The Morning Show: nova série com Jennifer Aniston e Reese Witherspoon - Coluna Entretenimento por Milena Baracat

A nova série “The Morning Show”, será o primeiro papel recorrente de Jennifer Aniston na TV desde o término de Friends em 2004.

FOTO 1.jpg

O novo drama do streaming Apple TV +, que estreia dia 1° de novembro, é baseado no livro “Top of the Morning: Inside the Cutthroat World of Morning TV”, de Brian Stelter, que explora os bastidores de programas jornalísticos matinais americanos, como Good Morning America e The Today Show.

FOTO 2.jpg

No elenco, o trio protagonista terá Jennifer Aniston, Reese Witherspoon e Steve Carrell.

Gugu Mbatha-Raw, Billy Crudup, Néstor Carbonell e Mark Duplass se juntam ao trio anunciados em caráter regular na série.

FOTO 3.png

Na trama, Reese Witherspoon interpreta uma novata apresentadora e potencialmente rival profissional da apresentadora de longa data do jornal, interpretada por Jennifer Aniston, que por sua vez, está lidando, não só com a chegada de uma nova apresentadora, mas também com as consequências da demissão de seu coapresentador (Steve Carrell).

FOTO 4.png

A série é roteirizada por Jay Carson (‘House of Cards‘), que assume o posto de showrunner e também produtor executivo ao lado de Witherspoon. Brian Stelter, correspondente da emissora CNN, será o consultor.

A Apple TV + abraçou a ideia e foi em frente: deu ao programa um pedido de duas temporadas, cada uma com 10 episódios.

Segue o trailer:

PODEROSAS

Segundo o Hollywood Reporter, Aniston e Reese Witherspoon receberão US$ 2 milhões cada uma por episódio (terminarão a primeira temporada com US$ 20 milhões a mais na conta bancária). Já Steve Carell receberá em torno de US$ 600 mil por episódio.

foto 5.jpeg



Fonte: Apple TV +, Hollywood Reporter, Entertainment Weekly, Youtube, Cine Pop.

Fotos Reprodução: Google

Milena.jpg

Milena Baracat

Coluna Entretenimento

Formada em Comunicação Social pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Campinas). Atualmente presta assessoria ao Site Raquel Baracat.



Dicas de séries por Raquel Baracat - Batwoman (CW)

Minha irmã me falou sobre esta série e assisti o primeiro episódio e me convenceu a continuar vendo, bem feito, sem enrolação, vamos ver se continua nesta linha!

Release:

Kate Kane, uma jovem lésbica, decide utilizar suas altas habilidades de combate para luta contra o crime em Gotham City. Armada apenas com sua paixão por justiça e falando sempre o que pensa, Kate ainda precisa superar seus próprios demônios antes de se tornar um símbolo de esperança para os cidadãos de Gotham.

Fonte: http://www.adorocinema.com/series/serie-23851/

MV5BNTFlYjVlZmEtODhhMS00MjA4LWI1MjEtNGJkMWQ1YWZiY2QzXkEyXkFqcGdeQXVyNDQ0MTYzMDA@._V1_UY268_CR9,0,182,268_AL_.jpg

Quibi - novo streaming criado para celulares - Coluna Entretenimento por Milena Baracat

Com um time de peso de Hollywood, a plataforma chega em 2020

Quibi é uma plataforma de streaming voltada para celulares e que promete causar barulho quando chegar em abril de 2020, já que apresenta um catálogo- e lista de talentos- recheado o suficiente para competir com as gigantes do mercado.

foto 1.png

Junção de “quick bites” (expressão que remete ao consumo instantâneo de tecnologia no mundo moderno), o Quibi terá séries com episódios curtos de 7 a 10 minutos e, para o lançamento, será oferecido um período de teste gratuito de 14 dias com 8 produções “super premium”. Depois disso, serão mais 26 produções originais lançadas às segundas-feiras.

Segundo o fundador do Quibi, Jeffrey Katzenberg, em entrevista à Variety, esses projetos serão equivalente ao que o "‘House of Cards’ foi para a Netflix” e "‘The Handmaid's Tale’ foi para o Hulu”.

foto 2.jpg

(Foto / Reprodução. CEOs da Quibi: Jeffrey Katzenberg, ex-CEO dos Estúdios Disney e da Dreamworks e Margaret Whitman, ex-CEO do EBAY e da HP)

A plataforma conseguiu um aporte de US$ 1 bilhão de investidores como: Sony Pictures, Disney, Warner Bros., Time Warner, MGM, Alibaba, entre outros.

Isso indica que, muitos dos estúdios que ainda não encontraram a maneira mais adequada de distribuir seu material nos dispositivos móveis, apostam no Quibi como uma solução.

Time de peso

A plataforma terá entretenimento para todos os gostos, com projetos bem interessantes protagonizados pela nata de Hollywood. No total são esperados 125 conteúdos semanais e 7 mil ao longo do ano.

A companhia está fechando contratos com grandes nomes como: os diretores Steven Spielberg, Guilhermo del Toro (A Forma da Água), Sam Raimi (Homem-Aranha) e Catherine Hardwicke (Crepúsculo).

foto 3.jpg

(Foto: atores que farão parte do Quibi: Chris Rock, Justin Timberlake e Zac Efron.)

 Alguns dos lançamentos mais aguardados:

O criador da série “Vikings” Michael Hirst produzirá uma nova série baseada no icônico imperador romano Carlos Magno.

Outro lançamento será #FreeRayShawn, um drama com veia social que mistura violência policial com veteranos de guerra, protagonizado por Stephan James (Homecoming) e Laurence Fishburne (Blackish).

O ator e comediante Kevin Hart será a estrela de “Action Scene”, baseada na abertura do show de stand-up “Kevin Hart: What Now?”

foto 4.jpg

Fazem parte do catálogo também o astro Dwayne Johson com “Last Resort”, comédia sobre um hotel de férias no Havaí; assim como o remake da comédia romântica clássica “Como Perder um Homem em 10 Dias”, que será escrito por Guy Branum, e “Last American Vampire” (O Último Vampiro Americano), cujo enredo gira em torno de uma jovem agente do FBI que se junta a um vampiro boa vida de 500 anos para salvar o mundo.

E mais:

Christoph Waltz caçará Liam Hemsworth em nova série

O roteirista da série Scorpion, Nick Santora, escreverá e será showrunner em nova série com o vencedor do Oscar de Melhor Ator Coadjuvante por Bastardos Inglórios e Django Livre, Christoph Waltz, e do galão Liam Hemsworth.

foto 5.jpg

Segundo a sinopse postada pelo site americano Deadline, na série ainda sem título, Dodge Maynard (Hemsworth) é um homem que, sofrendo de uma doença terminal, corre contra o tempo para cuidar da esposa grávida antes que seja tarde demais. Desesperado, ele aceita uma oferta para participar de um jogo mortal. Só que ele não é o caçador, mas a presa. O trailer de ação explora os limites de quão longe alguém pode ir para lutar por sua vida e sua família. “Que os jogos comecem!”.

Série Survive com Sophie Turner

Segundo informações do site Coming Soon, a atriz Sophie Turner (Game of Thrones) e o ator Corey Hawkins (24 Horas: O Legado) foram confirmados como protagonistas da nova série para a plataforma de streaming.

foto 6.jpg

Baseado no romance do autor Richard Abate, Jane e Paul são os únicos sobreviventes da queda do avião em uma montanha remota coberta de neve. Juntos, eles embarcam em uma jornada angustiante para sobreviver, lutando contra condições brutais e traumas pessoais.

 Série Royalties

Darren Criss (Glee), Kether Donohue, Tony Revolori (Homem-Aranha: De Volta ao Lar), Georgia King e John Stamos (Fuller House), são o time de peso da série Royalties.

foto 7.jpg

A série é uma sátira sobre a história quase sempre desconhecida dos compositores que criam hits de sucesso.

Cada episódio terá a participação especial de uma personalidade do mundo do entretenimento interpretando estrelas fictícias.

“Royalties” contará também com músicas inéditas compostas pelo próprio Darren Criss, que também serve como produtor executivo em parceria com Nick e Matt Lang.

 The Fugitive

Baseada no filme de 1993, a série terá o ator Kiefer Sutherland e Boyd Holbrook como protagonistas.

foto 8.jpg

 A trama acompanha Mike Ferro (Holbrook), um trabalhador esforçado que faz de tudo para manter segura sua esposa e a filha, até o dia em que é, erroneamente, acusado de cometer um atentado a bomba no metrô de Los Angeles.

Ele foge antes que possa ser detido e começa uma busca implacável para encontrar o verdadeiro culpado e provar a sua inocência, antes que o lendário Detetive Clay Bryce (Sutherland) possa prendê-lo por um crime que não cometeu.

 When the Street Lights Go On

De acordo com as informações do site The Hollywood Reporter, Queen Latifah será a responsável por viver a personagem principal de “When the Street Lights Go On”, série de suspense da plataforma, que conta com parceria de produção da Paramount TV.

foto 9.jpg

Além de Latifah, outros nomes conhecidos do público estarão no elenco:

Sophie Thatcher, Chosen Jacobs, Sam Strike, Ben Ahlers, Julia Sarah Stone…

foto 10.jpg

…Mark Duplass, Tony Hale, Kristine Froseth e Nnamdi Asomugha.



foto 11.jpg

Dirigida por Rebecca Thomas, a trama vai girar em torno dos desdobramentos da investigação do assassinato de uma jovem.

foto 12.jpg

 Essa são algumas das produções que farão parte do rol de mais de 40 produções que foram encomendadas pelo Quibi.

Ficou interessado pela nova plataforma? Pois saiba que a previsão é que haja dois planos: um com anúncios a US$ 4,99 (cerca de R$ 20) e uma opção livre de publicidade, a US$ 7,99 (R$ 32). A expectativa de estreia ficou para 6 de abril de 2020.

 

Fonte: The Hollywood Reporter / Deadline / Variety / Coming Soon.

Fotos / Reprodução: Google

Milena.jpg

Milena Baracat

Coluna Entretenimento

Formada em Comunicação Social pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Campinas). Atualmente presta assessoria ao Site Raquel Baracat.

 

 

Dicas de séries por Raquel Baracat - A discovery of the witches da Sky One

Em um primeiro momento, A Discovery of Witches pode soar como qualquer outra série do gênero sobrenatural televisionada nos últimos anos: temos uma protagonista que desconhece o alcance do seu poder de bruxa, um vampiro milenar com um sotaque muito sexy, um livro mágico desaparecido e criaturas à espreita. No entanto, a série baseada na Trilogia das Almas da autora Deborah Harkness consegue ir muito além do mero clichê do amor proibido entre seres mágicos, perseguidos pelos seus, e é capaz de entregar uma produção que instiga o seu público ao mesmo tempo em que nos faz sempre desejar por mais.

valkirias-a-discovery-of-witches-7.png

Diana Bishop (Teresa Palmer) é uma doutora em história muito respeitada, mas que sempre sentiu que havia algo faltando em sua vida. Filha única de pais bruxos, se tornou órfã aos sete anos de idade e foi criada por sua tia Sarah (Alex Kingston) e a esposa, Emily (Valarie Pettiford). Devido à maneira traumática como perdeu os pais, Diana passa a rejeitar suas raízes mágicas e torna-se determinada a parecer o mais comum possível, misturando-se com os humanos da melhor forma que consegue. Diana dedica-se aos estudos com afinco e é muito respeitada em sua área, conduzindo pesquisas na renomada Universidade de Oxford enquanto consulta os arquivos da Biblioteca Bodleiana. Durante suas pesquisas, ela se depara com um antigo manuscrito de alquimia, até então desaparecido, o Ashmole 782: Diana é a única pessoa, em séculos, a ver o manuscrito, o que revela um poder imenso que chama atenção de demônios, vampiros e bruxas. É a partir desse momento que Diana vê sua vida tão calculadamente normal virar de cabeça para baixo quando se torna alvo de todas as criaturas sedentas pelo conteúdo do livro.

1186940.jpg

Uma dessas criaturas – forma como são chamados vampiros, bruxas e demônios nesse mundo – é Matthew de Clairmont (Matthew Goode), um vampiro que anda pela Terra há mais de 1500 anos. A descoberta do Ashmole 782 faz com que Matthew se aproxime de Diana, mas se a princípio seu interesse é apenas o livro, o poder e os segredos que estão em suas páginas, logo os sentimentos do vampiro se transformam em algo diferente ao passo que conhece melhor a historiadora. Diana, enquanto isso, sente que as boas maneiras de Matthew, seu jeito polido e galanteador de agir nada mais são do que pretextos para chegar ao livro, mas ela também não demora a se deixar atrair por ele. Matthew sabe que Diana é uma bruxa poderosa justamente por ter conseguido invocar o livro desaparecido mesmo que sem querer, mas ela reluta até o último instante para se reconciliar com sua verdadeira natureza – o que a leva quase ao ponto de sofrer as consequências por ser ignorante no que se refere ao domínio da magia, colocando sua vida em risco algumas vezes.

A Discovery of Witches pode até evocar a Saga Crepúsculo e os melhores anos de The Vampire Diaries, mas a diferença primordial entre a série da Sky One e suas predecessoras reside justamente em sua protagonista: Diana Bishop pode até não ter seus poderes em completo controle no início dessa trama, mas ela não ocupa o posto de donzela em perigo em nenhum momento. Antes de se ver parte de um enredo muito maior do que ela, Diana é uma professora e pesquisadora competente, é uma mulher em pleno domínio de sua vida e ainda que no livro em que a série é baseada ela seja descrita como prodígio, sendo admitida em uma faculdade aos dezesseis anos e dona de memória fotográfica, na série a personagem não tem todo esse pano de fundo em que se apoiar. Diana é, em contraparte, a última bruxa da poderosa linhagem dos Bishop, mas até que ela retome as boas relações com sua parte mágica, isso não quer dizer muita coisa pra ela – pelo menos até o Ashmole 782 surgir em sua vida.

Quando Diana retira o livro na Biblioteca Bodleiana ela é capaz de sentir a magia impregnada em suas páginas, mas devido aos problemas que tem com coisas mágicas, decide devolvê-lo ao seu lugar de origem. Mas isso não a impede de despertar o poder contido no manuscrito, o que chama a atenção de todas as criaturas mágicas nas redondezas, interessadas no encadernado. O que Diana não sabe, por ignorar sua herança mágica, é que o Ashmole 782 é importantíssimo para bruxas, vampiros e demônios justamente por conter as respostas a respeito da origem de cada um deles e, por consequência, a maneira mais eficaz de destruí-los. Algo tão poderoso não pode cair nas mãos erradas, por isso Diana e Matthew acabam se unindo, de maneira relutante no começo, para evitar que o manuscrito seja apropriado por criaturas com ideais nada altruístas.

No mundo de A Discovery of Witches, bruxas e vampiros se odeiam, enquanto demônios são considerados criaturas de segunda classe. Ainda que suas leis sejam regidas pela centenária Congregação – conselho formado sempre por três bruxos, três vampiros e três demônios – não é raro que disputas aconteçam entre eles. É por conta desse tipo de conflito que cada uma das criaturas tem interesse em tomar posse do livro, visto que os clãs querem ter poder uns sobre os outros, colocando a existência de seus adversários em cheque. Como se não bastasse existir uma centenária disputa por poder, o relacionamento entre criaturas diferentes é proibido, o que coloca mais um alvo nas costas de Diana – primeiro, por ter encontrado o Ashmole 782 quando ninguém mais conseguiu, e segundo, por ter se apaixonado por Matthew (…).

De maneira geral, A Discovery of Witches se revela um bom entretenimento: tem personagens carismáticos, uma protagonista que não apenas salva a si mesma mas o poderoso vampiro também, além de cenários de tirar o fôlego. Sua trama a respeito do manuscrito mágico é interessante de acompanhar, mas o roteiro precisa deixar de ser tão literal, visto que apontar obviedades acaba incomodando em alguns momentos. O formato enxuto, com oito episódios, faz com que a trama se desenvolva com agilidade, o que não deixa o público entediado, mas peca ao deixar todas as explicações sobre a mitologia de maneira muito didática – os roteiristas precisam acreditar que seu público, mesmo sem ter lido a Trilogia das Almas, será capaz de compreender e acompanhar a jornada de Diana Bishop. A trama se apoia em vários clichês do gênero, mas isso não é de todo ruim: nós sabemos de antemão que certas ações terão certos desdobramentos simplesmente por termos visto antes em outras produções, mas não é algo que prejudique a trama como um todo. A Discovery of Witches iniciará as filmagens de sua segunda temporada em abril de 2019 e, enquanto isso, com alguns mistérios deixados em aberto – principalmente no season finale -, só nos resta aguardar para descobrir o que o futuro – ou o passado, no caso – reservam para Diana, Matthew e todas as criaturas.

Fonte: http://valkirias.com.br/a-discovery-of-witches/

Dicas de séries por Raquel Baracat - Carnival Row da Amazon Prime Video

Dizem que essa série da Amazon Prime Video será o próximo Game of the Thrones, estou no segundo episódio e vi que é uma série bem feita, com produção cara e ótimos atores, tudo ainda parece um mistérios, inclusive os personagens, mas estou gostando, é uma série diferente e fantasiosa!

2381082.png

Sinopse:

“Um serial killer inicia uma onda de crimes a criaturas mágicas na vitoriana Burgue, iniciando uma conturbada investigação que transforma o detetive do caso no principal suspeito dos terríveis crimes”.

Fonte: http://www.adorocinema.com/series/serie-18705/