Crítica de cinema por Vicente Neto - Filme: Ad Astra

Ad Astra

AdAstra.jpg

Filme grande, com Brad Pitt e Tommy Lee Jones, não tem como ser ruim, né? O trailer pouco revelava do filme, então fui conferir sem saber muita coisa dele.

 O engenheiro espacial Roy McBride (Brad Pitt) é enviado para as extremidades do Sistema Solar com uma missão de extrema importância: encontrar o pai, um astronauta desaparecido há 16 anos, durante uma viagem ao planeta Netuno (com o objetivo de encontrar vida inteligente), e desvendar um mistério que ameaça a sobrevivência do nosso planeta. 

 Enredo interessante, efeitos visuais dos melhores e só. Como disse, não tem como ser ruim, mas também não é nada demais.

Vicente.jpg

Vicente Neto

Coluna Crítica de Cinema

Engenheiro que, desde pequeno, é apaixonado por cinema. Procura assistir a todos os filmes possíveis na telona e, se deixa escapar, assiste em DVD. Costuma sempre ver o lado bom de cada filme que assiste, mesmo se este não agradar muito. Suas críticas são praticamente uma conversa entre amigos, comentando do filme que assistiu.

Crítica de cinema por Vicente Neto - Filmes: The Kitchen; Scary Stories to Tell in the Dark e Once Upon a Time... in Hollywood

The Kitchen (título em Português: “Rainhas do Crime”)

TheKitchen.jpg

Pouco me atraiu neste filme, além de ver Melissa McCarthy que considero muito boa atriz (de comédia, geralmente). Mas, por falta de mais opções, acabei indo conferir.

Na década de 1970, em Nova York, as esposas de mafiosos irlandeses ficam no controle dos negócios em Hell's Kitchen depois que agentes do FBI prendem seus maridos.

O grupo é liderado por três mulheres com temperamentos extremamente diferentes, mas que compartilham do mesmo objetivo: proteger a empresa de suas famílias, custe o que custar.

É um bom filme, enredo interessante e tal, mas acho que é daqueles filmes que você assiste e, uns dias depois, já nem lembra mais. Vale assistir, mas espere sair na Netflix.

 Scary Stories to Tell in the Dark (título em Português: “Histórias Assustadoras para Contar no Escuro”)

Scary.jpg

Como já havia comentado antes, na minha adolescência, era muito fã de filmes de terror, mas depois achei que os filmes acabram virando sempre mais do mesmo. Quando vi o trailer deste, não me interessei muito, mas quando soube que tinha a produção de Guillermo del Toro, fiquei motivado a ir conferir.

 A cidade de Mill Valley é assombrada há décadas pelos mistérios envolvendo o casarão da família Bellows. No final do sécilo XIX, a jovem Sarah Bellows, uma garota problemática que mantinha um mau relacionamento com os pais, é trancada no porão e começa a escrever um livro de histórias macabras.

Quase 100 anos mais tarde, um grupo de adolescentes descobre o livro e começa a investigar o passado de Sarah. No entanto, as histórias do livro começam a se tornar reais.

Diferente do padrão “espírito maligno assombra casa de pessoas”, e o que mais gostei, o filme não apela para sustos. É mais um filme que causa mais agonia do que nojo de cenas de mortes. Pra que gosta do gênero, acho que vale assistir.

 Once Upon a Time... in Hollywood (título em Português: “Era Uma Vez em... Hollywood”)

Hollywood.jpg

Sou fã dos filmes do Tarantino. Assisti a todos os 8 filmes dele, e estava realmente ansioso para assistir a este, apesar de não ter achado o trailer muito atraente, não.

 O ano é 1969. Rick Dalton (DiCaprio) é um ator de "westerns" televisivos que, juntamente com o seu dublê e amigo de longa data Cliff Booth (Brad Pitt), chega a Hollywood determinado a reavivar a sua carreira.

Lá, os seus destinos vão cruzar-se com personagens que marcaram uma época. Entre elas está a jovem Sharon Tate, na altura grávida do cineasta Roman Polanski, e Charles Manson e sua ‘gang’ de seguidores hippies.

 Não é o filme de Tarantino que mais gostei, mas com certeza é um filme divertido. Recomendo fortemente, especialmente pra quem é gosta do diretor.

Vicente.jpg

Vicente Neto

Coluna Crítica de Cinema

Engenheiro que, desde pequeno, é apaixonado por cinema. Procura assistir a todos os filmes possíveis na telona e, se deixa escapar, assiste em DVD. Costuma sempre ver o lado bom de cada filme que assiste, mesmo se este não agradar muito. Suas críticas são praticamente uma conversa entre amigos, comentando do filme que assistiu.