Série Cobra Kai - sequência do filme Karatê Kid - Coluna Entretenimento por Milena Baracat

Embarcando na onda dos revivals, a nova série Cobra Kai, do Youtube Red, é a sequência direta do clássico de 1984 - Karatê Kid -  que retorna com os personagens Daniel Larusso e Johnny Lawrence vividos pelos próprios Ralph Macchio e William Zabka, respectivamente.

1.jpg
2.jpg

A série começa com uma viagem no tempo de três décadas atrás, no exato momento do combate do século, em que Daniel LaRusso, o pupilo de Mr. Myagi, nocauteia com o golpe da garça, Johnny Lawrence, o bad boy loiro dos maléficos Cobra Kai. Esse é o ponto de partida da trama para o tempo atual, quando eles aparecem já adultos: Daniel, um homem de negócios bem-sucedido, enquanto Johnny um desiludido desempregado buscando a redenção.

3.jpg

A série toma como ponto de partida o combate por ser mais focada em Johnny. Isso não quer dizer que os filmes seguintes não entram. Pelo contrário, aparecem em flash backs e, obviamente, traz de volta a rivalidade entre os dois e explora suas frustrações através do karatê.

4.jpg
5.jpg

Infelizmente o mestre Pat Morita faleceu em 2005, então não teremos o Sr. Miyagi, mas é também recordado na série.

6.jpg

O mestre agora é o próprio Johnny Lawrence. Com um estilo meio “Bad Sensei”, reabre o dojo Cobra Kai após defender seu jovem vizinho ( e futuro pupilo) Miguel , que sofre bullying principalmente por Kyler , um lutador mirim que namora com a filha mais velha de Daniel.

7.jpg
8.jpg

Com 10 episódios de 30 minutos cada, Cobra Kai estreou no dia 2 de maio batendo todos os recordes e já garantindo uma 2ª temporada.

9.jpg

Os dois primeiros episódios chamados de "Ace Degenerate" e "Strike First" estão disponíveis de graça no canal oficial da série, enquanto os demais custam R$3,90 por capítulo.

Eu amei. Recomendo nostalgicamente.

TRAILER

Milena.jpg

Milena Baracat

Coluna Entretenimento

Coluna Esportes

Formada em Comunicação Social pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Campinas).  Atualmente atua com profissionais  no desenvolvimento, tratamento de acervos, informatização e tecnologia da informação aplicada para bibliotecas particulares e privadas.

Por que “This is America” já é considerado o videoclipe do ano? Coluna Entretenimento por Milena Baracat

Foi disponibilizado no domingo (6), o bombástico clipe This Is America da mais nova música de Childish Gambino (nome artístico do ator, roteirista, humorista e músico, Donald Glover), que em menos de 72 horas no ar, atingiu impressionantes 34 milhões de visualizações e está deixando a internet em polvorosa.

O motivo são as inúmeras referências que Gambino utilizou para criticar de forma irônica e tensa (do início ao fim dos quatro minutos do clipe), o porte de armas, os episódios racistas que aconteceram nos Estados Unidos e a alienação dos próprios afro-americanos na luta contra a brutalidade policial e as condições econômicas, sociais e políticas que os oprimem.

This is America é um tapa na cara da hipocrisia dos EUA.

foto 1.jpg

O vídeo tem a direção assinada por Hiro Murai, que já trabalhou com o cantor em sua premiada série televisiva - “Atlanta” - e mostra Glover sem camisa em um galpão junto a vários dançarinos em uma atmosfera performática, tragicômica e violenta.

Rapidamente, o clipe se tornou um dos assuntos mais comentados nas redes sociais, cujos internautas permanecem discutindo e teorizando sobre suas ambiguidades, mesmo uma semana após sua exibição.

Saiba quais são algumas (supostas) referências apresentadas:

- A calça usada por Gambino é parecida com a usada pelos integrantes da Confederação Americana, grupo de seis estados do país que queriam impedir a abolição da escravatura. A bandeira confederada, que foi usada durante a Guerra Civil, é hoje o símbolo da supremacia branca. Daqueles que são anti-negros, anti-indígenas e anti-imigração.

A bandeira apareceu nas fotos de Dylaan Roof, que matou nove negros em uma igreja em Charleston, na Carolina do Sul, em 2015.

foto 2.jpg

- O homem sentado com o violão seria uma representação do pai de Travyon Martin, jovem negro morto injustamente pela polícia na Flórida, em 2012. Esse assassinato desencadeou o início do movimento “Black Lives Matter” nos Estados Unidos, em 2014.

FOTO 3.jpg

-Pose igual a de Jim Crow, personagem racista criado em 1900 que fazia black face como forma de humor, caricaturando os negros. Posteriormente virou nome de um conjunto de leis que legitimavam a segregação racial nos EUA. Leis como as que escolas públicas e a maioria dos locais públicos (incluindo trens e ônibus) tivessem instalações separadas para brancos e negros.

foto 4.jpg

-Cara do Uncle Ruckus, personagem animado de The Boondocks, um idoso negro que tem nojo da própria raça, nega a existência do racismo, apoia Bush e é a favor do genocídio negro nos EUA.

O personagem vivia dizendo “Eu não sou negro! Tive uma doença quando eu era pequeno, que transformou minha pele branca em negra!”.

Seus olhos semifechados representam o 'olho cego' dentro da comunidade negra.

foto 5.jpg

-Na cena, após o tiro, a batida da música para mumble rap (gênero crítico que exalta a violência), Gambino entrega a arma para uma criança. Nas imagens é possível ver que as armas são cuidadosamente colocadas em cima de um tecido vermelho e carregadas com todo cuidado. Porém, as pessoas mortas são arrastadas sem nenhum cuidado. Essa diferença de tratamento pode significar que armas importam mais do que vidas.

foto 6.jpg

-As crianças atrás estão com o uniforme dos estudantes presentes no massacre de Soweto, na África do Sul, ocorrido em 1976. Ele e as crianças reproduzem os passos da típica dança africana, que se popularizou nas redes sociais e se sobrepõe com o conflito e caos ao fundo.

foto 7.gif

-Um coral gospel, um dos grandes símbolos da comunidade negra americana, aparece na cena. Gambino mata todos os integrantes em uma referência ao massacre na igreja de Charleston (Carolina do Sul), ocorrido em 2015.

foto 8.jpg

-Menção a Richard Pryor, humorista negro que batia de frente com as questões raciais e a violência policial. No disco The Anthology 1968-1992 participou de uma sessão de fotos. Em uma dessas fotos ele fez a pose abaixo.

foto 9.jpg

-Carros pegando fogo. Não tem como ser mais simbólico que isso. É uma referência aos carros que foram queimados durantes os protestos recentes nos EUA, devido aos conflitos raciais.

foto 10.jpg

-O cavalo branco faz referência à Apocalipse 6:8, que fala da morte montada em um cavalo branco. Portanto, vemos a Morte de manto preto, em seu cavalo branco guiando a viatura dos policiais.

foto 11.jpg

No final do clipe, Gambino aparece correndo em um beco escuro. Um grupo de pessoas brancas o persegue. A referência seria ao filme “Corra!”.

Uma das cenas mais emblemáticas do filme acontece quando o ator Daniel Kaluuya é hipnotizado e consegue observar a si mesmo, sem conseguir se mover. O olhar de Gambino ao aparecer no final do clipe é semelhante ao que é feito pelo personagem no filme. O diretor de “Corra!”, Jordan Peele, explicou o conceito por trás desse momento, conhecido como “sunken place”: Significa que somos marginalizados. Não importa quanto alto é nosso grito, somos silenciados pelo sistema”.

A ideia é reforçada pela letra no final da canção: “Você é apenas um homem negro neste mundo/ dirigindo importados caros”.

Mesmo com o dinheiro que recebem, até artistas como Gambino e Young Thug, que canta esse verso, sofrem com a realidade do racismo nos EUA.

foto 12.png

FONTE: Saturday Night Live / okayplayer.com / huffingtonpost.com .

FOTOS: Reprodução.

VÍDEO: Youtube

Milena.jpg

Milena Baracat

Coluna Entretenimento

Coluna Esportes

Formada em Comunicação Social pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Campinas).  Atualmente atua com profissionais  no desenvolvimento, tratamento de acervos, informatização e tecnologia da informação aplicada para bibliotecas particulares e privadas

Instagram Dix - novo tipo de perfil fechado vira sensação - Coluna Entretenimento por Milena Baracat

O Instagram se tornou uma espécie de cartão de visita e funciona até mesmo como meio de divulgação de trabalho para muitas pessoas. Por esse motivo, determinados usuários deixam de postar alguns conteúdos por receio de se exporem demais e acabar denegrindo sua imagem no âmbito profissional e familiar.

foto 1.jpg

Pensando numa maior privacidade, o Instagram lançou o Instagram Dix, cujas contas são fechadas, para contatos selecionados, de pessoas que querem postar vídeos e fotos bem diferentes das publicadas no "Instagram oficial".

FOTO 2.jpg

Ou seja, a ideia é que a conta seja para contatos autorizados e que o conteúdo seja compartilhado apenas com pessoas selecionadas e de confiança.

Na maioria das vezes, são perfis que reúnem selfies divertidas e despreocupadas com luz, composição e foco, de pessoas que não estão nem aí para o número de curtidas e seguidores. A intenção é zoar.

FOTO 3.jpg

Claro, que também rolam nudes, registros de balada, declarações e desabafos, fotos polêmicas, provocantes e sexys, pois - sendo uma conta à parte, extraoficial e privada -  o usuário compartilha o conteúdo longe dos olhares críticos de amigos mais tradicionais ou mesmo de familiares.

Tão real e natural, que é comum ouvir dos usuários que "só quem segue o seu Dix conhece você de verdade". (rs)

foto 4.jpg

Para identificar uma conta Dix é fácil: grande parte dos perfis possuem as iniciais dix no início ou fim do nome de usuário. Muitos, inclusive, acrescentam o dix e deixam o mesmo nome da conta pública, permitindo que o perfil seja encontrado com mais facilidade.

foto 5.jpg

Para criar um perfil dix, basta acrescentar mais uma conta ao primeiro login, restringindo-a ao modo privado. ( Para ter mais de uma conta é necessário dados diferentes para e-mail e nome de usuário).

Geralmente, ele mantém o nome de usuário original e é seguido por um .dix ou _­dix. (exemplo: fulano.dix, fulano_dix).

Mas, fique atento na troca de perfil para não correr o risco e cometer a gafe de publicar no seu Instagram oficial uma foto que era para o Instagram Dix.

foto 6.jpg

Cuidados tomados, divirta-se com os seus amigos e se surpreenda com um mundo paralelo de perfis.

FOTOS: Reprodução Thinkstock. FONTE: Glamour, Techtudo e globo.com.

Milena.jpg

Milena Baracat

Coluna Entretenimento

Coluna Esportes

Formada em Comunicação Social pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Campinas).  Atualmente atua com profissionais  no desenvolvimento, tratamento de acervos, informatização e tecnologia da informação aplicada para bibliotecas particulares e privadas.

Xadrez - tendência absoluta - Coluna Entretenimento por Milena Baracat

O xadrez sempre foi associado ao inverno e nesta temporada ele está com tudo, já que é a grande tendência do outono e inverno 2018.

foto 1.jpg

Existe uma variedade bem grande quanto à padronagem. Veja abaixo alguns e escolha o seu preferido:

 Príncipe de Gales

O xadrez tem muitas variações e todas estão em alta, mas o Príncipe de Gales invadiu o street style e é tendência absoluta neste ano!

foto 2.jpg

 Pied-de-poule

Foi eternizado por Coco Chanel na década de 1930.

foto 3.jpg

 Tartan

É o xadrez mais tradicional e pode ser de muitas cores, mas sua origem vem do xadrez escocês vermelho.

foto 4.jpg

Vichy.

Tem a padronagem da toalha de piquenique, bem simples, em duas cores e foi eternizado por Brigitte Bardot. É o que tem mais a ver com o verão e foi resgatado das cinzas da moda no ano passado.

foto 5.jpg

Burberry

É um xadrez mundialmente conhecido e patenteado nessas quatro cores: bege, branco, preto e vermelho. Foi criado por Thomas Burberry para ser usado no forro dos famosos trench coats, que tornaram da Burberry, uma marca de luxo na década de 1920.

foto 6.jpg

Grid.

Em inglês, grid quer dizer grade, e nada mais é que aquele xadrez que parece que foi riscado à régua em cima do tecido.

foto 7.jpg

Buffalo check

Essa é a padronagem do que ficou conhecido como camisa de flanela dos lenhadores.

foto 8.jpg

Argyle

Consiste em blocos em forma de diamante (ou losangos) sobre um fundo colorido, atravessados por finas listras de cor contrastante. É mais comum em coletes, suéteres e meias, mas não há nenhuma regra que o impeça de aparecer em outras roupagens.

foto 9.jpg

Madras

Surgiu na Índia, na cidade do mesmo nome, atualmente chamada Chennai, e a técnica de sua criação data do final século XIX, quando era feito manualmente, usando tecido de algodão leve e corantes naturais. Trata-se de uma estampa formada por linhas horizontais e verticais de diferentes espessuras e, na sua versão tradicional, por cores vibrantes.

foto 10.JPG

Enfim, não importa qual o seu tipo preferido, a estampa xadrez nunca sai de moda. É um clássico atemporal, lindo e elegante.

foto 12.jpg

Fotos: Reprodução. Pinterest

Milena.jpg

Milena Baracat

Coluna Entretenimento

Coluna Esportes

Formada em Comunicação Social pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Campinas).  Atualmente atua com profissionais  no desenvolvimento, tratamento de acervos, informatização e tecnologia da informação aplicada para bibliotecas particulares e privadas.

Stranger Things ganhará atração em parque da Universal - Coluna Entretenimento por Milena Baracat

De setembro a novembro, o tradicional evento de terror “Halloween Horror Night”, na Universal Studios, terá atração temática da série “Stranger Things”.

foto 1.jpg

Através de labirintos assombrados inspirados na primeira temporada, os fãs da série terão a chance de conhecer o Mundo Invertido em Hawkins (com a chuva de esporos!) e confrontar o sobrenatural dando de cara com um Demogorgon.

foto 2.jpg

A atração será nos três parques da Universal: Universal Studios Hollywood, Universal Orlando Resort e Universal Studios Singapore e contará com a participação dos criadores da série, os irmãos Duffer, além do produtor Shaun Levy.

foto 3.jpg
foto 4.jpg

A noite de Halloween acontece no dia 14 de setembro nos parques de Hollywood e Orlando e em 28 de setembro no de Singapura.

Confira o teaser da Universal no Youtube:

foto 5.png

 O valor do Halloween Horror Nights em Orlando é de US$77,99 + taxas por pessoa.

Lembrando que a atração da Universal tem uma pegada mais assustadora. Não é um Halloween lúdico como o da Disney. A festa é recomendada para maiores de 13 anos (caso queira levar crianças menores é permitido, mas não é recomendado) e não é autorizado o uso de qualquer tipo de máscara ou fantasias.

Milena.jpg

Milena Baracat

Coluna Entretenimento

Coluna Esportes

Formada em Comunicação Social pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Campinas).  Atualmente atua com profissionais  no desenvolvimento, tratamento de acervos, informatização e tecnologia da informação aplicada para bibliotecas particulares e privadas.

Kiabi - fast-fashion francesa abrirá no Brasil com peças a partir de R$ 15 - Coluna Entretenimento por Milena Baracat

Kiabi é uma rede de roupas e acessórios francesa - do mesmo grupo da Decathlon e da Leroy Merlin - e está presente em 25 países.

Em agosto, será inaugurada a primeira loja em solo brasileiro, no shopping Ibirapuera, em São Paulo e vai ser GIGA!!! 1.500 m².

foto 1.jpg

Segundo a marca, a previsão é de abrir 40 lojas em 5 anos nos grandes centros urbanos, sendo 4 lojas só em São Paulo.

foto 2.jpg

Conhecida por oferecer preços acessíveis, no Brasil o conceito “la mode à petitts prix” (moda a preços baixos) permanece: peças a partir de R$ 15, todas importadas a princípio, mas a ideia é desenvolver produção local futuramente.

foto 3.jpg
FOTO 4.png

Sobre a kiabi

-Fundada em 1978.

-Se encontra presente em 25 países, dos quais 9 deles opera unicamente via site de venda on-line.

-Possui 500 lojas físicas em 16 países diferentes como: França, Espanha, Itália, Bélgica, Portugal, Emirados Árabes Unidos (duas lojas em Dubai), Turquia, Paquistão, China, Tailândia, Indonésia, Marrocos, Índia, Bangladesh, Argélia e Gabão, na África.

-Na França, é a segunda maior rede de vestuário e líder no segmento de jeans de baixo custo, segundo a consultoria Euromonitor.

-O Brasil será a primeira operação da Kiabi no continente americano.

-Movimenta 2 bilhões de euros por ano.

-Comercializa em média 275 milhões de peças, distribuídas em seis coleções anuais inspiradas em tendências das passarelas.

-O mix de produtos abrange todos os tamanhos, inclusive plus size, para o masculino, feminino, além de moda gestante e infantil.

FOTO 5.png

(Fotos reprodução do blog Dimples tiradas na loja KIABI do Marshopping)

Milena.jpg

Milena Baracat

Coluna Entretenimento

Coluna Esportes

Formada em Comunicação Social pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Campinas).  Atualmente atua com profissionais  no desenvolvimento, tratamento de acervos, informatização e tecnologia da informação aplicada para bibliotecas particulares e privadas.

Série Clique - Coluna Entretenimento por Milena Baracat

Do mesmo criador de Skins, a série CLIQUE acompanha a rotina de Georgia (Aisling Franciosi) e Holly (Synnove Karlsen), duas amigas de infância que estão vivendo a melhor fase de suas vidas: acabaram de ingressar na Universidade de Edimburgo.

FOTO 1.jpg

Logo nas primeiras semanas de estudo, Georgia é convidada a fazer parte de um seleto círculo de elite liderado pela professora Jude McDermid (Louise Brealey, da série Sherlock), uma feminista com um discurso sedutor.

FOTO 2.png

Ao se unir ao círculo, Georgia se afasta de Holly e começa a mudar seu comportamento. Estranhando as atitudes da amiga, Holly descobre uma forma de se infiltrar no grupo e, ao investiga-lo, descobre um mundo de sedução e festas luxuosas frequentado por poderosos da cidade de Edimburgo.

FOTO 3.jpg

No entanto, todo o glamour esconde um esquema sórdido e, à medida que Holly expõe seu núcleo corrupto, o perigo aumenta para ela e para a Geórgia.

Holly conseguirá ajudar sua amiga?

foto 4.png

E a que custo para ela mesma?

foto 5.png

A série, que parece uma mistura de Gossip Girl com Pretty Littes Liers, está na sua primeira temporada e contém 6 episódios com muito suspense, sendo que o canal britânico BBC Three renovou o thriller psicológico para uma 2ª temporada. Com um elenco masculino como esse, a gente agradece!

foto 6.jpeg

Segue o trailer:

 Fonte: BBC. Fotos Reprodução. Vídeo Youtube.

Milena.jpg

Milena Baracat

Coluna Entretenimento

Coluna Esportes

Formada em Comunicação Social pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Campinas).  Atualmente atua com profissionais  no desenvolvimento, tratamento de acervos, informatização e tecnologia da informação aplicada para bibliotecas particulares e privadas.