Crítica de cinema por Vicente Neto - Filmes: Loving Pablo (Escobar - A Traição) e Skyscraper (Arranha-Céu: Coragem sem Limite)

Loving Pablo (título em Português: “Escobar - A Traição”)

LovingPablo.jpg

Como assisti aos ‘Narcos’, contando a história de Pablo Escobar, e vi o trailer deste filme, com Barden e Penelope Cruz, fiquei bem curioso para assistir.

Filme é uma biografia de Pablo Escobar, baseado no livro ‘Loving Pablo, Hating Escobar’, de Virginia Vallejo (personagem de Penelope Cruz), jornalista com quem o rei das drogas colombiano teve um romance.

Este longa começa quando o casal se conhece pessoalmente, mesmo Pablo já sendo casado e com um filho, até a morte do traficante.

Sinceramente, sem grandes novidades a respeito da vida dele. Nada além do que já foi retratado em vários outros filmes e séries. O romance com Virginia, ficou apenas como “detalhe” no filme.

Skyscraper (título em Português: “Arranha-Céu: Coragem Sem Limite”)

Skyscraper-poster.jpg

Sabia que o filme seria uma bobagem cheia de efeitos especiais. Nada além disso! Mas confesso que gosto de filmes do tipo. E gosto também do Dwayne “The Rock” Johnson.

Will (The Rock) é um ex-líder da operação de resgate do FBI, aposentado por ter sido vítima de um acidente em ação, anos atrás.

Vivendo com sua esposa e filhos no edifício mais alto do mundo, na China, ele se torna responsável pela segurança do arranha-céus.

Ele acaba sendo acusado de ter colocado o famoso edifício em chamas, e agora tem que correr contra o tempo para achar os culpados pelo incêndio e salvar sua família, que está presa dentro do prédio.

Quem gosta desse tipo de filme, mas não liga se o enredo tem falhas (apenas pela diversão visual), pode ir ver até em 3D, pois tem cenas muito bem feitas. Mas se não, nem perca tempo e espere passar na TV (e olhe lá! Rs).

Vicente.jpg

Vicente Neto

Coluna Crítica de Cinema

Engenheiro que, desde pequeno, é apaixonado por cinema. Procura assistir a todos os filmes possíveis na telona e, se deixa escapar, assiste em DVD. Costuma sempre ver o lado bom de cada filme que assiste, mesmo se este não agradar muito. Suas críticas são praticamente uma conversa entre amigos, comentando do filme que assistiu.

 

 

Crítica de cinema por Vicente Neto - Filmes: Sicario: Dia do soldado e Mary Shelley

Sicario: Day of the Soldado (título em Português: “Sicario: Dia do Soldado”)

sicario-poster-1522879015143_1670w.jpg

Como gostei do primeiro filme, estava curioso para ver como seria esta sequência, mesmo sem Emily Blunt no elenco.

O oficial da CIA Matt (Josh Brolin) volta a contactar seu sicário de confiança, Alejandro (Benicio Del Toro), desta vez para sequestrar a filha caçula de um chefão das drogas mexicano. Os famosos cartéis agora são considerados células terroristas, e o objetivo da missão orientada pelo governo, é fazer acontecer uma guerra entre os grupos rivais.

Excelentes sequências de ataques terroristas (no começo do filme) e de tiroteios, etc. Mas só. O filme parece que termina faltando algumas explicações (com certeza terá uma terceira parte). E mais alguns momentos de absurdo como, por exemplo, um personagem machucado, andando, chega em minutos ao encontro de carros que estavam andando por pelo menos 1 hora (não posso comentar mais para não fazer spoiler). Sinceramente, fraco.

Mary Shelley

mary_shelley_movie_poster.jpg

O que eu sei sobre a vida de Mary Shelley? Só que é a autora de Frankenstein... Então, como gosto de filmes sobre fatos reais e/ou biografias, tive que conferir este.

Filme conta basicamente a história do romance entre o poeta Percy Shelley e a jovem de 16 anos Mary Wollstonecraft Godwin, e também sua relação com seu pai e meia-irmã.

Filme interessante, apesar de, em alguns momentos, ser meio paradão, mas valeu para saber mais da vida da famosa escritora, e a luta, apenas por ser mulher, para conseguir ter seu livro publicado.

Vicente.jpg

Vicente Neto

Coluna Crítica de Cinema

Engenheiro que, desde pequeno, é apaixonado por cinema. Procura assistir a todos os filmes possíveis na telona e, se deixa escapar, assiste em DVD. Costuma sempre ver o lado bom de cada filme que assiste, mesmo se este não agradar muito. Suas críticas são praticamente uma conversa entre amigos, comentando do filme que assistiu.

 

 

 

Crítica de cinema por Vicente Neto - Filmes: Oito mulheres e um segredo (Ocean's 8) e Com amor, Simon (Love, Simon)

Ocean’s 8 (título em Português: “Oito Mulheres e um Segredo“)

oceans-8-poster.jpg

Como gostei bastante dos filmes de Danny Ocean (George Clooney), Ocean’s 11, 12... estava muito curioso para saber como seria esta nova saga da família Ocean, agora com Sandra Bullock como a irmã Dabbie.

Recém-saída da prisão, Debbie Ocean procura sua ex-parceira Lou (Cate Blanchett) para realizar um mega assalto: roubar um colar de diamantes no valor de US$ 150 milhões, que a Cartier mantém em um cofre há 50 anos. O plano é convencer a empresa a emprestá-lo para que a estrela de cinema Daphne Kluger (Anne Hathaway) use a jóia no famoso Met Gala, local onde elas tentarão roubá-lo.

Para tanto, Debbie e Lou reúnem uma equipe composta apenas por mulheres, cada uma com sua especialidade (uma hacker, uma ladra muito ágil, uma especialista em diamantes, etc.).

Superou minhas expectativas! Achei o filme muito divertido e bem feito. Quem gostou da “versão masculina”, vai gostar muito deste. Altamente recomendável!

Love, Simon (título em Português: “Com Amor, Simon”)

Love-Simon-new-film-poster.jpg

Mais um dos inúmeros filmes que vou assistir sem saber quase nada a respeito. Vi alguns bons comentários na internet, e também em programas de TV. Li a sinopse (coisa rara) e fui conferir.

Aos 17 anos, Simon Spier leva uma vida comum de adolescente na escola, mas sofre por esconder um grande segredo: nunca revelou ser gay para sua família e seus quatro melhores amigos (a atriz que faz a sua melhor amiga, é quem interpreta a famosa Hannah Baker de “13 Reasons Why”).

Tudo fica mais complicado quando ele se apaixona por um dos colegas de escola, anônimo, com quem troca confidências diariamente via internet.

É um filme adolescente? Sim, totalmente! Mas divertido e dá o seu recado. O ator principal manda muito bem e a trilha sonora é bem boa também. Recomendo procurar no Netflix.

Vicente.jpg

Vicente Neto

Coluna Crítica de Cinema

Engenheiro que, desde pequeno, é apaixonado por cinema. Procura assistir a todos os filmes possíveis na telona e, se deixa escapar, assiste em DVD. Costuma sempre ver o lado bom de cada filme que assiste, mesmo se este não agradar muito. Suas críticas são praticamente uma conversa entre amigos, comentando do filme que assistiu.

Crítica de cinema por Vicente Neto - Filmes: Jurassic World e Hereditary

Jurassic World: Fallen Kingdom (título em Português: “Jurassic World: Reino Ameaçado”)

jurassic-world-fallen-kingdom.jpg

Bom, assisti a todos os filmes da franquia e, apesar de achar que já deu, gostei dos filmes. Então, fui conferir o 5º filme da série.

Três anos após o fechamento do Jurassic Park, na ilha Nubar, um vulcão está prestes a entrar em erupção naquele local. Como na ilha ficaram apenas os dinossauros, iniciou-se uma discussão: deve-se retornar à ilha para salvar os animais ou deixa-los lá para uma nova extinção?

Claire decide tentar resgatá-los com a ajuda do ex-companheiro do sr. Hammond na criação do parque, Benjamim Lockwood. Para isso, Claire pede a ajuda a Owen (Chris Pratt), pois ele ajudou a criar a extremamente inteligente dinossaura Blue.

Sinceramente? Só vale (única e exclusivamente) pelos efeitos especiais. Acho que já deu essa história. Algumas atuações sofríveis. Não vale a pena gastar para ver no cinema, não. Infelizmente.

Hereditary (título em Português: “Hereditário”)

hereditary-2018.jpg

O que me levou ao cinema foi a atriz principal Toni Collette. Pouco (ou nada) sabia do filme... e confesso que estava com um pé atrás pois não gosto muito desses filmes de terror atuais (que são apenas uma sequência de sustos).

Após a morte da avó materna, a família Graham começa a desvendar algumas coisas. Mesmo após a partida da matriarca, ela permanece como se fosse uma sombra sobre a família, especialmente sobre a solitária neta adolescente, Charlie, por quem ela sempre manteve uma fascinação não usual.

Com a sequência de eventos tomando conta da família, descobrem um infeliz destino que herdaram.

Apesar de Toni C. e Gabriel Byrne no elenco, o filme é meio chato e mais do mesmo. Muita cena pra enrolar o tempo. Isso cansa. Não recomendo!

Vicente.jpg

Vicente Neto

Coluna Crítica de Cinema

Engenheiro que, desde pequeno, é apaixonado por cinema. Procura assistir a todos os filmes possíveis na telona e, se deixa escapar, assiste em DVD. Costuma sempre ver o lado bom de cada filme que assiste, mesmo se este não agradar muito. Suas críticas são praticamente uma conversa entre amigos, comentando do filme que assistiu.

Crítica de cinema por Vicente Neto - Filmes: You never really here (Nunca estiveste aqui) e Solo: A Star Wars Story (Han Solo: Uma História Star Wars)

You Were Never Really Here (título em Português: “Nunca Estiveste Aqui”)

Nada vi a respeito deste filme. Vi que era o Joaquin Phoenix no papel principal, e vi no IMDB.com uma boa nota. Então, me interessei.

Joe (Joaquin Phoenix), veterano de guerra, sofre de stress pós-traumático. Hoje, utiliza os seus conhecimentos e treino para salvar pessoas de perigosas redes de tráfico humano.

Ao tentar salvar a filha de um senador, se vê arrastado para uma conspiração de proporções inimagináveis…

Muito se mostra e nada se explica. Tudo o que foi descrito acima, é suposto durante o filme. Muitas cenas sem função, ajudam o filme a ficar mais longo. Sinceramente, tá na lista dos filmes mais chatos que já assisti.

Solo: A Star Wars Story (título em Português: “Han Solo: Uma História Star Wars”)

solo-a-star-wars-story-uk-poster.jpg

Bom, mesmo não sendo um daqueles mega fãs de Star Wars (assisti a todos os filmes da série e gosto, mas não sou fissurado, não), fiquei com um certo receio a ver que teria a história de Han Solo mas não seria o Harrison Ford. Mas deixei o preconceito de lado e fui conferir.

O filme conta como Han Solo se tornou um piloto, como se tornou o mercenário que todos conhecemos, como ele conheceu seu fiel escudeiro Chewbacca e, melhor ainda, como conseguiu a Millenium Falcon.

Achei que o ator Alden Ehrenreich mandou bem no papel, e achei o filme divertido (bem ao estilo Han Solo). Claro que é um pouquinho mais do mesmo, mas pra quem gosta da série, é diversão garantida.

Vicente.jpg

Vicente Neto

Coluna Crítica de Cinema

Engenheiro que, desde pequeno, é apaixonado por cinema. Procura assistir a todos os filmes possíveis na telona e, se deixa escapar, assiste em DVD. Costuma sempre ver o lado bom de cada filme que assiste, mesmo se este não agradar muito. Suas críticas são praticamente uma conversa entre amigos, comentando do filme que assistiu.

Crítica de cinema por Vicente Neto - Filmes: A Quiet Place, Winchester, The Death of Stalin, Deadpool II

A Quiet Place (título em Português: “Um Lugar Silencioso”)

a-quiet-place.jpg

Ouvi falar muito bem deste filme. Não tinha visto nem o trailer ainda, e já estava curioso para assistir. E por ter Emily Blunt como atriz principal, me animou ainda mais.

O filme mostra a vida de uma família no meio-oeste americano, no ano de 2020, convivendo com a presença de alienígenas cegos, que atacam quando ouvem o menor ruído feito. Então, para se protegerem, eles devem viver em silêncio absoluto.

Posso dizer sem medo que este filme foi o mais interessante que assisti este ano (quiçá dos últimos tempos!). E o silêncio, em grande parte do filme, o torna muito tenso, mas sem ser um filme de suspense clichê. Quem não viu ainda, não perca!

Winchester (título em Português: “A Maldição da Casa Winchester”)

Winchester-poster.jpg

Não curto muito mais esses filmes de espíritos, que acabou virando uma modinha há uns anos. Acho que ficou tudo mais do mesmo... Este me chamou atenção por ter Helen Mirren. Não achei que um filme com ela, como protagonista, fosse ruim. Hum....

Sarah Winchester (Helen Mirren) é a herdeira da famosa empresa de armas de fogo. Os demais acionistas, acham que Sarah não tem mais condições psicológicas de comandar a empresa, após a repentina morte de seu marido e filha. Para tentar afastá-la, estes contrataram o psiquiatra Eric para analisa-la.

Eric vai, então, passar uns dias na imensa mansão Winchester, a qual passa 24 horas por dia em obras de ampliação e reformas.

Sarah mantem as obras pois ela acredita que deva construir aposentos iguais aos que as vítimas das armas de fogo estavam quando morreram, para assim, estas conseguirem ter paz e pararem de assombrá-la.

Ledo engano achar que uma grande atriz pudesse fazer deste filme, um bom filme... ou diferente dos outros do mesmo ‘tipo’. Muitas cenas gratuitas feitas apenas para assustar os espectadores. Filme totalmente dispensável!

The Death of Stalin (título em Português: “A Morte de Stalin”)

Death-of-Stalin-posters-1.jpg

Não sabia nada sobre este filme. Apenas que tinha Steve Buscemi no elenco e que era meio comédia.

Depois de 30 anos no poder da União Soviética, Stalin morre. Nos dias seguintes a sua morte, os membros do Partido Comunista, antes altamente fiéis ao ditador, revelam a sua sede de poder. Quem for mais esperto, vence e consegue se manter naquele Partido.

Sinceramente? Uma bomba... Alguns poucos momentos engraçados, mas era quase um filme com os Trapalhões. Muita bobagem que, pra mim, não fez o filme ser divertido, não.

Deadpool 2

Deadpool_2_poster_003.jpg

Assisti ao primeiro sem saber nada a respeito deste personagem, e acabei me divertindo com o filme. Esperava, então, mais ou menos a mesma coisa deste.

Quando o super soldado Cable (Josh Brolin) chega do futuro em uma missão para assassinar o jovem mutante Russel (ou Fire Fist), Deadpool (Ryan Reynolds) precisa aprender o que é ser herói de verdade para salvá-lo. Para isso, ele forma o novo grupo X-Force, uma sátira aos X-Men.

Muitas cenas de ação e, como no primeiro, bem divertido! Algumas participações famosas. Vá assisti sem preconceitos e tenho certeza que vai curtir.

Vicente.jpg

Vicente Neto

Coluna Crítica de Cinema

Engenheiro que, desde pequeno, é apaixonado por cinema. Procura assistir a todos os filmes possíveis na telona e, se deixa escapar, assiste em DVD. Costuma sempre ver o lado bom de cada filme que assiste, mesmo se este não agradar muito. Suas críticas são praticamente uma conversa entre amigos, comentando do filme que assistiu.

Crítica de cinema por Vicente Neto - Filme: Avengers: Infinity War (Vingadores: Guerra Infinita)

Avengers: Infinity War (título em Português: “Vingadores: Guerra Infinita”)

Avengers_Infinity_war_poster.jpg

Mais um filme da franquia. Blockbuster puro, do jeito que eu gosto rs

Confesso que tenho memória curta e não lembro de detalhes dos filmes anteriores, onde neste, existem algumas referências, mas nada que estrague o entendimento.

O poderoso vilão Thanos está atrás das seis pedras infinitas (“Infinity Stones”). Ao coletá-las, este terá o poder supremo e poderá destruir o universo.

Homem de Ferro, Thor, Hulk e o resto dos Vingadores se unem aos Guardiões da Galáxia para lutar contra o poderoso inimigo.

Não tem muito o que falar sem fazer spoilers. Pra quem gosta da série, é um prato cheio! Já esperando 2019 para a sequência...

Vicente.jpg

Vicente Neto

Coluna Crítica de Cinema

Engenheiro que, desde pequeno, é apaixonado por cinema. Procura assistir a todos os filmes possíveis na telona e, se deixa escapar, assiste em DVD. Costuma sempre ver o lado bom de cada filme que assiste, mesmo se este não agradar muito. Suas críticas são praticamente uma conversa entre amigos, comentando do filme que assistiu.