Crítica de cinema por Vicente Neto - Filmes: A Quiet Place, Winchester, The Death of Stalin, Deadpool II

A Quiet Place (título em Português: “Um Lugar Silencioso”)

a-quiet-place.jpg

Ouvi falar muito bem deste filme. Não tinha visto nem o trailer ainda, e já estava curioso para assistir. E por ter Emily Blunt como atriz principal, me animou ainda mais.

O filme mostra a vida de uma família no meio-oeste americano, no ano de 2020, convivendo com a presença de alienígenas cegos, que atacam quando ouvem o menor ruído feito. Então, para se protegerem, eles devem viver em silêncio absoluto.

Posso dizer sem medo que este filme foi o mais interessante que assisti este ano (quiçá dos últimos tempos!). E o silêncio, em grande parte do filme, o torna muito tenso, mas sem ser um filme de suspense clichê. Quem não viu ainda, não perca!

Winchester (título em Português: “A Maldição da Casa Winchester”)

Winchester-poster.jpg

Não curto muito mais esses filmes de espíritos, que acabou virando uma modinha há uns anos. Acho que ficou tudo mais do mesmo... Este me chamou atenção por ter Helen Mirren. Não achei que um filme com ela, como protagonista, fosse ruim. Hum....

Sarah Winchester (Helen Mirren) é a herdeira da famosa empresa de armas de fogo. Os demais acionistas, acham que Sarah não tem mais condições psicológicas de comandar a empresa, após a repentina morte de seu marido e filha. Para tentar afastá-la, estes contrataram o psiquiatra Eric para analisa-la.

Eric vai, então, passar uns dias na imensa mansão Winchester, a qual passa 24 horas por dia em obras de ampliação e reformas.

Sarah mantem as obras pois ela acredita que deva construir aposentos iguais aos que as vítimas das armas de fogo estavam quando morreram, para assim, estas conseguirem ter paz e pararem de assombrá-la.

Ledo engano achar que uma grande atriz pudesse fazer deste filme, um bom filme... ou diferente dos outros do mesmo ‘tipo’. Muitas cenas gratuitas feitas apenas para assustar os espectadores. Filme totalmente dispensável!

The Death of Stalin (título em Português: “A Morte de Stalin”)

Death-of-Stalin-posters-1.jpg

Não sabia nada sobre este filme. Apenas que tinha Steve Buscemi no elenco e que era meio comédia.

Depois de 30 anos no poder da União Soviética, Stalin morre. Nos dias seguintes a sua morte, os membros do Partido Comunista, antes altamente fiéis ao ditador, revelam a sua sede de poder. Quem for mais esperto, vence e consegue se manter naquele Partido.

Sinceramente? Uma bomba... Alguns poucos momentos engraçados, mas era quase um filme com os Trapalhões. Muita bobagem que, pra mim, não fez o filme ser divertido, não.

Deadpool 2

Deadpool_2_poster_003.jpg

Assisti ao primeiro sem saber nada a respeito deste personagem, e acabei me divertindo com o filme. Esperava, então, mais ou menos a mesma coisa deste.

Quando o super soldado Cable (Josh Brolin) chega do futuro em uma missão para assassinar o jovem mutante Russel (ou Fire Fist), Deadpool (Ryan Reynolds) precisa aprender o que é ser herói de verdade para salvá-lo. Para isso, ele forma o novo grupo X-Force, uma sátira aos X-Men.

Muitas cenas de ação e, como no primeiro, bem divertido! Algumas participações famosas. Vá assisti sem preconceitos e tenho certeza que vai curtir.

Vicente.jpg

Vicente Neto

Coluna Crítica de Cinema

Engenheiro que, desde pequeno, é apaixonado por cinema. Procura assistir a todos os filmes possíveis na telona e, se deixa escapar, assiste em DVD. Costuma sempre ver o lado bom de cada filme que assiste, mesmo se este não agradar muito. Suas críticas são praticamente uma conversa entre amigos, comentando do filme que assistiu.

Crítica de cinema por Vicente Neto - Filme: Avengers: Infinity War (Vingadores: Guerra Infinita)

Avengers: Infinity War (título em Português: “Vingadores: Guerra Infinita”)

Avengers_Infinity_war_poster.jpg

Mais um filme da franquia. Blockbuster puro, do jeito que eu gosto rs

Confesso que tenho memória curta e não lembro de detalhes dos filmes anteriores, onde neste, existem algumas referências, mas nada que estrague o entendimento.

O poderoso vilão Thanos está atrás das seis pedras infinitas (“Infinity Stones”). Ao coletá-las, este terá o poder supremo e poderá destruir o universo.

Homem de Ferro, Thor, Hulk e o resto dos Vingadores se unem aos Guardiões da Galáxia para lutar contra o poderoso inimigo.

Não tem muito o que falar sem fazer spoilers. Pra quem gosta da série, é um prato cheio! Já esperando 2019 para a sequência...

Vicente.jpg

Vicente Neto

Coluna Crítica de Cinema

Engenheiro que, desde pequeno, é apaixonado por cinema. Procura assistir a todos os filmes possíveis na telona e, se deixa escapar, assiste em DVD. Costuma sempre ver o lado bom de cada filme que assiste, mesmo se este não agradar muito. Suas críticas são praticamente uma conversa entre amigos, comentando do filme que assistiu.

Crítica de cinema por Vicente Neto - Filme - Game Night (Título em Português: “A Noite do Jogo”)

Game Night (Título em Português: “A Noite do Jogo”)

Quando assisti ao trailer, confesso que achei bem bobo e imaginava que o filme não seria nada além disso. Mas como os atores principais são Rachel McAdams e Jason Bateman, eu tive que ir conferir, pois gosto deles.

Game-Night-New-film-poster.jpg

Max (Bateman) e Annie (McAdams) são um casal viciados em jogos de tabuleiros e afins. Eles participam de um grupo de casais que organizam noites de jogos frequentemente.

O irmão de Max, Brooks, está na cidade a trabalho, e resolve organizar um jogo diferente do que eles estão acostumados e que seria um jogo inesquecível: um sequestro falso onde os participantes seriam os investigadores.

O problema é que Brooks é sequestrado de verdade, e eles acreditam que tudo faz parte da misteriosa brincadeira. Os seis amigos competitivos precisam, então, resolver o caso para vencer o jogo, mas as coisas vão ficando cada vez mais enroladas.

Apesar de alguns momentos serem divertidos, não é nada demais. O enredo é até interessante e diferente, mas bem bobinho. Espere passar na TV.

Vicente.jpg

Vicente Neto

Coluna Crítica de Cinema

Engenheiro que, desde pequeno, é apaixonado por cinema. Procura assistir a todos os filmes possíveis na telona e, se deixa escapar, assiste em DVD. Costuma sempre ver o lado bom de cada filme que assiste, mesmo se este não agradar muito. Suas críticas são praticamente uma conversa entre amigos, comentando do filme que assistiu.

Crítica de cinema por Vicente Neto - Filmes: Entebbe (7 dias em Entebbe) e Gringo (Gringo: vivo ou morto)

Entebbe (Título em Português: “7 Dias em Entebbe”)

entebbe-poster.jpg

Pouco (ou nada) sabia sobre o caso retratado neste filme. Por ser o novo filme do José Padilha, fiquei curioso.

Baseado nos fatos ocorridos em julho de 1976, o voo da Air France de Tel Aviv à Paris foi sequestrado e forçado a pousar em Entebbe, na Uganda. Os passageiros judeus foram mantidos reféns para ser negociada a liberação dos terroristas e anarquistas palestinos presos em Israel, na Alemanha e na Suécia. O governo israelita decide organizar uma operação de resgate, atacar o local  onde estão os sequestradores (antigo terminal do aeroporto de Entebbe) e soltar os reféns.

Nada além de interessante. Foi bom para saber mais sobre o caso, mas é daqueles filmes que você assiste, e dias depois, pouco se lembra.

Gringo (Título em Português: “Gringo: Vivo ou Morto”)

gringo-poster.jpg

O filme me atraiu pelo elenco (Charlize Theron) e o estilo do cartaz me chamou a atenção. Fui ver mas com pé atrás...

Harold Soyinka trabalha para a Promethium, uma empresa farmacêutica de Chicago que desenvolveu o Cannabax, um remédio revolucionário à base de maconha. Quando é enviado para o México para entregar a fórmula do medicamento ao laboratório que o vai produzir, pensa ter encontrado a oportunidade de provar o seu valor na empresa.

Porém, ele descobre que a empresa seguirá em frente com uma fusão com outra gigante da área, e seu emprego está por um fio. Seu amigo e dono da empresa, Richard, e sua sócia Elaine (Charlize), negam tal informação, mas Harold descobre a verdade.

Assim, ele acaba fingindo que foi sequestrado, para tentar arrancar algum dinheiro de Richard, já que está prestes a quebrar. Só que nem tudo é assim tão simples!

Até que foi melhor do que eu esperava. Sim, tem alguns momentos de “piada” que tentaram fazer o filme ficar engraçado, que não funcionaram, mas no geral, é um filme divertido. Recomendo assistir sem grandes expectativas.

Vicente.jpg

Vicente Neto

Coluna Crítica de Cinema

Engenheiro que, desde pequeno, é apaixonado por cinema. Procura assistir a todos os filmes possíveis na telona e, se deixa escapar, assiste em DVD. Costuma sempre ver o lado bom de cada filme que assiste, mesmo se este não agradar muito. Suas críticas são praticamente uma conversa entre amigos, comentando do filme que assistiu.

 

 

Crítica de cinema por Vicente Neto - Filmes: Der Hauptmann (O capitão), Mary Magdalene (Maria Madalena) e Ready Player One (Jogador nº1)

Der Hauptmann (Título em Português: “O Capitão”)

Der Hauptmann.jpg

Li a sinopse (raramente faço isso), e me interessei em assistir a este filme. Ainda mais sendo um filme baseado em fatos reais.

O filme se passa no final da Segunda Guerra. Vários soldados alemães, conscientes da derrota, optam por desertar. Um deles é Willi Herold, de 19 anos. Na sua fuga, o rapaz depara-se com um automóvel abandonado onde encontra uma mala com um uniforme de capitão. Ele resolve vestir tal uniforme e assumir a identidade de capitão, sentindo o poder inerente.

Reunindo um grupo de desertores, eles iniciam uma onda de assassinatos e saques por todos os lugares por onde passam.

Apesar do enredo ser interessante, achei que o filme enrolou muito do meio para o final. Ficou um pouco chato...

Mary Magdalene (Título em Português: “Maria Madalena”)

Mary-Magdalene-Film-Poster.jpg

Filmes do tipo religiosos não fazem muito meu tipo, mas quando são atores famosos, ou grandes diretores, eu acabo ficando curioso. Nesse caso, gostei de saber que a atriz principal era a Rooney Mara, que acho ser muito boa atriz.

A pescadora Maria Madalena acaba sendo forçada pela família a se casar com um homem, recém viúvo, e com a obrigação de ser mãe. Não querendo isto para sua vida, ela vai atrás de Jesus de Nazaré (Joaquin Phoenix), em uma missão de propagar a fé, fugindo de sua família e enfrentando uma certa resistência dos demais apóstolos.

O filme mostra, então, os últimos momentos da história de Jesus, pela perspectiva desta apostola.

Filme paradão, obviamente, mas interessante saber mais sobre esta personagem tão famosa (injustamente chamada de prostituta) e tão desconhecida, ao mesmo tempo (ao menos para mim, leigo no assunto). Quem gosta do estilo, deve gostar.

Ready Player One (Título em Português: “Jogador nº 1”)

readyplayerone_poster.jpg

Novo filme do Spielberg... Tinha que assistir! Rs Assisti ao trailer e tinha achado bem interessante, apesar de ser sobre um universo que não faço parte: games. Mas, no mínimo, grandes efeitos especiais.

Em 2044, o jogo de realidade virtual Oasis é o maior sucesso do mundo. Neste jogo, cada pessoa pode ser, ter e fazer o que quiser, basta ter algumas moedinhas virtuais, e ir ganhando mais dentro daquele mundo.

O criador deste universo, James Halliday, morre, e deixa como herança um enigma dentro do Oasis e, quem desvendá-lo e encontrar o ‘Easter Egg’, será o novo bilionário proprietário do jogo.

Wade Watts, juntamente com seus 4 amigos virtuais, tem de enfrentar a poderosa IOI (Innovative Online Industries) na busca do ovo. E esta disputa passa a barreira do virtual para o mundo real.

Efeitos visuais incríveis, músicas dos anos 1980 e muita citação de cultura pop (cinema, games e música). Diversão garantida, cinemão blockbuster dos bons! Especialmente se você é do tipo que gosta de jogar on line.

Vicente.jpg

Vicente Neto

Coluna Crítica de Cinema

Engenheiro que, desde pequeno, é apaixonado por cinema. Procura assistir a todos os filmes possíveis na telona e, se deixa escapar, assiste em DVD. Costuma sempre ver o lado bom de cada filme que assiste, mesmo se este não agradar muito. Suas críticas são praticamente uma conversa entre amigos, comentando do filme que assistiu.

Crítica de cinema por Vicente Neto: Filmes: Lady Bird, Mark Felt: The man who brought down the White House, Tomb Raider

Lady Bird (título em Português: “Lady Bird: A Hora de Voar”)

lady_bird_ver2_xlg.jpg

Dos filmes candidatos ao Oscar, este era o último que faltava eu assistir. E estava bastante ansioso pelo tanto que comentaram, e imaginava ser um tipo “Little Miss Sunshine”, filme ‘simples’ que fez um sucesso inesperado.

Christine McPherson, que se auto apelidou como “Lady Bird”, é uma garota muito esperta, que está no último ano do ensino médio, e seu maior sonho é fazer uma faculdade na Costa Leste americana, para sair da cidade onde vive (Sacramento, Califórnia), apesar de sua mãe (Laurie Metcalf, excelente atriz que faz a mãe de Sheldon Cooper em ‘The Big Bang Theory’) não aceitar muito esta ideia.

O filme mostra, então, a vida desta menina neste último ano escolar, os problemas de estudar em uma escola católica, seus relacionamentos amorosos frustrados e inúmeras brigas com sua mãe.

Filme bem leve e sem grandes acontecimentos, mas muito gostoso de assistir. Não espere muito (ainda mais pelo fato de ser candidato ao prêmio máximo do cinema), mas acho que vale a pena assistí-lo, sim. Gostei muito, também, da atriz que faz o papel principal!

Mark Felt: The Man Who Brought Down The White House (título em Português: “Mark Felt: O Homem que Derrubou a Casa Branca”)

mark_felt_the_man_who_brought_down_the_white_house_xlg.jpg

Filme é baseado na “confissão” de Mark Felt, o segundo homem mais poderoso do FBI. Mark, logo após ter sofrido acidentes vasculares, instruiu seu advogado a divulgar seu envolvimento nas investigações retratadas neste filme.

Após a morte de J. Edgar Hoover, Mark Felt acreditava que iria assumir a direção do FBI, mas teve seu tapete puxado pela Casa Branca. Por tal motivo, se sentiu incomodado e resolveu desobedecer ordens engajando-se na investigação do escândalo de Watergate, e se torna o principal informante da imprensa, sendo chamado nos jornais de ‘Garganta Profunda’.

Aqueles filmes que são mais interessantes para o público americano, mas vale a pena para saber o que aconteceu nos bastidores do governo Nixon e dentro do FBI.

Tomb Raider (título em Português: “Tomb Raider: A Origem”)

Tomb Raider.jpg

Como eu jogava no computador o jogo (!) Tomb Raider, e havia assistido ao primeiro filme com a personagem principal Lara Croft, de 2001, estava curioso para assistir a este.

Aos 21 anos, Lara Croft (Alicia Vikander) se recusa a assumir a companhia global do seu pai, desaparecido há sete anos, pois para isto, ela teria que assumir e aceitar que ele havia morrido.

Para investigar e tentar desvendar o sumiço de seu pai, ela decide ir até o último lugar onde ele esteve, e inicia uma perigosa aventura numa ilha japonesa.

Alicia mandou bem no papel, e achei o enredo legal. Claro que tem alguns clichês e absurdos padrões de filmes de ação, mas é um bom divertimento! Recomendo mesmo pra quem não jogava Tomb Raider.

Vicente.jpg

Vicente Neto

Coluna Crítica de Cinema

Engenheiro que, desde pequeno, é apaixonado por cinema. Procura assistir a todos os filmes possíveis na telona e, se deixa escapar, assiste em DVD. Costuma sempre ver o lado bom de cada filme que assiste, mesmo se este não agradar muito. Suas críticas são praticamente uma conversa entre amigos, comentando do filme que assistiu.

Crítica de cinema por Vicente Neto - Filmes: Red Sparrow e I, Tonya

Red Sparrow (Título em Português: “Operação Red Sparrow”)

red_sparrow_xlg.jpg

Filme com Jennifer Lawrence, ultimamente, é sinônimo de um bom (e grande) filme. Este, não podia ser diferente.

Dominika Egorova (Jennifer Lawrence) é uma talentosa bailarina do grupo Bolshoi. Após um acidente no palco, ela fica impossibilitada de dançar. Seu tio, então, para ajuda-la, oferece um trabalho em troca de dinheiro: seduzir um importante homem para pegar informações em seu celular.

Depois deste serviço, ela é convocada a ser treinada na melhor escola de espionagem russa, para se tornar uma Sparrow, ou agente.

Sua próxima missão é descobrir o nome de um americano infiltrado na Rússia, junto a um agente da CIA. Para isto, ela acaba se envolvendo com o mesmo, e isto traz alguns problemas para Dominika.

Gostei bastante, apesar de em alguns momentos, achar um pouco confuso. Mas vale ver, sim. Recomendo!

I, Tonya (Título em Português: “Eu, Tonya”)

i_tonya_xlg.jpg

Como já comentei, eu gosto muito dos filmes baseados em eventos reais e/ou biografias. Confesso que não lembrava da Tonya Harding e de todo caso envolvendo a mesma, então foi novidade para mim.

Desde pequena, Tonya Harding (Margot Robbie) se destaca na patinação artística no gelo, e aguenta os maus-tratos e humilhações de sua mãe (a excelente Allison Janney).

Ela acaba se casando com seu primeiro namorado, e sofre muito também com as violências de Jeff.

Entre altos e baixos na carreira, e idas e vindas em seu relacionamento, a atleta acaba indiretamente envolvida numa agressão com sua principal rival, Nancy Kerrigan, durante a preparação para os Jogos Olímpicos de Inverno de 1994.

Gostei bastante! Filme conta a vida de Tonya, com bastante humor apesar de ser bastante dramática. As cenas de patinação de Margot são muito bem feitas. Recomendado!!

Vicente.jpg

Vicente Neto

Coluna Crítica de Cinema

Engenheiro que, desde pequeno, é apaixonado por cinema. Procura assistir a todos os filmes possíveis na telona e, se deixa escapar, assiste em DVD. Costuma sempre ver o lado bom de cada filme que assiste, mesmo se este não agradar muito. Suas críticas são praticamente uma conversa entre amigos, comentando do filme que assistiu.