi confirmada por ninguém dos Windsor-Mountbatten.

Aumenta o roubo de cães. Saiba quais são as raças mais visadas - Coluna Entretenimento por Milena Baracat

Por um segundo de descuido, o seu cão pode ser levado da sua casa, carro ou mesmo do seu colo. Essa é uma realidade que vem crescendo não só em São Paulo, mas em diversas cidades brasileiras.

foto 1.jpg

(Foto Reprodução: Grande FM 92,1)

Segundo levantamento da Polícia Civil, cães roubados de suas próprias casas mais do que dobrou nos últimos dois anos. Em 2018, foram registrados 137 casos, contra 65 em 2017. Um aumento de 110%. Casos de furtos na rua ou dentro de veículos cresceram 227%.

foto 2.jpg

(Foto Divulgação: Polícia Civil)

Esse tipo de crime é mais comum em animais chamados “pequenos cães de companhia”, sendo que os ladrões roubam principalmente de crianças, mulheres e idosas. O destino dos cães é venda, reprodução forçada ou até a extorsão dos donos, que pagam para recuperar seus pets.

AS RAÇAS MAIS ROUBADAS SÃO:

1º) Yorkshire

foto 3.jpg

 2º) Lulu da Pomerânia

foto 4.jpg

3º) Buldogue Francês

foto 5.jpg

4º) Boston Terrier

foto 6.jpg

5º) Pug

foto 7.jpg

6º) Shih Tzu

foto 8.jpg

7º) Schnauzer

schnauzer_c.jpg

MICROCHIP NÃO RASTREIA, SÓ IDENTIFICA

Muitos donos têm recorrido à tecnologia. Nos últimos meses aumentou cerca de 20% o número de instalação de chip de identificação. O equipamento, que tem o tamanho de um grão de arroz, custa em média R$ 200.

Ele não é usado para rastrear o animal, mas para facilitar sua identificação, já que garante um número único para o animal reconhecido no mundo inteiro. O veterinário passa o leitor e ele é capaz de identificar de quem é aquele animal.

Ou seja, o microchip não funciona como rastreador ou localizador por GPS, mas atua como um registro geral do animal. Todas as vezes que passar por um local que tenha o leitor universal do microchip, o pet será identificado. Em voos internacionais, por exemplo, é exigida a presença do microchip.

Além do chip você pode seguir algumas dicas que os donos de cães estão compartilhando nas redes sociais:

-Não deixe os cachorros em locais da sua casa visível aos olhos da rua.

-Evite passear de noite e em ruas mal iluminadas.

-Dê preferência a locais mais movimentados.

-Organize saídas em grupo

Em caso de roubo (e perda):

-Tenha em mão foto atualizada do animal para divulgação.

-Faça o boletim de ocorrência e a queixa, mesmo que não haja certeza sobre a autoria do roubo.

 

DESCONFIE! NÃO COMPRE! DENUNCIE!

Os filhotes de Shih Tzu ou Yorkshire custam mais de R$ 2 mil, já um Pug, o preço pode chegar a R$ 4 mil. Os que são roubados chegam a custar 10% deste valor. Portanto, dá sim pra saber se você está comprando de um ladrão.

Enquanto houver quem compre, esse tipo de crime não vai acabar.

Crianças adoecem, pessoas idosas infartam, jovens caem em profunda depressão. Os animais de estimação, para os humanos proprietários que os amam, são como um membro da família. Não alimente este tipo de crime. A culpa é SIM de quem compra!

Se o valor estiver muito abaixo do mercado, desconfie! Infelizmente, o animal ainda é visto como mercadoria possível de ser explorada.

E vou mais longe...Sinceramente, na minha opinião, a melhor forma de combater o comércio ilegal e os maus-tratos de animais, está na ADOÇÃO. Infinitos animais que estavam na rua, hoje estão à espera de um lar nas ONGs, mas infelizmente ainda há um grande preconceito com animais sem raça definida.

Pense nisso.

Fonte: G1 / iG / ISTOÉ / Veja / R7.

Milena.jpg

Milena Baracat

Coluna Entretenimento

Formada em Comunicação Social pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Campinas). Atualmente presta assessoria ao Site Raquel Baracat.

 

Imprensa britânica especula sobre "iminente" separação de William e Kate

Família real é alvo de especulação a respeito da intimidade do casal. Sem comentários oficiais de William e da coroa, rumores de traição ganham força

7gszw9g0joltf1xqc7y01ri2k.jpg

Depois do nascimento de Archie, filho do príncipe Harry e de Meghan Markle, a família real britânica está novamente sob os holofotes. Tudo porque as principais revistas de fofoca da semana destacam o "iminente" divórcio de William e Kate Middleton.

Segundo a In Touch , os dois já não dormem na mesma cama e a duquesa de Cambridge não consegue superar os rumores de traição reaquecidos depois que Rose Hanbury, sua ex-amiga e apontada como affair de William, apareceu sem a aliança de casamento em cerimônia solene no palácio de Buckingham na última segunda-feira (3). A família real não emitiu nenhum comentário sobre os boatos.

Rose,35, é casada com o lorde de Chamberlain David Rocksavage, 58, e a rivalidade entre ambas foi primeiro apontada pelo The Sun em março. O Daily Mail também, sempre com fontes anônimas, implicou uma rivalidade entre as duas e listou pedidos por parte de Kate para não convidar Rose para eventos. 

Fonte: Gente - iG @ https://gente.ig.com.br/fofocas-famosos/2019-06-11/imprensa-britanica-especula-sobre-iminente-separacao-de-william-e-kate.html