A influência do horário de verão nas atividades físicas

Cacá Ferreira, Gerente Técnico da Cia Athletica, explica as

mudanças que a mudança traz para os corpos das pessoas

Caca Ferreira 02.jpg

Começou no sábado (04) o horário de verão. Parece que uma hora é pouco, mas a maioria das pessoas sentirá nos primeiros dias sonolência, lentidão nos movimentos, preguiça, irritabilidade, dificuldade de concentração, principalmente para aqueles que acordam cedo.

 

Segundo o Gerente Técnico Corporativo do Grupo Cia Athletica, Cacá Ferreira, com este adiantamento de 1h do relógio estamos modificando o ritmo circadiano do corpo. É o período de aproximadamente 24 horas sobre o qual se baseia tudo que acontece dentro do nosso corpo, sendo influenciado, principalmente, pela variação da luminosidade do ambiente. "O ritmo circadiano de cada um pode variar, sendo que tem pessoas mais dispostas pela parte da manhã e outras pela tarde e ou noite. E isto tem haver muito com a parte genética de cada um, assim podemos dizer que pessoas mais dispostas geneticamente pela manhã sofrerão menos com o horário de verão", alerta.

 

Ele conta que com o horário de verão teremos 1h a mais de claridade, retardando assim os hormônios que são liberados com a redução da luz. Estes hormônios estão envolvidos na preparação para o sono, levando a diminuição da temperatura corporal e da pressão sanguínea. Esta situação diminui a disposição para a prática de atividade física.

 

Afinal, neste novo horário teremos que mudar algo em relação as atividades físicas? "Sim", garante Ferreira. "Para as pessoas que treinam pela manhã e estão sentindo menos dispostas, as atividades físicas precisam ser ajustadas, tanto no seu volume semanal (duração e número de vezes), quanto na sua intensidade atingida em cada sessão. Esta adaptação pode levar de 2 a 3 semanas, variando de pessoa para pessoa. Se possível, mude o seu exercício para o fim da tarde ou início da noite. É importante ressaltar que neste processo nem as medicações ou os populares energéticos serão necessários, tudo se arranjará naturalmente e em pouco tempo", alerta.

 

Como o dia terá uma maior luminosidade, muitas pessoas sairão do trabalho e ainda terão 1h a 2h de luz natural. "Isto influenciará positivamente a disposição para praticar atividades físicas nas academias, parques e clubes, o que tende aumentar o número de praticantes e a fidelização à prática de atividades físicas, enquanto durar o horário de verão", completa.

4 coisas que você precisa saber sobre definição muscular

Confira as dicas elaboradas pelo professor Caca Ferreira, da Cia Athletica Campinas

image002.jpg

Definição muscular é um dos melhores remédios para elevar a autoestima. E quem entra numa academia quer justamente atingir esse objetivo. A boa notícia é que, com esforço e dedicação, qualquer um pode conseguir. Para saber como, confira quatro dicas que vão ajudá-lo a entender o que é e como conseguir a sonhada definição muscular.

Treino para definição: hipertrofia também é aliada. Ainda existe muita confusão sobre como definir o corpo. Tem muitas pessoas que acabam dedicando horas na academia, na musculação, mas treinam de forma pouco eficiente e não conseguem atingir os objetivos.

É importante que o aluno defina sua meta. A avaliação física é o primeiro passo nesta direção para chegar fisicamente onde ele quer. Se a intenção é realizar um treino para definição é preciso estimular isso com exercícios para hipertrofia.

O gerente técnico da Companhia Athletica Campinas, Cacá Ferreira,  explica que quase sempre é preciso fazer um trabalho de ganho de massa quando se pensa em definição muscular.

O treino hipertrofia   é, em geral, constituído de 3 ou 4 séries com 8 a 12 repetições dos exercícios para definir o corpo. Você vai trabalhar, separadamente, todos os grupamentos musculares de forma intensa, próximo ao máximo de peso que consegue agüentar para determinado número de repetições

Uma preocupação comum aos iniciantes é achar que ao fazer um trabalho de hipertrofia, o treino para definição muscular vai deixá-los “grandes demais” ou “muito marombados”, na linguagem conhecida do mundo fitness.

“Não se preocupe! Para se tornar um Arnold Schwarzenegger é preciso anos de treino muito intenso e quantidades cavalares de suplementos alimentares. Com o devido treinamento, os ganhos musculares são sempre graduais e, obviamente, auxiliarão na definição muscular”, ensina Cacá.

Como definir o corpo: aeróbicos ajudam a queimar gordura

“A aparência dos músculos está relacionada a uma baixa camada de gordura abaixo da pele”, reforça Cacá Ferreira. Se a pessoa ganhar músculos sem perder gordura vai desenvolver uma aparência mais inchada, mas para ter definição muscular é preciso promover a perda de gordura. “Quando se pensa em definir o corpo, é mais importante olhar as medidas do que o peso em si. O treino para definição muscular pode fazer a pessoa ganhar peso (de músculos), mesmo perdendo gordura”.

Além de cuidar da alimentação, é importante realizar exercícios aeróbicos para transformar a gordura no principal combustível para o corpo. No treino para definição muscular são acrescentados exercícios aeróbicos como:

corrida,

natação,

caminhada,

boxe,

futebol

dança.

O treinamento aeróbico pode ser realizado logo em seguida ao trabalho de hipertrofia, para potencializar a queima de gordura.

Dieta para definição muscular: boa alimentação é a base

Existe uma famosa frase que faz todo o sentido quando se fala em definição muscular: “você é o que come”. A alimentação é importante tanto para o processo de hipertrofia quanto para a perda de gordura. Quando se pensa em como ter músculos rápido é necessário o consumo de carboidratos e proteínas.

Os primeiros serão o principal combustível, tanto durante o treino de definição quanto na regeneração muscular. Não cometa o erro de achar que para queimar gordura e definir músculos não é preciso comer.

As proteínas, além de serem fundamentais para a hipertrofia, ajudam a acelerar o metabolismo, o que também favorece a perda de gordura. O ideal é fazer pequenas refeições de 3 em 3 horas, para manter o nível de energia adequado durante todo o dia. Além disso, essa regularidade também favorece o metabolismo.

A necessidade de suplementos alimentares – como a maltodextrina (carboidrato) e o whey protein (proteína), por exemplo – varia de acordo com a intensidade e o objetivo. Para um programa alimentar mais preciso, recomenda-se a consulta com um nutricionista especializado em esporte.

Exercícios para definir o corpo: bom sono é outro aliado

Enquanto a pessoa dorme acontece a reparação das células que se destruíram durante o treinamento. Por isso, quanto mais intenso o treino de definição, mais importante se torna uma boa noite de sono. “O sono regular e contínuo é fundamental para estimular o crescimento muscular. Isso influenciará na definição também”, diz Ferreira.

É durante o sono que o corpo produz o hormônio do crescimento (GH, do inglês Growth Hormone) e faz a síntese proteica, que são processos essenciais para hipertrofia. O bom descanso também é o que vai permitir que o praticante tenha as condições ideais para o treinamento do dia seguinte.

Mas é preciso equilíbrio.

O ideal é dormir em torno de 8 horas por dia. É preciso ter cuidado para não estender esse momento de sono para um período maior do que o corpo já está acostumado, alterando o relógio biológico pessoal. O melhor é tentar dormir sempre a mesma quantidade de horas, no mesmo horário.

Então, seguindo essas 4 dicas e tendo a orientação de um bom profissional de educação física, a pessoa vai atingir seus objetivos. Definir os músculos não é tarefa simples, exige dedicação quase diária e esforço.

Os resultados, porém, são extremamente recompensadores para quem está disposto a enfrentar o desafio.