Momento coração está fortíssimo! Coluna Entretenimento por Milena Baracat

Brinco de coração não é nenhuma novidade, mas a estilista Alessandra Rich apresentou na sua coleção Primavera / Verão 2018 esse brinco de coração com strass e pérola, inspirado nos anos 80, que rapidamente se tornou tão famoso quanto seus vestidos elegantes.

foto 1.png

A primeira a chamar a atenção foi a modelo e DJ, Harley Viera-Newton, que usou um par combinado com um vestido Valentino no seu casamento.

foto 2.jpg
foto 3.jpg

(Harley Vieira-Newton. Foto Reprodução: Amanda Jasnowski Pascual/Vogue.com)

Depois, foi a vez de Caroline Daur (uma das bloggers e fashionistas mais influentes da Alemanha), da diretora de moda da Net-a-Porter, Lisa Aiken, e da Fundadora do blogue The Fashion Guitar, a holandesa Charlotte Groeneveld, adotarem o estilo brincalhão e cheio de brilho. Pronto! Começou assim a obsessão e ascensão ao status cult dos brincos de Alessandra Rich por toda a Europa.



foto 4.jpg

(Caroline Daur. Foto: Christian Vierig/Getty Images)

foto 5.jpg

(Charlotte Groeneveld. Foto: The Fashion Guitar)

foto 6.jpg

(Lisa Aiken.Foto: @LISA.AIKEN)

O coração de Alessandra fez tanto sucesso, que a inspirou a expandir seu repertório, como o cinto usado recentemente pela modelo escocesa, Emma Louise Connolly, no casamento da princesa Eugenie.



foto 7.jpg

Da Europa para o mundo! Pode apostar que não vai demorar para ser trend por aqui também. Confira alguns outros estilos de muitos designers que pegaram a onda do sucesso do coração, que vai desde uma versão estrutural até uma versão romântica e frisada. Escolha o seu:

foto 8.png
foto 9.png
foto 10.png

Fonte: luxurylondon / whowhatwear. / fashionista / pinterest

Milena.jpg

Milena Baracat

Coluna Entretenimento

Coluna Esportes

Formada em Comunicação Social pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Campinas). Atualmente presta assessoria ao Site Raquel Baracat.

Olhar com o coração - Coluna espiritualidade por Rachel Abdalla

Embora os discípulos tivessem vivido com Jesus nos seus últimos três anos de vida, eles não puderam alcançar a dimensão de tudo o que haviam visto e ouvido do Mestre, mas gozavam da alegria da presença dEle que nada deixava lhes faltar.

Jesus era a Luz dos olhos daqueles homens simples, era o Caminho seguro por onde caminhavam, era a fonte de água viva onde eles saciavam a sede, era o pão vivo que os alimentava o espírito.

Mas, na ausência dEle, eles se perdiam, tinham medo, e seus corações ficavam endurecidos. Faltava-lhes o Amor! Jesus estava morto para eles que ainda não entendiam a ressurreição. E, naquele momento, Jesus repreendeu os discípulos pela dureza de coração que estava cegando-lhes a alma.

Quantos andam por aí totalmente perdidos, embora aparentemente seguros de si? Quantos se fecham para o bem, desconfiam até de sua própria sombra com medo da traição? A cada dia mais os homens se fecham para o outro, se isolam, e a caridade vai secando em meio à humanidade.

Esta repreensão de Jesus aos discípulos vale para nós também! Não nos deixemos enganar pelas aparências! Depois da ressurreição, Jesus apareceu para alguns que depois saíram anunciando a Boa Nova, e não lhe deram crédito.

Não vamos, nós também, correr o risco de não acolher aquele pequenino o qual Jesus se faz presente nele!

“Jesus repreendeu-os pela dureza de coração!”

Marcos 16,9-15

Rachel Lemos Abdalla

Coluna Espiritualidade

Fundadora e Presidente da Associação Católica Pequeninos do Senhor; é colaboradora da ZENIT.org – O mundo visto de Roma, responsável pela Coluna Pequeninos do Senhor de orientação catequética; é membro da ‘Equipe de Trabalho’ do ‘Ambiente Virtual de Formação’ da Arquidiocese de Campinas; escreve para dois sites em Portugal (ABC da Catequese  e Laboratório da fé); e é membro da Equipe de Formação da Paróquia Nossa Senhora das Dores. 

Como aquecer o coração? Coluna Espiritualidade por Rachel Abdalla

Oxalá o mundo inteiro conhecesse esse ardor e calor no peito dos discípulos de Emaús!

Eles estavam tristes, assustados e amedrontados com a crucifixão e morte de Jesus e não compreendiam como continuariam vivendo sem a presença do Mestre.

Haviam estado com Ele nos últimos anos, aprenderam a amá-Lo, e estar na Sua presença acolhedora e certeira. Confiavam nEle, seguiam seus passos e conheceram uma nova forma de viver.

Fugindo da realidade, estavam voltando para suas antigas moradas quando encontraram no caminho um Homem sereno e amigo que lhes aqueceu o coração.

Quantas vezes nos sentimos abandonados, sozinhos em meio a uma multidão de gente? Quantas vezes sofremos uma desolação, uma decepção e desejamos fugir? Jesus se achegou aos dois discípulos para lhes mostrar que Ele está presente no meio deles, e que é possível encontrá-Lo em tudo o que Ele disse, viveu e ensinou.

Hoje, nós temos a Bíblia, a Sagrada Escritura que é a Palavra viva de Deus, o próprio Jesus nos falando a aquecendo o coração. Nela encontramos o nosso refúgio e consolo e então sentimos a presença do Senhor ardendo em nosso peito, assim como os discípulos sentiram, quando ouviram a voz do Senhor na caminhada.

 Não estava ardendo o nosso coração?

Lucas 24,13-35

Rachel Lemos Abdalla

Coluna Espiritualidade

Fundadora e Presidente da Associação Católica Pequeninos do Senhor; é colaboradora da ZENIT.org – O mundo visto de Roma, responsável pela Coluna Pequeninos do Senhor de orientação catequética; é membro da ‘Equipe de Trabalho’ do ‘Ambiente Virtual de Formação’ da Arquidiocese de Campinas; escreve para dois sites em Portugal (ABC da Catequese  e Laboratório da fé); e é membro da Equipe de Formação da Paróquia Nossa Senhora das Dores.