Iguatemi Campinas recebe exposição interativa sobre a obra de Oscar Niemeyer

“Niemeyer em Curvas” transporta o visitante para o universo da obra de um dos mais premiados arquitetos do século XX, percorrendo seis estações temáticas, integrando recursos cenográficos, visuais e de áudio - na voz do próprio arquiteto

image005.jpg

 O Shopping Center Iguatemi Campinas abre para público de 23 de agosto a 13 de outubro a exposição Niemeyer em Curvas, que apresenta, de forma interativa,  as características de traço (e curvas) que fizeram do brasileiro Oscar Niemeyer um dos mais premiados arquitetos do século XX e que deixou sua assinatura em obras icônicas em várias partes do mundo, além de desenhos, gravuras, mobiliários, esculturas e livros.

O Conjunto Ibirapuera, Edifício Copan, Memorial da América Latina (São Paulo), o Conjunto Arquitetônico de Brasília, a capital Federal, o prédio das Nações Unidas (NY), a sede do Partido Comunista Francês (Paris),  o prédio da Editora Mandadori (Milão) são alguns de seus projetos, entre muitos outros criados em seus 104 anos de vida (Niemeyer nasceu em 1907 e faleceu em 2012, no Rio de Janeiro).

 A exposição Niemeyer em Curvas irá ocupar uma área de aproximadamente 200 metros quadrados e será dividida em seis estações temáticas – Um Sopro, Praça das Curvas, Mente Criativa,  Sentindo as Formas, Viagem Imersiva e Partilha de Experiência –, circuito que o visitante percorre em aproximadamente 30 minutos. Toda a exposição conta com acessibilidade para quem tem mobilidade reduzida e deficientes visuais.

“Estamos mais uma vez cumprindo nosso papel de incentivador cultural de Campinas e região, desta vez propiciando aos visitantes a possibilidade de conhecer mais sobre a incrível obra de Oscar Niemeyer”, afirma Janaína Nun

A exposição será realizada no primeiro piso do Iguatemi Campinas, ao lado da loja Fast Shop, e poderá ser visitada gratuitamente de segunda a sábado das 10h30 às 22h e aos domingos e feriados, das 12h às 20h.

 

Saiba mais sobre cada uma das estações:

Um Sopro - Com recursos de vídeo e áudio, apresenta croquis  que se “constroem” aos olhos dos visitantes e que indicam a essência da obra de Oscar Niemeyer, com narrativa na voz do próprio arquiteto. Nesta estação, conhecemos a forma de criar de Niemeyer pelos croquis do Conjunto Ibirapuera, do Palácio do Planalto, do Memorial da América Latina, Centro Cultural de Le Havre e Edifício COPAN.

 Praça das Curvas - Nesta estação, a cenografia remete a um espelho d’água que reflete as obras de Niemeyer, por meio de réplicas ampliadas de croquis. As réplicas remetem a quatro diferentes fases da obra do arquiteto: PampulhaBrasíliaInternacional e Projetos Mais Recentes.  O visitante poderá conhecer mais de cada obra por um tablet com realidade aumentada.

 Mente Criativa - Representa projetos desenhados, mas não executados (ou executados mais recentemente) e que estão guardados numa “gaveta virtual” – ao puxá-la, o visitante conhece parte deste acervo, que inclui Museu de Arte Moderna em Caracas, Ponte em Veneza, Mesquita em Argel, entre outros.

 Sentindo as Formas - Estação que leva o visitante a “tatear” os traços, as formas e texturas de Niemeyertransformados em esculturas e em alto-relevo.  Fazem parte desta etapa, as obras  do Congresso Nacional (Brasília), Praça da Apoteose do Sambódromo (RJ), a sede da Editora Mondadori (Milão, Itália), do MAC (Niterói, RJ), do Palácio da Alvorada (Brasília) e da Igreja São Francisco de Assis (Belo Horizonte).

 

Viagem Imersiva - Oscar Niemeyer é certamente um dos maiores arquitetos do século XX. Suas obras podem ser encontradas pelo Brasil e pelo mundo. Aqui podemos visualizar o conjunto arquitetônico da Pampulha, em Belo Horizonte (MG). São quatro prédios projetados pelo jovem Oscar a pedido do então prefeito de BH, Juscelino Kubitschek, e inaugurados em 1943: um cassino (que virou Museu de Arte), uma igreja, uma casa de baile e um clube. Desde 2016 são considerados oficialmente como Patrimônio da Humanidade, tendo recebido da Unesco o título de "Paisagem Cultural do Patrimônio Moderno".

 

Partilha de Experiências - A sexta e última estação é um espaço no qual os visitantes utilizam totens para compartilhar suas experiências em suas redes sociais, por meio de fotos da obra de Niemeyer.

 A exposição Niemeyer em Curvas conta com o patrocínio do Shopping Center Iguatemi Campinas e Comgás,  projeto realizado como apoio do ProAC, Realização da Eko Comunicação e Correalização da YDreams Global.

Serviço

Exposição Niemeyer em Curvas

Quando: de 23 de agosto a 13 de outubro

Onde: primeiro piso do Shopping Center Iguatemi Campinas, ao lado da loja Fast Shop (Av. Iguatemi, 777, Vila Brandina, Campinas, SP)

Horários: de segunda a sábado das 10h30 às 22h e aos domingos e feriados, das 12h às 20h

Entrada gratuita

 Sobre o Iguatemi Campinas - O Shopping Center Iguatemi Campinas foi o primeiro shopping do Brasil construído fora das grandes capitais e tornou-se o melhor complexo de uso misto do interior de São Paulo.  Segundo shopping da Iguatemi Empresa de Shopping Centers e maior complexo da rede, são 388 operações com diversas opções de moda – marcas nacionais e internacionais –, gastronomia, casa/decoração, tecnologia, cultura e lazer.  Com um ambiente agradável e pensado nos mínimos detalhes, o empreendimento proporciona conforto e conveniência para seus clientes em um único lugar e apresenta diferenciais como o mais moderno teatro da cidade, dois complexos de cinema – incluindo um prime –, duas megalivrarias, além da única torre de estacionamento coberto entre os shoppings da região, com sistema de sinalização de vagas.

 

 

Obras mal feitas e vícios de construção - Coluna Direito Imobiliário por Dr. Renato Savy e Dra. Stephani Dutra

Obras mal feitas e vícios de construção geram danos aos proprietários de imóveis

Sua obra foi mal feita e você encontrou defeitos na construção? Saiba como proceder para reparar esses problemas

Pelos advogados Dr. Renato Savy e Dra. Stephani Dutra

A aquisição de um imóvel próprio é o desejo da maioria dos seres humanos. Maciços investimentos públicos voltados ao fomento do setor habitacional inflacionam o mercado imobiliário no que diz respeito às construções de novas moradias e o que percebe-se é o constante crescimento vertical das cidades e regiões metropolitanas.

Em alguns casos, esses investimentos ocorrem de forma precária, com a utilização de materiais inferiores que, após a aquisição, evidenciam vícios de construção ou defeitos que afrontam o direito à moradia e abalam a estrutura psicológica daqueles que não possuem os recursos necessários para a compra do imóvel e recorrem ao financiamento para concretizar o sonho da casa própria.

Por isso, a conferência do que foi entregue pela construtora, no momento da entrega das chaves, deve ser feita de forma minuciosa e de preferência por um profissional especializado, para a garantia de que o condomínio está executado conforme o prometido pela empresa.

Durante a vistoria, é comum a constatação de obras mal feitas com a comprovação de vícios e defeitos na entrega. Importante destacar que existem diferenças técnicas entre vícios e defeitos:

- Vícios – de acordo com o manual "Saúde dos Edifícios" do Conselho Regional dos Engenheiros, Arquitetos e Agrônomos (CREA-SP), são "falhas que tornam o imóvel impróprio para o uso, ou lhe diminuem o valor". Podemos citar aqui itens como vícios: material diferente do que consta no memorial descritivo, falta de espelhos nas instalações elétricas, vazamentos, dentre outros.

- Defeitos - são falhas que podem "afetar a saúde e segurança do consumidor", como por exemplo: uso de produtos tóxicos, como tintas fora dos padrões de segurança, azulejos e pastilhas que descolam, dentre outros.

1-      RESPONSABILIDADE DO CONSTRUTOR E GARANTIA DAS OBRAS

De acordo com o artigo 618 do Código Civil, o construtor responde pela solidez e segurança da obra pelo prazo de cinco anos. Cabe a responsabilização do empreiteiro quando a obra se revelar imprópria para os fins a que se destina, sendo considerados graves os defeitos que afetem a salubridade da moradia, como infiltrações e vazamentos, e não apenas aqueles que apresentem riscos de ruína ao local.

Desta forma, a construtora é responsável, num prazo de cinco anos, pelos problemas apresentados na estrutura do imóvel e é ela quem deve responder e resolver os danos causados ao proprietário.

Outra segurança para o comprador do imóvel está na norma ABNT NBR 15.575, também chamada de ‘norma de desempenho’.  Em vigor desde julho de 2013, ela foi criada para diminuir os litígios entre construtoras e compradores, determinando que todos os projetos habitacionais e suas respectivas obras atendam aos níveis mínimos de desempenho estabelecidos pela publicação.  Dentre os requisitos exigidos na construção, destacam-se: as seguranças estrutural, contra fogo e no uso e operação, desempenhos térmico, acústico e lumínico, funcionalidade e acessibilidade, durabilidade, manutenibilidade, impacto ambiental, entre outros.

2-      O QUE FAZER QUANDO ENCONTRAR UM VÍCIO OU DEFEITO DE CONSTRUÇÃO?

A construção de um imóvel se constitui numa obrigação de resultados em que o comprador espera pela perfeição técnica da obra, bem como pela sua solidez e segurança.

Antes de receber as chaves do imóvel, é fundamental perceber se existem vícios ou irregularidades que possam comprometer a construção. A utilização de materiais inferiores ou inadequados, assim como deficiências ou falhas na execução da obra podem acarretar problemas futuros ao proprietário, à própria obra e também a terceiros.

Alguns desses problemas são aparentes tais como rachaduras nas paredes e azulejos, descolamento da cerâmica e gesso, portas e janelas quebradas, além das louças de banheiro e cozinha com qualidade inferior à contratada. Outros estão ocultos como problemas na rede elétrica e hidráulica.

Nestes casos, é fundamental o acompanhamento de um profissional especializado em Direito Imobiliário para que sejam tomadas as providências cabíveis, de maneira que a construtora seja acionada e faça os reparos necessários.

Em caso de constatação de algum defeito no imóvel que o torne impróprio para uso ou diminua seu valor, o consumidor poderá recusar o recebimento até que a construtora sane os vícios encontrados, ou recebê-lo com ressalvas, nas quais devem estar devidamente discriminados os defeitos encontrados.

Assim que constatados eventuais defeitos, deve-se enviar uma notificação com Aviso de Recebimento à Construtora, com o objetivo de informar os defeitos e requer que sejam devidamente sanados.

Se o vício for de fácil constatação, como é o caso de rachaduras, a reclamação deverá ser feita à construtora num prazo máximo de 90 dias após a entrega do imóvel.

Já no caso dos chamados vícios ocultos, que são aqueles cuja constatação não são imediatas, o prazo também será de 90 dias, entretanto, a contagem é iniciada a partir do momento em que o consumidor tomou conhecimento do mesmo.

Se os defeitos aparentes da obra não forem sanados pela construtora com o envio da notificação, a orientação é para que o consumidor não receba as chaves do imóvel.

Já nos casos de defeitos ou vícios ocultos, o consumidor deverá propor ação em face da construtora, podendo inclusive sanar os vícios e buscar o ressarcimento pela via judicial.

Os consumidores podem provar os vícios por meio de fotografias, laudo de vistoria e por meio de perícia técnica, a ser executada por um perito de confiança do juízo.

3-      PRAZO PARA INGRESSO DE AÇÃO CONTRA AS CONSTRUTORAS

A entrega de um imóvel mal feito resulta na reparação por danos morais e materiais ao comprador. O dano moral é devido nos casos em que o morador é obrigado a desocupar o local para a reparação dos problemas constatados pela obra mal feita.

Já o dano material, refere-se à má execução da obra, com a utilização de materiais inferiores ou inadequados. Neste caso, é necessária a realização de perícia técnica que irá fazer a vistoria do imóvel para a comprovação dos danos.

Em casos de vícios de qualidade ou quantidade do produto que o tornem impróprio para a utilização ou diminuam o seu valor, o proprietário poderá exigir a substituição do mesmo num prazo de até 30 dias. Se não for solucionado dentro do prazo, o comprador pode exigir o abatimento no preço ou a restituição imediata da quantia paga, sem prejuízo de eventuais perdas e danos.

Conforme já mencionado no item 1 deste artigo, o prazo para que a construtora seja notificada e tome as providências para a reparação de danos no imóvel é de cinco anos. Este também é considerado o prazo de garantia da construção.  

No entanto, o Superior Tribunal de Justiça firmou entendimento de que o prazo prescricional será de até vinte anos e não de cinco, a partir do reconhecimento do dano gerado pelo vício ou má execução da obra, para que ações sejam ingressadas no Judiciário contra as construtoras.

Portanto, de acordo com a Lei, o prazo para ingressar com a ação será de cinco anos, contudo os tribunais têm entendimento diverso, ampliando o prazo para até vinte anos.

Sendo assim, é necessário que o defeito da obra seja identificado e registrado para ser passível de indenização pelo construtor dentro dos prazos legais estabelecidos.  

Por fim, importante destacar a necessidade de que o contratante da obra fique atento aos seus direitos e que procure o Judiciário no caso da constatação de obra mal feita ou vícios de construção para que os reparos sejam executados corretamente e não haja mais prejuízos a ele e seus familiares.

Renato Savy

Coluna Direito Imobiliário

Possui graduação em Direito pela Universidade São Francisco (1996). Pós Graduado em Direito e Processo do Trabalho, Direito e Processo Civil, bem como Mestrando em Direito pela UNIMEP. Atua profissionalmente nas áreas Societária, Trabalhista e Cível. Sócio do escritório Ferraz Sampaio e Dutra - Sociedade de Advogados. Ministra cursos e palestras em Direito Imobiliário. Co-autor com o Professor Dr. José Luiz Gavião Almeida, do artigo: As Holdings Familiares e Tipos Societários, publicado na Revista Paradigma, UNAERP, em dezembro de 2015.

 

Pátio Limeira Shopping recebe exposição com obras acadêmicas

Mostra de alunos da artista plástica Dina Lauton está disponível de 25 de abril até 04 de maio

O Pátio Limeira Shopping recebe a exposição óleo sobre tela com alunos da artista plástica Dina Lauton. A mostra possui 17 obras acadêmicas com o tema flores e está aberta para visitação até 04 de maio no piso superior, próximo à entrada do cinema.

 

Dina estudou sete anos de artes plásticas em dois ateliês da cidade, com professores particulares, além de ter realizado diversos cursos de aperfeiçoamento. Há 16 anos a artista ministra aulas em seu ateliê Arte na Garagem para alunos interessados em artes.

 

Serviço:

Mostra alunos da artista plástica Dina Lauton

Local: Pátio Limeira Shopping, Rua Carlos Gomes, 1.321, centro – Limeira/SP.

Data: de 25 de abril até 04 de maio no piso superior, próximo a entrada do cinema.

Horário de Funcionamento: De segunda a sábado, das 10 às 22h e aos domingos e feriados, das 12 às 22h.

Tel: (19) 3404 - 2828

Site: www.patiolimeira.com.br


Sobre a AD Shopping

A AD Shopping, maior administradora independente de shopping centers do País, está presente em todas as regiões brasileiras. Com 23 anos de experiência e foco em planejamento, comercialização e na gestão de shopping centers, a AD administra hoje um patrimônio de aproximadamente R$ 4,5 bilhões, proveniente dos 30 empreendimentos de seu portfólio. São mais de 5 mil lojas em 1,7 milhão m² de área construída e 730.670 m² de área bruta locável. Visite: www.adshopping.com.br.


Tessitura, exposição que traz obras de acrílica sobre tela, grafite, fineart e seda - Curadoria Fabio Cerqueira e Ligia Testa

Os tecidos carregam em suas tramas, desde os tempos primitivos, histórias que dialogam com as culturas dos povos. Envolto em muitos aspectos da sociedade, o têxtil pode caracterizar os mais diversos simbolismos sociais. Os tecidos permeiam a vida do nascimento à morte, em todos os ambientes, em qualquer situação; tornam a sobrevivência possível, a vida mais confortável; podem definir status social; já foram símbolo de revoluções. Eles escodem e revelam. Buscando se aproximar do universo multicultural do material, a artista visual Teresa (Tetê) Pacetta escolheu estampas, padronagens e arrumações inusitadas de tecidos para sua TESSITURA, exposição individual que traz obras de acrílica sobre tela, aquarela, grafite, fineart e seda, em suportes em dimensões variadas. 
TESSITURA, com curadoria de Fabio Cerqueira e Ligia Testa, é uma realização da Coordenadoria de Desenvolvimento Cultural da Unicamp, em parceria com o CIS-Guanabara, e tem vernissage no dia 5/5, terça-feira, às 20h05, na Estação Guanabara, localizada à Rua Mário Siqueira, 829, Botafogo, Campinas/SP. A exposição estende-se até 28/05.

Teresa tece texturas em telas. Entrelaça os fios da urdidura e da trama para produzir tecidos.  Teresa trama teias numa dança estranha, revelando encantamento em forma de panos entremeados de ternas estampas. Também entrelaçam fios e esperanças todas as mulheres de homens em guerra: unidas pelos fios parcos, pelas esperanças poucas, pelos cantos tristes uníssonos. Aranhas-tecelãs.

Tesouros da tessitura carregados em baús saltam atlânticos. São fardos fartos que se desdobram por vontade própria, emanando aromas múltiplos de lavanda e madeira. Exibidos, quase lascivos, provocam-nos:  ‘quem me quer?’ O que serão em breve? Mantos de mesa, de cama, de damas? Que peles tocarão? Delicadas, rústicas? Com que aroma misturarão os seus próprios?

Teresa ata a natureza à tessitura e tinge matizes inusitados. Tecer, que ato tão terno quanto dramático é este! (Ligia Testa, abril/15)

 

Ligia Testa

(19) 99792 7221

https://www.facebook.com/ligiatestaarte

http://www.ligiatesta.com.br/

http://www.gialla.com.br/