Capinha de celular que vira drone permite fazer fotos e vídeos a até 13 metros de altura

Já dá para carregar um drone no bolso - e por um preço muito mais acessível. Trata-se do Selfly, uma capinha para smartphones que é, também, um drone. Embora seu alcance não seja dos maiores, o aparelho permite fazer imagens aéreas com até 13 metros de distância e é controlado pelo próprio celular.

drone-capa-1400x800-0118.jpg

Como funciona a capa-drone?

O aparelho tem dois formatos: de capa e de drone. Quando ajustado para ser um case de um celular, sua espessura tem 1,2 centímetro e pode ser colocado no bolso sem medo de quebrar - funciona para celulares Android e iPhone de tamanhos entre 4 e 6 polegadas.

Para virar drone, é bem simples. Basta deslizar o robozinho com câmera e hastes da base e ligá-lo. Ele pode ser controlado de três formas. Dá para comprar um joystick e conectá-lo ao drone e ao celular para guiá-lo pelo controle de mão. As outras duas maneiras dependem exclusivamente do celular. O usuário pode ver o voo do drone em tempo real e pode controlar seus movimentos sincronicamente. Ou pode ajustar as configurações da imagem antes dele voar; por exemplo, define que ele deve voar a uma altura de 2 metros e fazer um giro 360 graus - assim, o aparelho captura a imagem de forma autônoma.

O drone tem fornecimento de bateria independente do celular e não suporta mais do que 4 minutos de voo, assim como seu alcance não pode ultrapassar 13 metros de distância. A qualidade da câmera apresenta 12 megapixels e pode gravar vídeos em full HD.

Fonte: https://www.vix.com/pt/tecnologia/554521/capinha-de-celular-que-vira-drone-permite-fazer-fotos-e-videos-a-ate-13-metros-de-altura?utm_source=Facebook&utm_medium=VixExploreBR&utm_campaign=Evergreen&fbclid=IwAR3AHmBxENCoRK2NeSoWpEo74NNtjOFYtpQquyfj-2DQa4vAvAvyu_BBEkg

Restaurante em São Paulo deixa clientes pagarem a conta lavando louças

Existe uma máxima entre os restaurantes que é a seguinte: se o cliente não puder pagar, ele terá que lavar a louça para poder ir embora. E não é que um restaurante em São Paulo decidiu aplicar esse conceito. É o Chez Oscar, que de 15 de setembro a 6 de outubro, vai realizar uma ação promocional com seus clientes.

finish_kitchen.jpg

No estabelecimento, quem quiser lavar a louça para pagar a conta terá essa opção. A ação faz parte de um projeto chamado The Finish Kitchen,uma parceria da marca Finish com o restaurante Chez Oscar.

O The Finish Kitchen é um restaurante pop-up, que só funciona aos fins de semana. Operando dentro do Chez Oscar, a opção de lavar a louça é a única disponível do The Finish Kitchen. No entanto, as vagas são limitadas.

É preciso fazer reservas pelo site. As vagas são abertas todas as segundas-feiras e a seleção é realizada por ordem de inscrição. No cardápio, estão receitas como risoto negro de frutos do mar com lula, camarão e farofa de presunto cru e nhoque rústico de mussarela com creme parmesão e farofa de pão.

Fonte: https://revistapegn.globo.com/Banco-de-ideias/Alimentacao/noticia/2018/09/neste-restaurante-em-sao-paulo-clientes-podem-pagar-conta-lavando-louca.html?utm_source=facebook&utm_medium=social&utm_campaign=post&fbclid=IwAR38Qz2FoAVaTuqDhBiJ51ZJYuCQnSkezpIYqqW_1EvQ6zcO4YlJ55OWi5U

A origem romântica do Parmegiana - Coluna Gastronomia por Chef Alê Lembo

Nessa última quarta-feira, dia 12 de junho, comemoramos o dia dos namorados e o aproveitando o clima romântico escolhi homenagear um prato que é a paixão da grande maioria: o Parmegiana.

Parmegiana Funcional.jpg

Mas você sabe a origem desse prato amado por nove entre dez brasileiros? Engana-se quem pensa que o parmegiana tem como origem a região de Parma, ao norte da Itália, como o nome parece sugerir. Afinal a região é conhecida por suas iguarias repletas de molho de tomate e muito queijo, esse prato é a cara da culinária italiana, tão adorada nas mais diversas partes do mundo.

Confesso que são muitas as explicações para a origem do prato, e ninguém pode dizer ao certo qual das histórias é a verdadeira. Suposições indicam que tudo pode ter começado na Rússia no período da Revolução Socialista. Naquela época, o país passava por uma grande crise e os cidadãos sofriam com os reflexos da instabilidade política e econômica, e a fome predominava.  Algumas famílias que ainda tinham um pouco de carne e queijo guardados, uniam ambos os ingredientes para uma receita simples e saborosa.

Acredita-se fortemente ter sido esta prática o início da propagação de uma receita que até hoje faz muito sucesso entre todas as nacionalidades. Agora, em homenagem ao dia 12 de junho, vamos à versão romântica da origem do nome desse prato delicioso e tão adorado.

Conta-se que um italiano apaixonado, depois de uma briga feia com sua amada, resolveu pedir desculpas com um jantar romântico. Como ele não estava em condições de pagar por um bom restaurante, tomou a decisão de preparar o jantar.  A escolha do prato principal foi a famosa refeição russa.

Para surpreender por completo a sua amada, o homem resolveu estampar o feito no jornal da cidade: “una bistecca per mia Giana”! E assim teria sido batizado o Parmegiana, que nos restaurantes está sempre acompanhado de arroz branco e batata frita.

Mas, você já sabe que por aqui, todos os pratos ganham roupagem funcional, sem perder as características e o sabor, porque você merece ter prazer ao se alimentar bem e extrair o melhor dos alimentos para o seu organismo.

Hoje o Parmegiana é de frango, empanado em uma farinha funcional, assado e acompanhado de um arroz de couve flor anti-inflamatório.  E que tal preparar esse prato especial em apenas 20 minutos?

Novamente, ao invés de divulgar a receita aqui na coluna, te convido a visitar o meu canal do YouTube: Chef Alê Lembo (https://www.youtube.com/chefalelembo).  



Lá eu vou te ensinar a preparar além do Parmegiana Funcional, inúmeras receitas deliciosas e práticas, fundamentadas na Gastronomia Funcional. Tudo sem glúten, sem lactose e isento de açúcar refinado, mas com muito sabor. Venha se encantar com a alimentação saudável e se inspirar a adotar um estilo de vida com receitas funcionais, low carb e veganas deliciosamente surpreendentes!

Aproveita para se inscrever no canal e não se esqueça de ativar as notificações!

 https://www.youtube.com/chefalelembo

foto+chef+Ale.jpg

Alê Lembo

Coluna Gastronomia

Alessandra Lembo Nogueira, a chef Alê, é cozinheira profissional e especialista em alta gastronomia pelo IGA Campinas, com curso de Cuisine pelo Le Cordon Bleu Paris. Trabalha como personal chef e é idealizadora e fundadora da marca Fit Me Saudável e Funcional, uma empresa especializada em produtos Fit, Low Carb e Veganos, sem glúten, sem lactose, livres de açúcar refinado e gordura trans.  Atua como chef consultora e com desenvolvimento de cardápios especializados e personalizados, ministra workshops em diversos locais da cidade de Campinas e regiã

 

 

 

 

 

 

 .

 

 

 

Conheça a mulher que está abalando o casamento de William e Kate Middleton

Bela, recatada e do lar. É assim que Rose Hanbury, de 35 anos, poderia ser definida. Todavia, nos últimos dias o nome da nobre inglesa vem sendo relacionado a um problema da Família Real: a suposta turbulência no casamento do Príncipe William e Kate Middleton.

rosehanbury_3_26_19_026-11546934.jpg

Segundo tablóides como Daily Mail, The Sun e In Touch, Rose Hanbury seria o pivô do "iminente" divórcio entre o Príncipe William e Kate Middleton. Apesar de a Família Real não ter divulgado nenhum comunicado sobre o assunto, a história vem ganhando musculatura com o surgimento de fotos de William com Rose, aparições de Rose sem aliança e os frequentes rumores de que o casamento do herdeiro de Diane com Middleton não está bem das pernas.

Afinal, quem é a mulher que está abalando as estruturas da monarquia britânica? Filha de Timothy e Emma Hanbury, Rose não tinha uma linhagem nobre no início de sua vida, mas tinha um estilo de vida abastado. Com a adolescência, ela e sua irmã, Marina, decidiram enveredar para o ramo da moda, no qual trabalharam como modelos na agência inglesa Storm.

Decidida a fazer algo mais de sua vida, Rose largou as passarelas para dedicar-se à carreira política. A jovem atuou como pesquisadora parlamentar de Michael Gove, até que em 2010 resolveu casar-se com David Cholmondeley, filho do Marquês de Cholmondeley.

Herdando por benefício matrimonial o título de Marquesa de Cholmondeley, finalmente, uma Hanbury ascendia à nobreza. O casamento aconteceu em Chelsea Town Hall, em Londres, e contou com toda a pompa, tradição e protocolos que qualquer casamento da nobreza demanda.

À época, a união surpreendeu a revista Hello que, ainda em 2009, quando Rose e David anunciaram o noivado, alegou que os pombinhos esperavam um bebê - o que, segundo as tradições, não é permitido. Um dia após a divulgação desta notícia, os dois se casaram.

Em outubro de 2009, Rose deu à luz a gêmeos, apesar de os meninos serem esperados para chegar em janeiro. Com a vida nos trilhos, o casal mudou-se para o Houghton Hall, uma mansão de arquitetura palladiana situada em Norfolk.

As conexões entre Rose e Kate começam em 2011, quando a Duquesa se casou com o neto da Rainha Elizabeth II. Como o Anmer Hall, onde Middleton mora, é localizado nas proximidades da mansão de Rose, as nobres passaram a frequentar os mesmos círculos sociais, nos quais firmaram amizade, trocaram conversas e se viram com frequência.

A crise

A mídia já especulava que o casamento de Kate e William não passava por bons momentos. Ao The Sun uma fonte próxima ao clã Real declarou que o herdeiro de Diana trata sua esposa como “empregada” e que além disso era “ríspido” com ela. Todavia, até maio de 2019 não havia uma figura feminina na cena, só existiam dificuldades maritais.

No entanto, nos últimos dias, imagens de um suposto encontro entre William e Rose chamou atenção da mídia que passou a culpar a Marquesa pelos problemas na relação com o príncipe. Para corroborar a mídia, durante este turbilhão, Rose fez uma aparição sem aliança - o que automaticamente a colocou no cenário e mostrou que seu casamento também foi afetado.

Com base em toda a especulação, que pode ter procedência ou não, a imprensa britânica rotulou Rose de “Ex-amiga de Kate”, “Rival de Kate” e até “Rival rural de Kate”.

Com isso, segundo o Daily Beast , membros da realeza teriam enviado, por meio de um escritório de advocacia, uma carta à imprensa ameaçando tomar ações legais caso a polêmica tomasse proporções maiores. Apesar da atitude soar sensata, a existência e autonomia dela não foi confirmada por ninguém dos Windsor-Mountbatten.

Dicas de livros e filmes por Luciana Andrade - Livro: Depois de Hitler - os últimos dias da segunda guerra mundial na Europa e Filme/Série: What if (Netflix)

Dicas de livro: Depois de Hitler - os últimos dias da segunda guerra mundial na Europa de Michael Jones

250x.jpg

No dia 30 de Abril de 1945, Adolfo Hitler suicidou-se. No dia seguinte, Joseph Goebbels, o seu ministro da Propaganda também se matou, e o Terceiro Reich, em derrocada, ficou entregue ao almirante Karl Dönitz. A situação dos nazis parecia desesperada. No entanto, surpreendentemente, a guerra no resto da Europa continuou por mais dez dias.

Depois de Hitler aborda os dez dias que se seguiram à morte de Hitler numa narrativa em contagem decrescente e enquadra-os na história global mais vasta de uma guerra europeia que assistira a algumas das batalhas mais ferozes da História.

Aborda ainda o pano de fundo da guerra e a terrível catástrofe humanitária que não foi publicamente conhecida na Europa. Fala-nos dos que sentiram a alegria da liberdade, bem como dos que enfrentaram um futuro de grandes incertezas.

Quando os soldados do Exército Vermelho juntaram as suas forças às dos aliados britânicos e americanos, o Leste de Estaline enfrentou finalmente o Ocidente de Churchill e Truman. Depois de Hitler narra-nos a desconfiança crescente entre eles, mas também momentos de extraordinária boa vontade e cooperação - a esperança, breve mas tocante, de que estas grandes nações poderiam construir um futuro novo e mais seguro”.

Fonte: https://www.livrariacultura.com.br/p/livros/historia/historia-mundial/depois-de-hitler-os-ultimos-dias-da-segunda-guerra-mundial-na-europa-46481762


Dicas de filme/série: Dilema (What if) da Netflix

what-if-netflix-e1556032724717.jpg
Luciana+(1).jpg

Luciana Andrade

Coluna Dica de Livros e Filmes

Bibliotecária e Psicologa formada há alguns anos.. Atua na área de psicologia com consultório e no SOS Ação mulher e família como Psicologa voluntária . Cursou biblioteconomia por adorar os livros e assim ficou conhecendo mais profundamente a história literária. Através de filmes e livros consegue entrar em mundos reais, imaginários , fantásticos o que deixa o coração e a mente livres para conhecer, acreditar e principalmente sonhar. Email: luser8363@gmail.com