Buscar a Luz! Coluna Espiritualidade por Rachel Abdalla

Nicodemos era fariseu, um chefe judaico, fazia parte do alto escalão dos poderosos, mas um homem comum que conseguiu ver algo além do que os seus companheiros viam em Jesus. Ele viu a Luz!

Durante a noite, ele foi se encontrar com Jesus. E, era assim que ele estava vivendo e se sentindo: na noite, no escuro, longe da verdadeira Luz.

Assim como o sol nasce e todos podem se beneficiar com a sua luz e calor, Jesus também veio para trazer à humanidade um novo sentido de viver e enxergar o mundo. Ele é vida! Ele é alegria! Ele é o nosso sol interior!

Infelizmente, muitas pessoas ainda vivem se escondendo com medo da verdade, fugindo da luz, embora tenham necessidade dela. Elas desconhecem a alegria da claridade e da transparência no modo de ver, sentir e viver a vida através da verdadeira Luz que emana do Filho de Deus. 

Felizes aqueles que O buscam no meio da noite, ansiosos pelos ensinamentos, verdade, luz e sabedoria que só podem ser encontrados nEle.

Benditos aqueles que se encontram com a pessoa de Jesus e passam a viver e refletir a Luz que um dia inundou-lhes a alma, assim como Nicodemos que, através da luz que passou a refletir de Jesus, viu que era preciso descer e guardar o corpo do próprio Cristo crucificado.

 “Nicodemos foi ter com Jesus de noite.”

João 3,1-8

Rachel Lemos Abdalla

Coluna Espiritualidade

Fundadora e Presidente da Associação Católica Pequeninos do Senhor; é colaboradora da ZENIT.org – O mundo visto de Roma, responsável pela Coluna Pequeninos do Senhor de orientação catequética; é membro da ‘Equipe de Trabalho’ do ‘Ambiente Virtual de Formação’ da Arquidiocese de Campinas; escreve para dois sites em Portugal (ABC da Catequese  e Laboratório da fé); e é membro da Equipe de Formação da Paróquia Nossa Senhora das Dores. 

Olhar com o coração - Coluna espiritualidade por Rachel Abdalla

Embora os discípulos tivessem vivido com Jesus nos seus últimos três anos de vida, eles não puderam alcançar a dimensão de tudo o que haviam visto e ouvido do Mestre, mas gozavam da alegria da presença dEle que nada deixava lhes faltar.

Jesus era a Luz dos olhos daqueles homens simples, era o Caminho seguro por onde caminhavam, era a fonte de água viva onde eles saciavam a sede, era o pão vivo que os alimentava o espírito.

Mas, na ausência dEle, eles se perdiam, tinham medo, e seus corações ficavam endurecidos. Faltava-lhes o Amor! Jesus estava morto para eles que ainda não entendiam a ressurreição. E, naquele momento, Jesus repreendeu os discípulos pela dureza de coração que estava cegando-lhes a alma.

Quantos andam por aí totalmente perdidos, embora aparentemente seguros de si? Quantos se fecham para o bem, desconfiam até de sua própria sombra com medo da traição? A cada dia mais os homens se fecham para o outro, se isolam, e a caridade vai secando em meio à humanidade.

Esta repreensão de Jesus aos discípulos vale para nós também! Não nos deixemos enganar pelas aparências! Depois da ressurreição, Jesus apareceu para alguns que depois saíram anunciando a Boa Nova, e não lhe deram crédito.

Não vamos, nós também, correr o risco de não acolher aquele pequenino o qual Jesus se faz presente nele!

“Jesus repreendeu-os pela dureza de coração!”

Marcos 16,9-15

Rachel Lemos Abdalla

Coluna Espiritualidade

Fundadora e Presidente da Associação Católica Pequeninos do Senhor; é colaboradora da ZENIT.org – O mundo visto de Roma, responsável pela Coluna Pequeninos do Senhor de orientação catequética; é membro da ‘Equipe de Trabalho’ do ‘Ambiente Virtual de Formação’ da Arquidiocese de Campinas; escreve para dois sites em Portugal (ABC da Catequese  e Laboratório da fé); e é membro da Equipe de Formação da Paróquia Nossa Senhora das Dores. 

Espalhe a paz - Coluna Espiritualidade por Rachel Abdalla

Como é bom sentir paz no nosso coração! Ela nos remete a tudo o que é bom!

Jesus, ao entrar na sala onde estavam reunidos os discípulos anunciou-lhes: ‘A Paz esteja convosco!’ Ele leva a Paz aonde vai porque Ele é a Paz, e quem o recebe, também a recebe.

Do mesmo modo, todo aquele que recebe esta Paz do Senhor, pode também repassá-la para outras pessoas e espalhá-la pelos seus caminhos.

O mundo anda endurecido, enraivecido, obcecado, enfraquecido, enfim... está doente! Mas, não está perdido! Ele precisa de amor, do amor que cura, que provém de Deus e que é partilhado entre os que querem viver na Paz.

Quando perdemos a paciência, nos deixamos levar pela intriga, pelo rancor, pela raiva, e todos esses sentimentos são destrutivos e deixam marcas profundas em nosso ser e naqueles que estão envolvidos conosco.

Sabemos que é difícil controlar os sentimentos, mas eles precisam ser domados, domesticados no coração desde muito cedo, como se fossem selvagens, para que, controlados tragam muitas alegrias durante a vida.

Jesus estava sempre em harmonia com a sua mente e o seu coração, por isso, quando conseguimos equilibrar a razão com a emoção nós encontramos aquela mesma Paz que Ele ofereceu gratuitamente aos seus discípulos! Tente vivê-la, o mundo vai se beneficiar, e muito, com a sua Paz!

 A Paz esteja convosco!

Lucas 24,35-48

Rachel Lemos Abdalla

Coluna Espiritualidade

Fundadora e Presidente da Associação Católica Pequeninos do Senhor; é colaboradora da ZENIT.org – O mundo visto de Roma, responsável pela Coluna Pequeninos do Senhor de orientação catequética; é membro da ‘Equipe de Trabalho’ do ‘Ambiente Virtual de Formação’ da Arquidiocese de Campinas; escreve para dois sites em Portugal (ABC da Catequese  e Laboratório da fé); e é membro da Equipe de Formação da Paróquia Nossa Senhora das Dores. 

Como aquecer o coração? Coluna Espiritualidade por Rachel Abdalla

Oxalá o mundo inteiro conhecesse esse ardor e calor no peito dos discípulos de Emaús!

Eles estavam tristes, assustados e amedrontados com a crucifixão e morte de Jesus e não compreendiam como continuariam vivendo sem a presença do Mestre.

Haviam estado com Ele nos últimos anos, aprenderam a amá-Lo, e estar na Sua presença acolhedora e certeira. Confiavam nEle, seguiam seus passos e conheceram uma nova forma de viver.

Fugindo da realidade, estavam voltando para suas antigas moradas quando encontraram no caminho um Homem sereno e amigo que lhes aqueceu o coração.

Quantas vezes nos sentimos abandonados, sozinhos em meio a uma multidão de gente? Quantas vezes sofremos uma desolação, uma decepção e desejamos fugir? Jesus se achegou aos dois discípulos para lhes mostrar que Ele está presente no meio deles, e que é possível encontrá-Lo em tudo o que Ele disse, viveu e ensinou.

Hoje, nós temos a Bíblia, a Sagrada Escritura que é a Palavra viva de Deus, o próprio Jesus nos falando a aquecendo o coração. Nela encontramos o nosso refúgio e consolo e então sentimos a presença do Senhor ardendo em nosso peito, assim como os discípulos sentiram, quando ouviram a voz do Senhor na caminhada.

 Não estava ardendo o nosso coração?

Lucas 24,13-35

Rachel Lemos Abdalla

Coluna Espiritualidade

Fundadora e Presidente da Associação Católica Pequeninos do Senhor; é colaboradora da ZENIT.org – O mundo visto de Roma, responsável pela Coluna Pequeninos do Senhor de orientação catequética; é membro da ‘Equipe de Trabalho’ do ‘Ambiente Virtual de Formação’ da Arquidiocese de Campinas; escreve para dois sites em Portugal (ABC da Catequese  e Laboratório da fé); e é membro da Equipe de Formação da Paróquia Nossa Senhora das Dores. 

 

 

Não tenha medo! Coluna Espiritualidade por Rachel Abdalla

O medo é um sentimento que persegue os homens, as mulheres e até as crianças. Ele parece sondar a cada um de modo peculiar, particular e pessoal. Cada pessoa tem pelo menos um medo em sua vida e sabe como é difícil lidar com ele!

Jesus pede às mulheres que não tenham medo, que continuem a caminhada e anunciem aquilo que estão presenciando, sendo testemunhas de fé nEle: o Jesusressuscitado! Ele faz esse pedido porque sabe que o medo paralisa o corpo e a mente, trava uma ação, intercepta a força, mas é preciso seguir em frente. E, com a confiança nEle, é mais fácil dominá-lo.

Muitas vezes o que nos amedronta é o outro que faz pressão, que faz bulling, que perturba com gestos, que distrata, que maltrata. E isso é natural, porque temos medo da reação dos que não conhecem o verdadeiro Amor, dos que não têm fé e que estão, por opção própria, afastados de Deus, agindo sem medir consequências e trazendo muitos sofrimentos.

A exemplo daquelas mulheres que Jesus enviou e pediu que não tivessem medo, sejamos corajosos e fortes!

Sejamos como elas que tiveram força diante da presença do Filho de Deus que ressuscitou, está vivo e presente no meio de nós!

 

“Jesus disse: Não tenhais medo.”

 

Mt 28,8-15

Rachel Lemos Abdalla

Coluna Espiritualidade

Fundadora e Presidente da Associação Católica Pequeninos do Senhor; é colaboradora daZENIT.org – O mundo visto de Roma, responsável pela Coluna Pequeninos do Senhor de orientação catequética; é membro da ‘Equipe de Trabalho’ do ‘Ambiente Virtual de Formação’ da Arquidiocese de Campinas; escreve para dois sites em Portugal (ABC da Catequese  e Laboratório da fé); e é membro da Equipe de Formação da Paróquia Nossa Senhora das Dores.