Starbucks Roastery Reserve - você nunca viu uma Starbucks assim - Coluna Entretenimento por Milena Baracat

Roastery Reserve, um conceito da marca focado no processo de transformação do grão ao produto final.

foto 1.jpg

O que é Starbucks Roastery Reserve?

É preciso eliminar qualquer resquício de uma loja comum do Starbucks ao qual você já tenha ido.

A Roastery Reserve é uma loja conceito com os melhores cafés do mundo. A empresa diz que estes endereços são santuários para curtir a paixão pelo café.

foto 2.jpg

Os perfis dos profissionais vão além de atendentes. Há mestres torrefadores, mixologistas e baristas.

Todo café consumido ali é torrado localmente. E o maquinário de torrefação fica exposto aos clientes.

foto 3.jpg

Os grãos são uma coleção globe-trotter (que corre mundo): Brasil, Colômbia, Guatemala, Havaí, Quênia, Sumatra, Uganda…

foto 5.jpg

Além do ambiente dedicado ao café, esses espaços premium são um parque de diversões para adultos com área para chás especiais, bar, loja e um local para eventos e cursos.

foto 6.jpg

Do bar saem coquetéis clássicos e exclusivos, além de cerveja e vinho. O cardápio de bebidas e comidas mais sofisticadas mudam sazonalmente. No mesmo espaço, na padaria artesanal, saem pães, pizzas, bolos e doces de uma linhagem de padeiros e confeiteiros italianos comandada por Rocco Princi.

foto 7.jpg

No total existem seis lojas Starbucks Roastery Reserve espalhadas pelo mundo, mas um dos objetivos da empresa para o futuro é atingir 1000 lojas:

1) Seattle, onde a marca nasceu, em 1971, teve a foi a primeira Roastery Reserve aberta em dezembro de 2014.

foto 8.jpg

2) Xangai (dezembro de 2017)

foto 9.jpg

3) Milão (setembro de 2018)

foto 10.jpg

4) Nova York (dezembro 2018).

foto 11.jpg
foto 12.jpg

5) Tóquio (março 2019)

foto 13.jpg

6) Chicago - com uma área de cerca de 4 mil metros quadrados, a Starbucks vai abrir a sua maior loja, prevista para 15 de novembro.

foto 14.jpg

FONTE: Fonte: Starbucks/ CNN Business

FOTOS:  Starbucks-Divulgação / Google

Milena.jpg

Milena Baracat

Coluna Entretenimento

Formada em Comunicação Social pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Campinas). Atualmente presta assessoria ao Site Raquel Baracat.

 

 

Starbucks lança bebida inspirada em Ariana Grande

Cantora é embaixadora da marca americana

MKcIlE3.jpg

Café esgotando em 3, 2, 1... Os fãs de Ariana Grande vão pirar com essa notícia! Nesta terça-feira, 5, a cantora divulgou em seu Twitter que é a nova embaixadora da Starbucks e em homenagem a estrela, a loja lançou a bebida Cloud Macchiato. Coberta com uma receita secreta de “espuma de nuvem”, o café é levinho. 

ariana.jpg

O Cloud Macchiato tem duas versões: a de caramelo e a de canela. O diferencial mesmo fica por conta da cobertura, feita com uma mistura de claras de ovo, café expresso e um chuvisco de caramelo. Por enquanto, a bebida, que pode ser pedida na versão quente ou gelada, só está sendo comercializada nos Estados Unidos. Esperamos que chegue logo por aqui! 

Fonte: https://revistaglamour.globo.com/Celebridades/noticia/2019/03/starbucks-lanca-bebida-inspirada-em-ariana-grande.html?utm_source=facebook&utm_medium=social&utm_campaign=post&fbclid=IwAR2DMierT4Wwq0oJ8xUqahWeBMekVQEF-vwuXAMSYsmK6-RRELNaEMBlkMI

Starbucks lança edição limitada de copo com o formato de uma patinha de gato

A Starbucks experimentou um fenômeno que ela ainda não tinha conhecido e tudo isso por causa de uma xícara de café.

Starbucks-Cat-Cup-Design-Fight-2 (1).jpg

Na última semana, a Starbucks na China estreou sua coleção primavera-verão 2019 com tema de flores de cerejeira, que incluiu, notavelmente uma caneca “Cat Paw” (pata de gato).

O material do vidro foi projetado para que quando uma bebida é despejada nele, o líquido tomasse a forma de uma pata de gato. A obsessão das pessoas pelos felinos fez com que os clientes enfrentassem horas da fila – alguns chegaram até mesmo virar da noite para o dia – esperando para conseguir uma unidade.

Starbucks-Cat-Cup-Design-Fight-2.jpg

Não se conhece ainda um caso em que um produto da Starbucks tenha causado tanto alvoroço, mas, nesse caso, os clientes queriam comprar o item de colecionador custe o que custar, gerando até mesmo diversas brigas como mostra o vídeo abaixo

Apesar de toda a confusão, as lutas foram desnecessárias, já que ainda existem diversas unidades nas lojas da franquia da China.

Fonte: https://www.publicitarioscriativos.com/starbucks-lanca-edicao-limitada-de-copo-com-o-formato-de-uma-patinha-de-gato/?fbclid=IwAR0AVzO2SjHs5aKrrg6bPmY0pniQwXb2iKC3By-CMdiNjqvWp57sTHgj3Aw

Prada vrs. Plada - Coluna Entretenimento por Milena Baracat

A China vem tentando mudar há anos sua má reputação associada à falsificação e ao comércio de produtos de qualidade inferior, mas fica difícil quando nos deparamos, não só com produtos, mas com lojas inteiras inspiradas (até demais) nas marcas do Ocidente.

foto 1.jpg

Há poucos dias atrás, Loius Vuitton e Plada (não, estes não são erros de digitação) foram os nomes exibidos em duas lojas espaçosas vistas no térreo de um novo complexo de luxo em Renhuai, uma pequena cidade na província de Guizhou, no sudoeste da China, que exemplificam bem esse cenário.

As fachadas exibiam fotos enormes de modelos posando com produtos legítimos. As lojas pareciam tanto com as verdadeiras, que a única maneira de dizer que eram falsas era a ortografia, mesmo assim, tão sutil que poderia enganar até o mais expert no assunto.

Verdadeira: Louis

foto 2.jpg

Falsa: Loius

foto 3.jpg
foto 4.png

Detalhe na tipografia do logo idêntica nas duas lojas.

foto 5.jpg

(Loja sendo desmontada poucos dias após a denúncia. Foto Reprodução: Zigor Aldama)

A “Loius Vuitton” foi fechada após a grife real ameaçá-la com um processo.

 Pode parecer um caso extremo, mas não é inédito.

“Muitas vezes encontramos lojas falsas como estas. No entanto, o tamanho, neste caso, foi surpreendentemente grande”, diz uma fonte da Louis Vuitton, que não quis ser identificada, ao Inkstone News.

"Eles tentam evitar uma ação mudando um pouco o nome, mas isso geralmente é uma estratégia inútil no tribunal.” O problema, acrescenta, é que “a proliferação de tais lojas pode prejudicar a reputação da marca e, principalmente, a confiança do consumidor”.

A China está cheia de exemplos como o de Renhuai.

"Eles são mais comuns em províncias, onde a demanda muitas vezes não é atendida pelas empresas e é mais fácil enganar os compradores", diz a fonte da Louis Vuitton.

Uma busca de imagens on-line oferece inúmeros resultados. Confira alguns exemplos, como mostra a lista a seguir.

1. Dolce & Banana (“inspirada” na marca italiana Dolce & Gabbana)

foto 6.jpeg

 2. Sunbucks (“inspirada” na rede de cafés Starbucks. Detalhe: trocou a estrela pelo sol)

foto 7.jpeg

3. Pizza Huh (“inspirada” na rede Pizza Hut)

foto 8.jpeg

4. KFG (“inspirada” na rede de fast food KFC, especializada em frango)

foto 9.jpg

5. McDnoald´s (“inspirada” no McDonald´s)

foto 10.jpg

Pra se ter uma noção do nocaute que a China está dando em todos nós, estava eu lendo o blog BirdAbroad, de uma americana que mora com o marido em Kunming (cidade no sudeste da China), quando me deparei com uma postagem descrevendo sua experiência na FALSA Apple Store (#fake) e um fato inusitado me chamou muito a atenção durante a leitura: os funcionários da loja acreditam trabalhar para a empresa de Steve Jobs. “Começamos uma conversa com os vendedores que, juro por Deus, pensam genuinamente trabalhar para a Apple”, descreveu a blogueira, atônita. (Eu também fiquei!).

foto 11.jpg
foto 12.jpg

Se engana até funcionários da loja, imagina com nós, reles mortais! Épracabá.

Fonte: Inkstone / BirdAbroad / Adnews / G1. Fotos Reprodução Google.

Milena.jpg

Milena Baracat

Coluna Entretenimento

Coluna Esportes

Formada em Comunicação Social pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Campinas). Atualmente presta assessoria ao Site Raquel Baracat.

Checando a nova coleção da Marcia Mello

Outro dia tomando um mocha no Starcucks eu conferi a nova revista da Marcia Mello e fiquei por dentro da nova coleção Outono/Inverno e jádescobri as novas tendências que vem por aí.