Moeda de R$ 1 lançada em 2012 pode chegar a valer R$ 170 na internet - Coluna Entretenimento por Milena Baracat

Talvez você tenha uma relíquia na carteira e nem saiba!

foto 1.jpg



A moeda de R$ 1 lançada pela Casa da Moeda em 2012 para a edição especial que homenageia a entrega da bandeira olímpica, faz parte de uma série limitada (de pouco mais de 2 milhões de unidades) e se tornou objeto de desejo de colecionadores e em lojas especializadas. Na internet, chega a ser negociada por até R$ 170.

foto 2.jpg

O mesmo aconteceu com as notas de R$ 1 que deixaram de ser emitidas pela Casa da Moeda, vinculada ao Ministério da Fazenda, em 2004, e de lá para cá se tornaram alvo da cobiça de colecionadores.

foto 3.jpg



Uma série específica da cédula, que começa com B e termina com A, de 1995, um ano após a adoção do Real como a moeda nacional, chega a valer R$ 120, já que o valor agregado está também na pequena quantidade que foi emitida.

Diferente das notas, a moeda ainda está em circulação, então, bora quebrar o cofrinho.

FONTE: Mercado Livre / Revista Pequenas Empresas & Grandes Negócios / G1.

FOTOS: Reprodução

Milena.jpg

Milena Baracat

Coluna Entretenimento

Formada em Comunicação Social pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Campinas). Atualmente presta assessoria ao Site Raquel Baracat.

 

“Irmãos à Obra” - de reformadores de casa a construtores de um império - Coluna Entretenimento por Milena Baracat

No ar pelo canal Discovery Home & Health (recentemente a produção desembarcou também na Netflix), “Irmãos à Obra” ou, em inglês, “Propriety Brothers.”, é um programa canadense que traz dois irmãos gêmeos, Drew e Jonathan Scott, que ajudam participantes a encontrar novos lares e reformar os antigos.

foto 1.jpg

Jonathan é um renomado designer e empreiteiro de mão cheia e Drew, um especialista em mercado imobiliário. Ambos têm um talento raro para encontrar propriedades que precisam de reformas e transformá-las em propriedades deslumbrantes.

foto 2.jpg
foto 3.jpg

Com muito talento em entreter os telespectadores, carisma e humor, oito anos após estrearem o reality que os lançou ao estrelato, Drew e Jonathan se tornaram muito mais que um fenômeno da televisão.

Primeiro, eles transformaram sua corretora imobiliária em um programa de TV, depois o reality deu origem a seis spin-offs (as séries, aliás, são assistidas em mais de 150 países). Usando esses programas como uma plataforma para lançar sua produtora - a Scott Brothers Entertainment - eles lançaram uma marca de mobiliário, decoração e utilidades domésticas, a Scott Living, e agora lançam uma plataforma de design voltada ao consumidor chamada Casaza.

foto 4.jpg

Resumindo: eles criaram um imenso império de negócios. São tão bem-sucedidos, que a empresa arrecadou "meio bilhão de dólares em vendas em 2018” (cerca de 1,8 bilhão de reais), de acordo com uma entrevista para o site Entrepreneur, edição de março.

“Nunca tem um irmão certo ou errado. Nós temos nossas verdades individuais. Mas juntos, temos a melhor verdade”, comentou Drew.

foto 5.png

Eu, particularmente, acho que o sucesso da dupla é mais que merecido. Adoro e sou super fã do reality, que é um dos meus maiores guilty pleasures televisivos do fim de semana.

Jonathan e Drew, please come to Brazil! Come to my house!

FONTE: Entrepreneur / FOTOS: Reprodução

Milena.jpg

Milena Baracat

Coluna Entretenimento

Formada em Comunicação Social pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Campinas). Atualmente presta assessoria ao Site Raquel Baracat.

 

Apps de paquera ganham novos termos - Coluna Entretenimento por Milena Baracat

Prowling, Cookie Jarring, Pocketing, Phubbing, Cushioning, Haunting, Breadcrumbing, Orbiting, Ghosting ...mais termos da língua inglesa começam a ganhar popularidade em nosso idioma.

foto 1.png

Os aplicativos de relacionamento foram criados poucos anos atrás, mas rapidamente conseguiram criar uma terminologia própria. E não adianta procurar o Google Tradutor, porque não tem lá (rs).

Para quem está habituado com os relacionamentos online, isso não é nenhuma novidade, mas os iniciantes podem encontrar alguma dificuldade para entender as mensagens cifradas, principalmente agora que o glossário da paquera foi atualizado. Ainda bem que o pessoal do app Happn deu uma mãozinha, olha só:

 Breadcrumbing: o termo “breadcrumbs” (migalhas de pão) já era usado no jargão cibernético em referência à estrutura de navegação em sites da internet, mas o sentido da expressão “breadcrumbing” (“espalhar migalhas de pão”) é diferente e tem inspiração direta do conto infantil “João e Maria”. Neste caso indica a prática de ir espalhando “sinais de interesse” por outra pessoa, mas sem ter qualquer intenção de estabelecer um relacionamento sério com ela.

foto 2.jpg

Os adeptos do “breadcrumbing” são aquelas pessoas que, por exemplo, ficam mandando mensagens reservadas e “curtindo” as postagens de alguém nas redes sociais como se estivessem sugerindo um interesse especial que vai além da amizade, mas sem passar nunca para um relacionamento amoroso real. Existe a insinuação de interesse, mas não existe a concretização.

A pessoa que recebe os supostos “sinais de interesse” fica alimentando expectativas apenas para se ver frustrada, sem falar no fato de que ela perde oportunidades de relacionamento sério porque está presa ao inútil aguardo de algum passo concreto do “espalhador de migalhas”.

Ghosting: palavra derivada do inglês ghost (fantasma). Você conhece alguém, troca números de telefone, vai a vários encontros, começa um relacionamento e tudo parece ir muito bem quando, de repente... silêncio.

foto 3.png

A outra pessoa deixa de responder mensagens de texto e chamadas e, sem aviso, desaparece sem dar explicações, encerrando um relacionamento da noite para o dia, cortando todo tipo de comunicação.

Orbiting: algo ainda mais frustrante que o 'ghosting'. Vocês terminaram, chegaram à conclusão que não rola mais ficar, mas de alguma forma o outro está sempre ali, assistindo aos seus stories, dando um like despretensioso e comentando com um “hahaha”. Orbitando em seu universo.

foto 4.jpg

O ex-ficante está conservando você na órbita dele: perto o suficiente para vocês se verem, mas longe o suficiente para nunca se falarem.

Haunting: sinônimo de orbiting. A pessoa não está mais fisicamente presente na sua vida, mas quer que você se lembre da existência dela e fica lá como uma assombração.

foto 5.jpeg

Cushioning: da palavra inglesa cushion (almofada). Essa pessoa quer se sentir segura, protegida por almofadas, mesmo depois de começar um relacionamento sério. Então mantém papinho com contatinhos mil porque vai que o namoro não dá certo, né? Um nome chique para o famoso “plano B”.

foto 6.jpg

Phubbing: é o ato de ignorar ou deixar de conversar com alguém por estar focado no celular. O termo vem da junção das palavras inglesas phone (celular) e snubbing (esnobar).

Vale para amigos também, táhh?

Dois amigos estão conversando e um deles parece distraído olhando para o celular. Ele diz prestar atenção no assunto, mas quando o outro pergunta se ele concorda ou não com algo, a realidade: "o que você estava falando?". Ele acabou de 'phubbar' o amigo.

foto 7.png

Pocketing: seu ficante ainda não te apresentou para os amigos e família, embora já estejam ficando sério. Você provavelmente está vivendo um "pocketing", ou seja, sendo “deixado no bolso” ou o famoso “na gaveta". O "crush pocketing" só está disponível quando quer ou apenas quando seus horários estão livres.

foto 8.jpg

Cookie Jarring: seu rolo está ficando firme e você começa a achar que pode, sim, terminar em namoro, até que... Descobre que você era apenas o backup dele(a).

foto 9.jpg

Prowling: você, finalmente e felizmente, saiu da fossa pós-fora do crush que tinha se apaixonado e, de repente, ele(a) reaparece na sua vida agindo normalmente e (pior!) como se nada tivesse acontecido. Isso é prowling, quando se "brinca" com as emoções das pessoas.

foto 10.jpg

CRÉDITOS: BBC Brasil / Aleteia / Glamour / HuffPost Brasil

FOTOS: Reprodução

Milena.jpg

Milena Baracat

Coluna Entretenimento

Formada em Comunicação Social pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Campinas). Atualmente presta assessoria ao Site Raquel Baracat.

Fone do Google traduz até 40 línguas em tempo real - Coluna Entretenimento por Milena Baracat

No ano passado, o Google lançou a linha de hardwares, chamada "Made by Google". Entre as novidades, os celulares da linha Pixel, que possuem visor com realidade aumentada, uma caixinha de som que sabe suas músicas favoritas, uma câmera fotográfica que tira foto por você.

FOTO 1.jpg

No entanto, o que mais chamou atenção foram os fones de ouvido Google Pixel Buds capazes de traduzir 40 línguas em tempo real.

foto 2.jpg

Funciona da seguinte forma: os fones são conectados ao celular via wireless e quando for preciso fazer a tradução simultânea, o “Assistente do Android” será acionado assim que o usuário disser “me ajude a falar inglês”, por exemplo, ou qualquer um dos 40 idiomas disponíveis.

foto 3.png

Também é possível falar para o fone, que se comunica com o celular, utilizando o dispositivo como um alto-falante para traduzir o que você diz em tempo real. Ou seja, é só falar em voz alta que o alto-falante do celular reproduzirá já na língua escolhida.

foto 4.png

As vendas, por enquanto, somente nos Estados Unidos, Canadá, Reino Unido, Alemanha, Austrália e Cingapura, por US$ 159, conforme foi anunciado.

Fonte e Fotos: GOOGLE

Milena.jpg

Milena Baracat

Coluna Entretenimento

Coluna Esportes

Formada em Comunicação Social pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Campinas). Atualmente presta assessoria ao Site Raquel Baracat.

Meryl Streep estará na segunda temporada de “Big Little Lies” - Coluna Entretenimento por Mielna Baracat

Estreia em junho, a segunda temporada da série vencedora de 8 prêmios Emmy, "Big Little Lies". Serão sete episódios, nos quais Reese Witherspoon, Nicole Kidman, Shailene Woodley, Laura Dern e Zoe Kravitz lutarão para seguir com suas vidas após o homicídio que encerrou a primeira temporada.

foto 1.png

Entre as novidades mais comemoradas está a participação de Meryl Streep, interpretando Mary Louise Wright, a mãe de Perry (Alexander Skarsgard), marido violento de Celeste (Nicole Kidman).

foto 2.jpg

O papel, aliás, foi escrito para Meryl, tanto que a personagem se chama Mary Louise em uma referência ao nome real de Streep.

foto 3.jpg
foto 4.jpg
foto 5.jpg

Para poupar spoilers, a sinopse oficial da segunda temporada diz que a série "vai continuar a explorar a maldade por trás das mentiras, a durabilidade das amizades, a fragilidade do casamento e, é claro, a ferocidade por trás da educação dos filhos".

foto 6.jpg

Vale dizer que a autora do livro também foi consultada para ajudar no roteiro da segunda temporada e ela ficou bem animada com a ideia. "Eu estou bem aberta porque, assim que comecei a pensar, seria divertido ver o que eu poderia fazer com esses personagens. E há muitas direções para ir", disse ela.

 

SINOPSE

“Big Little Lies”, baseada no livro homônimo da escritora australiana Liane Moriarty, é focada na história de cinco mulheres muito interessantes: Madeline (Reese Witherspoon), Celeste (Nicole Kidman), Jane (Shailene Woodley), Bonnie (Zoë Kravitz) e Renata (Laura Dern).

foto 7.jpg

Em um primeiro momento você pode até achar que elas são ricaças fúteis. Mas nada disso: são mulheres com histórias diversas e com muito mais camadas do que você pode imaginar à primeira vista. A série fala sobre violência doméstica, estupro, bullying e muito mais.

FOTO 8.jpg

Como já citado acima, a série abocanhou 8 prêmios no Emmy 2017 entre eles: melhor minissérie ou telefilme, melhor atriz de minissérie para Nicole Kidman, melhor direção para Jean-Marc Vallee, melhor atriz coadjuvante para Laura Dern, melhor ator coadjuvante para Alexander Skarsgard.

foto 9.jpg
Milena.jpg

Milena Baracat

Coluna Entretenimento

Coluna Esportes

Formada em Comunicação Social pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Campinas). Atualmente presta assessoria ao Site Raquel Baracat.