Dicas de séries por Raquel Baracat - Grey's Anatomy (Netflix e ABC)

Quer assistir uma série que tem milhões de temporadas e mistura amor, comédia e tragédia com cenas de hospital (andam na moda ultimamente), então assista a divertida série Grey’s Anatomy pela Netflix.

images.jpg

Release:

Grey's Anatomy é uma série médica americana que estreou na ABC em 27 de Março de 2005.

 A série está exibida por quatorze temporadas e se concentra nas vidas fictícias de cirurgiões, internos e residentes à medida que evoluem para médicos experientes enquanto tentando manter vidas pessoais.

A premissa do show se originou com Shonda Rhimes, que serve como produtora executiva, juntamente com Betsy Beers, Mark Gordon, Krista Vernoff, Rob Corn, Mark Wilding e Allan Heinberg.

 A série foi criada para ser racialmente diversificada, utilizando uma técnica de escolha livre de elenco. 

É filmado principalmente em Los Angeles, mas a história se passa em Seattle.

O título do show é em homenagem a Gray's Anatomy , o livro de anatomia humana.

Fonte: wikipedia

Dicas de séries por Raquel Baracat - The girlfriend experience (Starz)

The Girlfriend Experience: uma inédita experiência sexual na televisão

Girlfriend-Experience.jpg



História baseada em drama pesado e cru, The Girlfriend Experience chega à segunda temporada mostrando o complexo cotidiano de prostitutas de luxo

O que a palavra sexo significa para você? A palavrinha de quatro letras é uma das que mais atraem curiosidade, e, ao mesmo tempo vergonha. Fortes valores éticos, construíram – ao longo da história – uma sociedade ocidental que tenta, de várias formas, limitar as designações sexuais entre os indivíduos. Falar sobre sexo, frequentemente toma designação de errado e reprovável em vários contextos do cotidiano, de forma mais latente na televisão.


Talvez seja exatamente por isso que The Girlfriend Experience (escrita, produzida e dirigida por Lodge Kerrigan e Amy Seimetz) chame tanta atenção: a reprodução de uma discussão completamente sexual e erótica, que consegue chocar um público que está acostumado a lidar com a sexualidade de uma forma velada. A série chega a ser brutal de algumas formas, o ato sexual é explicitamente apresentado na telinha, sem o menor traço de censura (ou qualquer “traço de respeito ao público”, que alguns tentam afirmar como sinônimo para censura). E é claro, nada mais natural para uma produção que se predispõe a tratar sobre a prostituição.

Conheça a história de The Girlfriend Experience

Na primeira temporada, acompanhamos a história da jovem Christine Reade (Riley Keough, atriz que é neta do rei do Rock n’ Roll, o lendário Elvis Presley), que em um contexto mais cliché das acompanhantes de luxo, se vê obrigada a buscar a prostituição após um período universitário sem dinheiro e solitário. Christine parece tomar o controle do que é a prostituição e decide, então, “seguir carreira”, dando vida a uma das melhores temporadas de 2016. A proposta de The Girlfriend Experience, é, acima de tudo, naturalizar um tema que teima em ser algo tão distante de uma coisa comum, como a prostituição.

Já na segunda temporada, que estreou no começo de novembro, a produção se expande para uma ousada história. Em um contexto de série antropológica, a série deixa todo o plot de Christine de lado para apresentar os desafios de Bria, Anna e Erica (Carmen Ejogo, Louisa Krause e Anna Friel, respectivamente). Neste começo (a série apresentou cinco episódios até o momento), as mulheres são representadas independentemente, com um episódio para Bria, e outro para Anna e Erica.

Os episódios de Anna e Erica são os mais interessante – em minha opinião. Anna é a prostituta que se junta a Erica para um caso de amor e poder, já que o trabalho de Erica é fazer a ligação entre empresários e deputados, e Anna tem papel fundamental para o bom funcionamento dessa “ligação”. O que mais impressiona nos episódios das duas é como o jogo de poder político é representado em um dos países mais poderosos do mundo. Como os homens de poder são baixos moralmente e não se importam com nada além de seu próprio interesse, ou seja, como uma prostituta é infinitamente mais nobre do que um parlamentar, ou um lobista.


Já a história de Bria ainda é um pouco confusa. O que sabemos até agora é que a mulher denunciou um cliente criminoso e agora está em um serviço de proteção a testemunha. O grande problema é que ela é profundamente ligada a prostituição e sente como se tivesse cometido um erro ao se afastar da atividade.

Acho que, de alguma forma, as três histórias irão se ligar até o fim da temporada, apontando para mais um ano brilhante da produção. Em síntese, a série se posiciona, como um importante pilar das produções de qualidade na televisão atualmente, com um tema ousado e uma construção eficaz.

Fonte: http://blogs.correiobraziliense.com.br/proximocapitulo/the-girlfriend-experience-uma-experiencia-sexual-na-televisao/

Dicas de séries por Raquel Baracat - The Umbrella Academy (Netflix)

Umbrella Academy, quadrinho criado por Gerard Way Gabriel Bá, é agora uma série da Netflix. A história mostra o dia em que 43 crianças forma geradas espontaneamente por mulheres que não apresentam sinais de gravidez. Sete dessas crianças foram adotadas por Sir Reginald Hargreeves e formaram a Umbrella Academy, uma família disfuncional de super-heróis com poderes bizarros.

Anos depois de sua primeira aventura, quando as crianças enfrentaram uma enlouquecida Torre Eiffel, a equipe se separou e um fato obrigará essa família a se reunir. Entenda quem são esses heróis:

0178829.jpg

Sir Reginald Hargreeves é um alienígena disfarçado que mudou a humanidade com grandes invenções científicas. Além de medalhista olímpico é vencedor do Prêmio Nobel por seu trabalho de aperfeiçoamento cerebral de chimpanzés. Já adulto, O Monóculo saiu em busca de crianças que nasceram de forma inexplicável e com elas quais formou a equipe Umbrella Academy para salvar o mundo (mesmo que ele próprio não soubesse exatamente de que). Hargreeves é lembrado como um pai terrível, causando mágoa em boa parte da equipe. Na série o personagem é interpretado por Colm Feore.

Spaceboy é o líder da equipe criada pelo Sr Monóculo. Ele conta com super-força e, desde de pequeno, sonha em viajar para o espaço. Apesar de ter se tornado o primeiro garoto a ir para o espaço, ele sofre um acidente que destrói seu corpo e, por isso, acaba acoplado a um corpo de gorila. Ele é o único que não esconde a admiração pelo “pai” e após a separação do time acaba morando na lua sozinho para evitar um eventual ataque à Terra. Na série o personagem é interpretado por Tom Hopper.

Kraken é uma espécie de Batman no universo de Umbrella Academy. Sombrio e sempre preparado para qualquer adversidade, Diego consegue segurar o ar embaixo d’água por um longo período e tem uma grande habilidade com facas. Embora tenha boa relação com Inspetor Lupo, o chefe de polícia da cidade, o Número 2 é o mais rebelde do grupo e tem sérios problemas com Spaceboy. Após o fim do grupo, ele virou uma espécie de vigilante, sempre pronto para impedir a criminalidade. Na série o personagem é interpretado por David Castañeda.

Rumor tem a capacidade de alterar a realidade ao mentir. Depois de sair da Umbrella Academy, ela casou com seu namorado, Patrick, e teve uma filha chamada Claire. Contudo, eventualmente ela se divorciou e seu ex-marido ficou com a custódia de sua filha. Ela e Spaceboy vivem um amor mal resolvido e a garota tem uma mão cibernética – uma vez que a original foi devorada pelo grande rival da equipe, o Dr. Terminal. Na série a personagem é interpretada por Emmy Raver-Lampman.

Séance é capaz de conversar com os mortos e ainda conta com poderes como a capacidade de levitar e telecinese – um poder que nem ele mesmo sabe a extensão. Acredita-se que, por conta de sua ligação com o outro mundo, ele é incapaz de morrer – o que o tornou um viciado em drogas. Na série o personagem é interpretado por Robert Sheehan.

O Garoto tem a capacidade de viajar no tempo e, aos 10 anos, desapareceu pois decidiu fugir de casa indo para o futuro – apesar de Hargreeves ter alertado o jovem que ele seria incapaz de voltar ao passado. Mais de 50 anos se passaram até que ele descobrisse como voltar no tempo, quando já era um senhor de 60 anos de idade. Ele cai na época em que seus irmãos adotivos estão com 30 anos, mas uma anomalia no tempo fez com que ele ficasse preso em um corpo de 10 anos. Na série o personagem é interpretado por Aidan Gallagher.

Quando a história do grupo adulto começa, Horror já está morto. Ele contava com monstros de outra dimensão sob sua pele e acabou morrendo durante uma missão, óbito que assombra Spaceboy até os dias atuais. Na entrada da Umbrella Academy há uma estátua em sua homenagem. Na série é interpretado por Justin H. Min.

Vanya inicialmente não conta com poderes e é constantemente humilhada por Hargreeves – que a impede de lutar ao lado de seus irmãos. Ela é conhecida por ter escrito um livro detalhando sua vida com a Umbrella Academy, algo que causou ira em alguns de seus irmãos adotivos. A garota tem grande habilidade no violino e, no dia em que conhece o Condutor, verá sua vida se transformar. Na série a personagem é interpretada por Ellen Page.

No universo de Umbrella Academy existe uma agência chamada Temps Aeternalis que controla a preservação da cronologia do espaço-tempo. Para garantir que tudo continue da forma como deve ser, a iniciativa contrata agentes para consertar desvios à qualquer preço. Apesar de sua aparência divertida, Hazel e Cha-Cha são os mais sanguinários empregados e são enviados ao presente em uma missão que cruza com os caminhos da família super-heróica. Na série os personagens são interpretados por Cameron Britton (Hazel) e Mary J. Blige (Cha-Cha).

Phinneus Pogo foi um dos chimpanzés alterados geneticamente pelo Monóculo, que o manteve como parte da família. Pogo já trabalhava para Hargreeves quando as crianças foram adotadas, servindo como babá e figura paterna para muitos deles. Na série o personagem é interpretado por Adam Godley por captura de movimentos.

Fonte: https://www.omelete.com.br/netflix/umbrella-academy-quem-sao-os-personagens-da-nova-serie-da-netflix#113

Dicas de séries por Raquel Baracat - Sick Note (Netflix)

A dica de série desta semana é Sick Note com Daniel Glass (Rupert Grint) que é um mentiroso compulsivo que está em um relacionamento fadado ao fracasso, um trabalho de que não gosta, subordinado ao metódico chefe Kenny West (Don Johnson).

Quando ele é diagnosticado com câncer, todos começam a tratá-lo melhor, o que concede a ele um novo gás para a vida. Porém, quando ele descobre que o diagnóstico estava errado, Glass decide manter a farsa.

MV5BMWRjZjgxM2UtNjg2OC00ZDExLWI4YWQtNWUyMDQ2YjI1YzgzXkEyXkFqcGdeQXVyMTkzODUwNzk@._V1_UX182_CR0,0,182,268_AL_.jpg

Crítica por Cinematecando:

“Sabe aquele dia nublado que você sai para caminhar esperando apenas fazer uns exercícios e ouvir algumas músicas no seu fone de ouvido, mas no meio caminho encontra uma nota de 50 reais no chão? Tudo bem. Admito que isso praticamente nunca acontece conosco, mas a sensação de assistir às duas temporadas de Sick Note (ou, na deprimente tradução para o português, Dá Licença, Saúde) sem compromissos durante um final de semana é quase isso.

A série britânica, transmitida pela Sky One durante 2017 e 2018, chegou ao Netflix já com suas duas curtíssimas temporadas (14 episódios de 25 minutos em média), e promete entregar aos fãs, além de um humor diferenciado, muitas doses de ação e cenas tensas capaz de fazer qualquer um ficar na ponta da cadeira e gritar de nervoso. Sim, a série excede nossas expectativas, já que a partir da sinopse faz o público esperar apenas dar algumas risadas. Mas a gente não faz ideia de quantas situações desconfortáveis e angustiantes nos esperam durante os episódios.

A história principal acompanha Daniel Glass (Rupert Grint), um mentiroso compulsivo que acaba de ser diagnosticado pelo Dr. Iain Glennis (Nick Frost), com câncer de esôfago em um exame de rotina. Pouco tempo depois, após contar a todos seus conhecidos e amigos, incluindo sua namorada, descobre que o diagnóstico foi falso, e na verdade ele não tem nenhuma doença. Porém após ter noção de todas as vantagens e do tratamento diferenciado que recebe, Daniel decide manter a mentira, o que gera uma onda de imprevistos, enrascadas e até tragédias da pior maneira”.

Fonte: http://cinematecando.com.br/critica-sick-note-1a-e-2a-temporadas/

Dicas de séries por Raquel Baracat - Deadly Class (SyFy)

Deadly Class é uma série “a la” Kill Bill com uma pitada de humor negro, violência e mundo adolescente o enredo é bacana e cenas bem feitas, para quem gosta do gênero eu recomendo!

download.jpg

Release:

“Marcus Lopez (Benjamin Wadsworth), um adolescente desiludido com a vida, é selecionado para estudar na escola secundária para assassinos.

Enquanto é submetido a treinamentos rigorosos e tenta manter seu currículo impecável, esse jovem ainda precisa ter em mente que, no mundo em que ele vive, qualquer descuido de sua parte pode ser fatal”.