Crítica de cinema por Vicente Neto - Filmes: American Animals - O assalto e Um pequeno favor

American Animals (título em Português: “American Animals – O Assalto”)

AmericanAnimals.jpg

Por falta de opção, procurando que filme assistir nesta semana, vi o trailer deste filme. Reconheci apenas um dos atores (que participou da penúltima temporada de “American Horror Story”), e gostei do enredo do filme. O filme diz não ser baseado em factos verídicos, mas sim, ser uma história real!

Faz uma mistura muito interessante entre documentário e ficção, contando a história de uma tentativa de assalto muito audaciosas: roubar livros da biblioteca da Universidade de Kentucky, que pelo seu valor científico e histórico, são avaliados em mais de 10 milhões de dólares.

Spencer, Warren, Eric e Chas procuravam uma mudança nas suas vidas. Procuravam o sonho americano e para isso, acreditaram ser possível tornarem-se ricos do dia para a noite.

Muito legal o fato de os verdadeiros personagens aparecerem contando a história, ao mesmo tempo que as cenas vão acontecendo. O suspense de como o tal assalto vai acontecer, deixa o filme ainda mais interessante. Fui esperando pouco, e me surpreendi. Bem legal!

A Simple Favor (título em Português: “Um Pequeno Favor”)

simple_favor_poster.jpg

 

Achei o trailer um pouco estranho, pois tinha um enredo de filme de suspense policial, mas ao mesmo tempo, pareceu ser mais leve, com jeito de sit-com americano. Curioso, fui conferir.

Stephanie, uma viúva de uma pequena cidade do Connecticut, mãe de um garoto, apresenta um programa na internet em que ensina receitas. Ela vivia uma vida solitária até conhecer Emily, uma sofisticada executiva com um trabalho muito exigente em Manhattan, mãe de um amiguinho de escola de seu filho. 

Tudo começa com um pequeno favor, quando Emily pede à melhor amiga que busque seu filho na escola, mas Emily desaparece! Stephanie sabe que algo de terrível aconteceu e procura pela amiga.

Filme interessante, nem tanto pelo enredo, mas pelo estilo. Apesar do assunto sério, tem um ar de comédia. Bastante divertido e vale assistir!

Vicente.jpg

Vicente Neto

Coluna Crítica de Cinema

Engenheiro que, desde pequeno, é apaixonado por cinema. Procura assistir a todos os filmes possíveis na telona e, se deixa escapar, assiste em DVD. Costuma sempre ver o lado bom de cada filme que assiste, mesmo se este não agradar muito. Suas críticas são praticamente uma conversa entre amigos, comentando do filme que assistiu.

Crítica de cinema por Vicente Neto - Filmes: Papilon, A Freira e Infiltrado na Klan

Papillon

Papillon_Poster.jpg

O primeiro filme, de 1973, não me lembrava de tê-lo assistido (sim, é um clássico, mas acho que nunca o vi). Sabia pouco do enredo, do que sempre é comentado deste clássico.

 

Henri "Papillon" Charrière (Charlie Hunnam), bandido arrombador de cofres na Paris da década de 30. É condenado à prisão perpétua por um crime que não cometeu e acabou sendo enviado para uma prisão na costa da Guiana Francesa. Lá, ele conhece Louis Dega, um famoso falsificador, de quem se torna amigo.

Os dois fazem um pacto: em troca de proteção contra a violência de alguns prisioneiros, Dega compromete-se a ajudá-lo no seu plano de fuga. Mas eles sabem que qualquer tentativa de fuga será punida com anos de solitária. Em alguns casos, o castigo é ser levado para a Ilha do Diabo, de onde nunca ninguém conseguiu escapar com vida...

Apesar de não ter referência do filme original, achei bem interessante. Apesar de meio lento, em alguns momentos, é um bom filme. Vale assistir!

  

The Nun (título em Português: “A Freira”)

nun_xlg.jpg

Quando começaram a falar deste filme, como ‘o mais aterrorizante filme já feito’, fiquei muito curioso, apesar de imaginar o que assistiria...

 Romênia, 1952. Um padre veterano e uma noviça são enviados pelo Vaticano para investigarem o suicídio de uma freira no antigo mosteiro de Cârța. Juntos, descobrem o segredo da ordem, e enfrentam uma força maléfica na forma de uma freira demoníaca.

 É um "spin-off" da série "The Conjuring" e "Annabelle". Um pouco mais do mesmo, pra quem viu os filmes da franquia. Mas se gosta do estilo, é um prato cheio.

  

BlacKkKlansman (título em Português: “Infiltrado na Klan”)

blackkklansman-poster.jpg

Spike Lee não me atrai muito, não. Assisti a poucos de seus filmes, e no geral, não achava nada demais. Claro que sei do valor que os filmes dele tem, especialmente por cutucar os problemas políticos e raciais americanos...

Colorado Springs, 1978. Ron Stallworth, um policial negro, conseguiu se infiltrar na Ku Klux Klan local, inicialmente pelo telefone. Quando precisou estar fisicamente presente, enviava um outro policial branco no seu lugar (Adam Driver), para se passar pelo ‘Ron do telefone’.

Depois de meses de investigação, Ron chegou a ser nomeado líder da seita, e conseguiu também sabotar uma série de ataques e outros crimes de ódio orquestrados pelos racistas.

Gostei do filme, apesar de um pouquinho longo demais para o meu gosto. Apesar das fortes cenas de racismo, e infelizmente, ter bastante referências atuais (especialmente com o atual presidente norte americano), é um filme bastante interessante. Tem até uns momentos divertidos, acho que para contra balancear com o peso dos conceitos criminosos presentes.

Vicente.jpg

Vicente Neto

Coluna Crítica de Cinema

Engenheiro que, desde pequeno, é apaixonado por cinema. Procura assistir a todos os filmes possíveis na telona e, se deixa escapar, assiste em DVD. Costuma sempre ver o lado bom de cada filme que assiste, mesmo se este não agradar muito. Suas críticas são praticamente uma conversa entre amigos, comentando do filme que assistiu.

Crítica de cinema por Vicente Neto - Filme: The Meg (título em Português: “Megatubarão”)

The Meg (título em Português: “Megatubarão”)

TheMeg.jpg

Sabia que não podia esperar muito deste filme. Convenhamos: todo mundo sabe o que vai ver num filme desse tipo, né? Rs

Na fossa mais profunda do Oceano Pacífico, na costa da China, a tripulação de um submarino fica presa dentro do local após ser atacada por uma criatura pré-histórica que se achava estar extinta, um tubarão de mais de 20 metros de comprimento, o Megalodon. Para salvá-los, contratam Jonas Taylor (Jason Statham), um mergulhador especializado em resgates em água profundas que já encontrou com a criatura anteriormente.

Fiquei um pouco constrangido pelo Jason Stathan, pois ele já esteve em filmes melhores, mas no final, não é de todo ruim, não. É completamente previsível, mas os efeitos visuais são muito bons. É um divertimento para quando não tem nada melhor.

 

Vicente.jpg

Vicente Neto

Coluna Crítica de Cinema

Engenheiro que, desde pequeno, é apaixonado por cinema. Procura assistir a todos os filmes possíveis na telona e, se deixa escapar, assiste em DVD. Costuma sempre ver o lado bom de cada filme que assiste, mesmo se este não agradar muito. Suas críticas são praticamente uma conversa entre amigos, comentando do filme que assistiu.

Crítica de cinema por Vicente Neto - Filmes: No coração da escuridão e Homem Formiga e a Vespa

First Reformed (título em Português: “No Coração da Escuridão”)

First Reformed poster.jpg


Por total falta de opção, fui assistir a este filme. Por ter o Ethan Hawke e a Amanda Seyfried como principais, achei que o filme seria bom, mesmo não sabendo nada a respeito.

Ernst Toller (Ethan Hawke) é um ex-militar que agora é padre numa igreja histórica do estado de NY. A congregação é muito pequena, e recebe pouquíssimos turistas para visita-la.

Lá, conhece Mary (Amanda Seyfried), uma jovem que está passando por um momento difícil com o marido, um ambientalista radical. Através deles, Toller descobre uma série de negócios obscuros entre a Igreja que representa e algumas empresas da região, o que coloca Toller em alguns dilemas.

O filme estava caminhando bem, interessante apesar de meio devagar. Mas o final estragou tudo. Podia ter sido diferente e muito melhor. Uma pena!

Ant-Man and the Wasp (título em Português: “Homem-Formiga e a Vespa”)

Ant-Man-and-The-Wasp-poster-2.jpg

Havia assistido ao primeiro filme deste super-herói, e gostado. Achei o primeiro bem divertido! Então, esperava que este fosse na mesma linha...

Após ter ajudado o Capitão América na batalha contra o Homem de Ferro na Alemanha, Scott Lang (Paul Rudd) é condenado a dois anos de prisão domiciliar, por ter quebrado o Tratado de Sokovia. Sendo assim, ele foi obrigado a se aposentar temporariamente. Restando apenas três dias para o término deste prazo, ele tem um estranho sonho com Janet Van Dyne (Michelle Pfeiffer), que desapareceu há 30 anos ao entrar no mundo quântico.

Ao procurar o dr. Hank Pym (Michael Douglas) e sua filha Hope (Evangeline Lilly) em busca de explicações, Scott é rapidamente recrutado pela dupla para que possa ajudá-los em sua nova missão: construir um túnel quântico, com o objetivo de resgatar Janet. Mas nada será assim tão simples.

Sinceramente, achei que colocaram muita piadinha o tempo todo. Ficou bobo demais... Apesar dos excelentes efeitos visuais, achei muito mais infanto-juvenil que o primeiro. Diria que é mais pra que tem paciência pra piadas clichês.

Vicente.jpg

Vicente Neto

Coluna Crítica de Cinema

Engenheiro que, desde pequeno, é apaixonado por cinema. Procura assistir a todos os filmes possíveis na telona e, se deixa escapar, assiste em DVD. Costuma sempre ver o lado bom de cada filme que assiste, mesmo se este não agradar muito. Suas críticas são praticamente uma conversa entre amigos, comentando do filme que assistiu.

Crítica de cinema por Vicente Neto - Filmes: Missão Impossível (Efeito Fallout) e Gotti (Um verdadeiro padrinho americano)

Mission: Impossible - Fallout (título em Português: “Missão Impossível – Efeito Fallout”)

Mission_Impossible_Fallout_poster_4.jpg

Mais um filme da franquia e, mais uma vez, eu estava ansioso para assisti-lo. Nada melhor para assistir no cinema que um bom filme de ação.

Três unidades de plutônio são roubadas por um grupo terrorista com o intuito de construir uma bomba. Ethan Hunt (Tom Cruise) é encarregado da missão de recuperá-las e evitar uma catástrofe mundial. Para isto, é obrigado a unir forças com o agente especial da CIA August Walker (Henry Cavill).

Ethan se vê novamente cara a cara com Solomon Lane. Ele precisa mante-lo vivo, para conseguir acesso ao plutônio.

Divertimento nota 10! Muita ação, especialmente de Tom Cruise (que não usa dublê em nenhuma cena), e muitos efeitos visuais sem falhas. Corra para ver no cinema!

Gotti (título em Português: “Gotti - Um Verdadeiro Padrinho Americano”)

Gotti.jpg

Filme sobre o famoso mafioso americano John Gotti, cujo era um desconhecido para mim rs

O filme mostra a vida de John Gotti (Travolta), chefão da Família Gambino que liderava o crime organizado em NYC durante muitos anos, até seu falecimento em 2002, enquanto cumpria pena de prisão perpétua.

Muita informação, deixou o filme meio confuso, especialmente para mim que nada sabia da vida deste mafioso. John Travolta está muito bem no papel, e a sua maquiagem (quando Gotti já estava mais velho), está muito boa! Sinceramente, um daqueles filmes que uma semana depois, você não lembra mais nada.

Vicente.jpg

Vicente Neto

Coluna Crítica de Cinema

Engenheiro que, desde pequeno, é apaixonado por cinema. Procura assistir a todos os filmes possíveis na telona e, se deixa escapar, assiste em DVD. Costuma sempre ver o lado bom de cada filme que assiste, mesmo se este não agradar muito. Suas críticas são praticamente uma conversa entre amigos, comentando do filme que assistiu.

Crítica de cinema por Vicente Neto - Filmes: Mamma Mia! Here We Go Again e The Equalizer 2 (O Protetor 2)

Mamma Mia! Here We Go Again (título em Português: “Mamma Mia! Lá Vamos Nós de Novo”)

mamma_mia_here_we_go_again_poster.jpg

Gostei bastante do primeiro, e estava bastante curioso para ver este. Pelo trailer, fiquei meio achando que seria tudo muito parecido, mas não tem mesmo como ficar diferente...

Sophie (Amanda Seyfried) está prestes a reinaugurar o hotel da mãe, agora totalmente reformado. Ela, então, promove uma super festa e convida a todos, especialmente seus três "pais", as eternas amigas da mãe, as divertidas Rosie e Tanya, e até sua avó, que nunca foi muito presente. Ao mesmo tempo, precisa lidar com a distância do marido Sky, que está fazendo um curso de hotelaria em Nova York.

Este reencontro com todos, serve para desenterrar memórias sobre a juventude de Donna (Meryl Streep), no final dos anos 70, quando ela resolve se estabelecer na Grécia.

Parecido com o primeiro? Sim. Músicas desconhecidas do Abba? Sim, algumas. Mas e daí? A história é bonitinha, mostrou como foi realmente que Donna conheceu os ‘três pais’ de Sophie e é bastante animado! Quem gostou do primeiro, vai se divertir com este! E tem CHER!

The Equalizer 2 (título em Português: “O Protetor 2”)

The-Equalizer-2-poster.jpg

Quando assisti ao trailer, mesmo não gostando muito de Denzel Washington, fiquei interessado em assistir ao filme. Não tinha visto o primeiro, então procurei no Netflix e assisti, para poder ver o segundo.

Robert McCall (Denzel Washington) trabalha como motorista de aplicativo e continua ajudando as pessoas que passam pela sua vida.

Ele descobre que Susan, talvez sua única amiga, foi assassinada. Ele vai, então, atrás de quem fez isto, para vingar sua morte.

Apesar de ser um bom filme, com boas cenas de ações e lutas, não traz muita coisa inédita. Quem gostou do primeiro, vai gostar deste.

Vicente.jpg

Vicente Neto

Coluna Crítica de Cinema

Engenheiro que, desde pequeno, é apaixonado por cinema. Procura assistir a todos os filmes possíveis na telona e, se deixa escapar, assiste em DVD. Costuma sempre ver o lado bom de cada filme que assiste, mesmo se este não agradar muito. Suas críticas são praticamente uma conversa entre amigos, comentando do filme que assistiu.

 

 

Crítica de cinema por Vicente Neto - Filmes: Loving Pablo (Escobar - A Traição) e Skyscraper (Arranha-Céu: Coragem sem Limite)

Loving Pablo (título em Português: “Escobar - A Traição”)

LovingPablo.jpg

Como assisti aos ‘Narcos’, contando a história de Pablo Escobar, e vi o trailer deste filme, com Barden e Penelope Cruz, fiquei bem curioso para assistir.

Filme é uma biografia de Pablo Escobar, baseado no livro ‘Loving Pablo, Hating Escobar’, de Virginia Vallejo (personagem de Penelope Cruz), jornalista com quem o rei das drogas colombiano teve um romance.

Este longa começa quando o casal se conhece pessoalmente, mesmo Pablo já sendo casado e com um filho, até a morte do traficante.

Sinceramente, sem grandes novidades a respeito da vida dele. Nada além do que já foi retratado em vários outros filmes e séries. O romance com Virginia, ficou apenas como “detalhe” no filme.

Skyscraper (título em Português: “Arranha-Céu: Coragem Sem Limite”)

Skyscraper-poster.jpg

Sabia que o filme seria uma bobagem cheia de efeitos especiais. Nada além disso! Mas confesso que gosto de filmes do tipo. E gosto também do Dwayne “The Rock” Johnson.

Will (The Rock) é um ex-líder da operação de resgate do FBI, aposentado por ter sido vítima de um acidente em ação, anos atrás.

Vivendo com sua esposa e filhos no edifício mais alto do mundo, na China, ele se torna responsável pela segurança do arranha-céus.

Ele acaba sendo acusado de ter colocado o famoso edifício em chamas, e agora tem que correr contra o tempo para achar os culpados pelo incêndio e salvar sua família, que está presa dentro do prédio.

Quem gosta desse tipo de filme, mas não liga se o enredo tem falhas (apenas pela diversão visual), pode ir ver até em 3D, pois tem cenas muito bem feitas. Mas se não, nem perca tempo e espere passar na TV (e olhe lá! Rs).

Vicente.jpg

Vicente Neto

Coluna Crítica de Cinema

Engenheiro que, desde pequeno, é apaixonado por cinema. Procura assistir a todos os filmes possíveis na telona e, se deixa escapar, assiste em DVD. Costuma sempre ver o lado bom de cada filme que assiste, mesmo se este não agradar muito. Suas críticas são praticamente uma conversa entre amigos, comentando do filme que assistiu.