Plantas tóxicas aos animais - Coluna Vida de Bicho por Isadora dos Reis Casline

Muita gente me pergunta sobre as espécies de plantas que podem ser consideradas tóxicas tanto aos cães, como aos gatos. E muita gente também não sabe que existem plantas bem comuns que temos em casa que podem apresentar sérios riscos ao seu amigo.

O problema é bem comum, já que os animais mastigam as plantas , seja por disfunção digestiva ou até mesmo por tédio.

Quando a planta é inofensiva, observaremos apenas vômitos com restante de folhas mastigadas ou até pelos no caso de gatos, já que nesse caso o animal simplesmente mastigou a planta porque sentia algum desconforto abdominal.

Já no caso da planta que faz mal, os sintomas serão: salivação intensa, dor abdominal, tremores e até hemorragias, evoluindo para dificuldade respiratória e até óbito, dependendo da quantidade ingerida de folhas.

Já presenciei casos de gatos com mais idade que ingeriram plantas nocivas e chegaram a apresentar quadro de insuficiência renal aguda, levando depois ao óbito, por isso todo cuidado com a planta que irá se colocar no mesmo espaço que o animal.

A mais famosa das tóxicas e que muita gente tem em casa é a Comigo – ninguém – pode.  A ingestão de pequenas porções dessa planta já causa um estrago enorme, como cólicas abdominais, náuseas e vômitos e também diarréia sanguinolenta.

isaadora.jpg

Outra muito comum nas casas é a Azaleia. Ela causa alterações digestivas também e até alterações cardíacas.

isa.jpg

Muito bonita a Azaléia, desde que esteja longe do seu bichinho!

Na lista das perigosas também temos a Mamona, a Babosa , a Costela de Adão e a Hera, que são também facilmente encontradas como plantas de ornamentação em casa. Causam também salivação, vômitos, pruridos e até desordens neurológicas.

E temos também a que parece bem inofensiva mas não é. Nossa querida Samambaia! Ingerida pelos bichos , pode causar até perda aguda de sangue.

isa5.jpg

Existem muitos outros tipo de plantas, principalmente as ornamentais que tem potencial extremamente tóxico, então quando quiser ter uma delas em casa , é sempre bom dar uma pesquisada antes.

A maioria das intoxicações por plantas em cães e gatos não tem mortalidade alta, desde que o tratamento seja precoce. Por isso, se você suspeitou de que seu amigo tenha mastigado alguma planta na sua casa e esteja intoxicado, nada de ficar dando leite, que é uma prática comum que as pessoas fazem, mas sim, corra pro seu veterinário!

Se gostou do post ou tenha alguma dúvida, entre em contato comigo aqui ou pela fan page Isa Casline Veterinária

Isadora.jpg

Isadora dos Reis

Coluna Vida de Bicho

Formada em dezembro de 2001, pela Fundação de Ensino Octavio Bastos, em São João da Boa Vista. Especialização em clinica medica de pequenos animais e dermatologia veterinaria. Área de clinica médica e atendimentos personalizados em domicílio na zona norte  e central de São Paulo e também em Guarulhos.Contato: isacasline@gmail.com

Posso cortar a unha do meu gato? Coluna Vida de bicho por Isadora dos Reis Casline

Sobre o corte de unha em gatos:

O corte de unha é diferente da RETIRADA da unha, esse sim, um procedimento que causa sofrimento ao animal. No corte apenas se retiram as pontas para que o animal não fique preso pela unha em lençóis, nem se machuque ao se coçar ou ainda se tiver convivência com outros animais, não acontecer nenhum acidente. Existem ainda unhas que crescem muito e acabam entrando no coxim ( almofadinha), causando dor e inflamação e aí o animal não consegue nem andar. Mesmo animais que tenham arranhadores em casa e gastem as unhas, pode ser que haja a necessidade do corte.
” Ah , mas a unha é a proteção do gato quando ele sai na rua, porque isso é um instinto felino e gatos que não saem na rua são infelizes”. NÃO, isso não é verdade.

O gato é um animal muito adaptável, portanto se o ambiente pra ele estiver rico em arranhadores, prateleiras pra  escalar e afins, ele será um bichano feliz. Deixar um gato com acesso direto a rua é simplesmente condena-lo à uma expectativa de vida menor, pois com certeza será um animal com grandes chances de atropelamento, envenenamento, adquirir doenças graves e ainda ser vítima da maldade humana. Portanto, se você ama seu gato, deixe-o dentro de casa com tudo o que ele precisa.

Mais dúvidas?? Acessem a página Na casa do bicho- Isa Casline Veterinária e me sigam também no instagram:@nacasadobicho

Isadora dos Reis

Coluna Vida de Bicho

Formada em dezembro de 2001, pela Fundação de Ensino Octavio Bastos, em São João da Boa Vista. Especialização em clinica medica de pequenos animais e dermatologia veterinaria. Área de clinica médica e atendimentos personalizados em domicílio na zona norte  e central de São Paulo e também em Guarulhos.Contato: isacasline@gmail.com

O sumiço da Pelota - Coluna Vida de Bicho por Isadora dos Reis Casline

Hoje eu só queria falar da Pelota, aí em cima! Ela é a gatinha da minha prima Vanessa, que a resgatou bem pequena mesmo e a criou na mamadeira. Na ultima sexta feira 13, a Pelota desapareceu. Sim, sexta feira 13!

Sempre postamos coisas nas redes sociais e falamos aos clientes dos perigos de se deixar gatinhos pretos vagando por aí, porque infelizmente ainda tem muita gente ignorante que faz maldade com eles. E muita gente que os usa para rituais em certas crenças. Mas a Pelota, já castrada, nem saía de casa, mal ficava no quintal e nem no muro subia. Alguém, com certeza, já sabendo da bichinha ali, num momento de distração da família, aproveitou e levou a gatinha consigo. Ela, segundo minha prima, era bem tranquila e bobinha.

Posso imaginar o desespero da minha prima, eu também tenho meu pretinho, assim como outros bichanos. No momento o que posso fazer é contar a história dela pra vocês e pedir muito pra São Francisco que ela fique bem!

Muito triste saber que isso pode acontecer com qualquer bicho nosso; que o mundo ainda tá longe no quesito respeito aos animais….

Isadora dos Reis

Coluna Vida de Bicho

Formada em dezembro de 2001, pela Fundação de Ensino Octavio Bastos, em São João da Boa Vista. Especialização em clinica medica de pequenos animais e dermatologia veterinaria. Área de clinica médica e atendimentos personalizados em domicílio na zona norte  e central de São Paulo e também em Guarulhos.Contato: isacasline@gmail.com

Piometra - O que é isso? Coluna Vida de Bicho por Isadora dos Reis Casline

Você ouviu do seu médico veterinário que sua cachorrinha ou gatinha , está com Piometra. O nome te assustou! Sim, é uma doença séria, mas se tratada rapidamente, o animal volta à ficar sadio em pouco tempo.

Meu nome é Chiara! Quando tinha 10 anos comecei a ficar muito mal e não queria comer, fui diagnosticada com piometra. Felizmente minha dona Ana foi rápida em me tratar e logo fiz a cirurgia. Hoje tenho 15 anos e estou muito bem, obrigada!

 

A Piometra é uma infecção bacteriana que ocorre no endométrio, lá dentro do útero, causada por uma exposição prolongada ao hormônio progesterona. Ocorre uma hiperplasia ( aumento) desse endométrio, acumulando líquido no lúmen do útero, somado ainda à diminuição das defesas imunitárias locais, principalmente em cadelas ou gatas de meia idade para cima, tornando o meio uterino propício a multiplicação bacteriana. As fêmeas felinas tem menos propensão a esse problema pois as concentrações de progesterona não são tão elevadas como nas cadelas. Animais jovens também são menos acometidos, mas não se engane achando que por ser um animal novinho , a Piometra não pode aparecer, já que eu mesma  diagnostiquei uma fêmea de menos de um ano de idade. Cuidado também com o uso de anticoncepcionais veterinários nos animais, porque o uso de hormônios exógenos aumenta consideravelmente o número de casos da doença.

O animal acometido apresenta apatia, febre, diminuição de apetite,  e em alguns casos, vômito. A doença pode tanto ser de cérvix aberta, que é quando aparece uma secreção vaginal purulenta, ou de cérvix fechada, onde aparece a distensão abdominal, e não há secreção alguma. Essa é mais séria, porque pode ocorrer a ruptura do útero e ainda a migração das bactérias para o rim.

Porém há casos em que o animal não tem distensão abdominal e nem corrimento e quando faz os exames diagnósticos lá está ela, começando, dando início aos sintomas de apatia do animal. Os sinais começam a aparecer geralmente logo após o cio.

O diagnóstico geralmente é feito com exames de sangue e ultrassonografia abdominal.O tratamento é cirúrgico, com a retirada de todo útero e dos ovários e acompanhado de ampla antibioticoterapia.  Há casos que o animal necessita de internação com fluidoterapia , principalmente quando a doença já está bem avançada deixando o animal debilitado. Por isso é importante o diagnóstico precoce, evitando assim complicações como a septicemia( infecção generalizada).

Por isso sempre falamos muito de castração. A castração evita ,além do abandono de filhotes e animais adultos, tumores em mama, útero e também a Piometra. Não tenha medo de castrar o seu animal. Quanto mais jovem, mais tranquila é a cirurgia.

Isadora dos Reis

Coluna Vida de Bicho

Formada em dezembro de 2001, pela Fundação de Ensino Octavio Bastos, em São João da Boa Vista. Especialização em clinica medica de pequenos animais e dermatologia veterinaria. Área de clinica médica e atendimentos personalizados em domicílio na zona norte  e central de São Paulo e também em Guarulhos.Contato: isacasline@gmail.com

O transporte de cães e gatos nos ônibus municipais paulistanos - Coluna Vida de Bicho por Isadora dos Reis Casline

Para felicidade de muitos proprietários, há pouco mais de um mês já está em vigor, a lei que permite o transporte de cães e gatos dentro dos ônibus municipais.


Mas como ela funciona?

Os animais que podem ser transportados são os cães até 10 kilos e gatos, sendo que tem que estar dentro de caixinhas de transporte. O ônibus não pode levar mais que dois animais por vez e também não é permitido levar animais nos horários de pico, que são entre 6 e 10 horas da manhã e entre as 16 e 19 horas. O proprietário deve portar a carteirinha de vacinação que tem que estar em dia e deve-se pagar o preço cheio da passagem que é de R$ 3,50.

E como as pessoas estão reagindo a essa novidade?

Segundo li na internet , os relatos são de que os animais são bem recebidos pelos motoristas e cobradores e pouca gente se incomoda, mesmo quando o proprietário usa um assento para apoiar a caixinha com o animal dentro. Houve muitos casos em que não foi cobrada a passagem do peludo, embora conste na lei que deve ser paga. Para os proprietários, mesmo que a passagem tenha que ser paga, é muita vantagem já que o único meio até então de transportar o animal era com o taxi dogs que cobram um valor bem maior para esse serviço especializado.

Isadora dos Reis

Coluna Vida de Bicho

Formada em dezembro de 2001, pela Fundação de Ensino Octavio Bastos, em São João da Boa Vista. Especialização em clinica medica de pequenos animais e dermatologia veterinaria. Área de clinica médica e atendimentos personalizados em domicílio na zona norte  e central de São Paulo e também em Guarulhos.Contato: isacasline@gmail.com